Trabalho e adoecimento de assistentes sociais em Campos dos Goytacazes, RJ

Autores

Palavras-chave:

Serviço Social, Trabalho, Adoecimento profissional

Resumo

Neste artigo se objetiva examinar a relação trabalho-adoecimento entre assistentes sociais em Campos dos Goytacazes, RJ. Justifica-se em função de rarefeita produção acadêmico-científica a respeito do tema no contexto nacional, regional e local. Metodologicamente, recorre a estudo de natureza qualitativa, de tipo bibliográfico e de campo. Este último realizado com 05 assistentes sociais trabalhadores/as da política de saúde, assistência social, educação, sociojurídico e assistência estudantil. Os resultados apontam que, dentre diversas variáveis que potencializam e promovem os processos de adoecimento profissional e que são determinadas pela crise estrutural do capital e as estratégias dela derivadas, o fator da precarização e da flexibilização das condições e relações de trabalho, além do caráter complexo e de injustiça impressos nas demandas sociais, enquanto expressões da Questão Social sem os recursos necessários para a construção de respostas efetivas têm predominantemente determinado processos de sofrimento e de adoecimento entre assistentes sociais em Campos, RJ

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helton da Silva Souza, Faculdade Faveni

Pós-graduando em Serviço Social pela Faculdade Faveni, Venda Nova do Imigrante, ES. Atua na área da Pessoa Idosa na Associação de Apoio Terapêutico Reviver – Mimoso do Sul/ES e na área da pessoa com deficiência na APAE em Muqui-ES. Bacharel em Serviço Social pela Universidade Federal Fluminense, Campos dos Goytacazes, RJ

Carlos Moraes, Universidade Federal Fluminense

Professor do quadro permanente do Programa de Estudos Pós Graduados em Política Social da Universidade Federal Fluminense; Professor Adjunto do Departamento de Serviço Social de Campos, Universidade Federal Fluminense, Campos dos Goytacazes, RJ, Brasil. Doutor em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Mestre em Política Social pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF) e Bacharel em Serviço Social pela Universidade Federal Fluminense (UFF).

Referências

ALVES, G. Trabalho e Subjetividade: o espírito do toyotismo na era do capitalismo manipulatório. São Paulo: Boitempo, 2011.

ANTUNES, R. Adeus ao trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. 11 ed. São Paulo; Cortez, 2006.

ANTUNES, R. O privilégio da servidão: o novo proletariado de serviços na era digital. São Paulo: Boitempo, 2018.

ANTUNES, R. Coronavírus: o trabalho sob fogo cruzado. São Paulo: Boitempo, 2020.

AZEVEDO, V. Taxa de homicídio cresce em Guarus. 2018. Disponível em: http://www.folha1.com.br/_conteudo/2018/07/geral/1236667-taxa-de-homicidios-cresce-em-guarus.html. Acesso em: 04 nov. 2018.

CFESS. Perguntas Frequentes. 2018. Disponível em: http://www.cfess.org.br/visualizar/menu/local/perguntas-frequentes. Acesso em: 12 ago. 2020.

CRUZ, J. L. V. Os desafios do Norte e do Noroeste Fluminenses frente aos grandes projetos estratégicos. Vértices, Campos dos Goytacazes, RJ, v. 9, n. 1/3, p. 43-50, jan./dez. 2007.

CRUZ, J. L. V. Os desafios na região brasileira do petróleo. In.: CRUZ, J.L.V. (org.). Brasil, o desafio da diversidade: experiências de desenvolvimento regional. Rio de Janeiro: Ed. Senac Nacional, 2005, p. 49-104.

CUNHA, A. L. L. Planejamento e gestão da assistência social no município de Campos dos Goytacazes: 2005-2008. In: CUNHA, A. L. L. Planejamento e gestão da assistência social no município de Campos dos Goytacazes: 2005-2008. 2009. Dissertação (Mestrado em Planejamento Regional e Gestão de Cidades), Universidade Candido Mendes – UCAM, Campos dos Goytacazes, 2009. f. 45-67.

FAERMANN, L. A.; MELLO, C. C. V. de. As condições de trabalho dos assistentes sociais e suas implicações no processo de adoecimento dos profissionais. Textos & Contextos (porto Alegre), [s.l.], v. 15, n. 1, p.96-113, maio 2016.

FIGUEIREDO, J. M. de. Estudo sobre a satisfação no trabalho dos profissionais de informação de uma IFES. 2012. 175 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestrado em Sistema de Gestão, Escola de Engenharia, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2012.

G1 Portal de notícias. População de rua tem aumentado em Campos no Rio de Janeiro. Disponível em: http://g1.globo.com/rj/norte-fluminense/noticia/2016/08/populacao-de-rua-tem-aumento-de-cerca-de-30-em-campos-no-rj.html. Acesso em: 04 nov. 2018.

GUERRA, Y. A formação profissional frente aos desafios da intervenção e das atuais configurações do ensino público, privado e a distância. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 104, p.715-736, dez. 2010.

HARVEY, D. A condição Pós-moderna. Editora Loyola, São Paulo, 1992.

HARVEY, D. O neoliberalismo. História e implicações. Editora Loyola, São Paulo, 2008.

IBGE. Área da unidade territorial: Área territorial brasileira. Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rj/campos-dos-goytacazes/panorama. Acesso em 25 out. 2018a.

IBGE. Trabalho e rendimento. Rio de Janeiro: 2016. Disponível em < https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rj/campos-dos-goytacazes/panorama. Acesso em 26 out. 2018b.

IAMAMOTO, M. V. Serviço social em tempo de capital fetiche: Capital financeiro, trabalho e questão social. Cortez, São Paulo, 2011.

IANNI, O. Teorias da Globalização. Rio de Janeiro: Editora Civilização, 2002.

MARCELO, V. C. M. Burnout e stress nos assistentes sociais. 85 f. Dissertação (Mestrado em Serviço Social, Departamento de Sociologia e Políticas Públicas), Instituto Universitário de Lisboa, Lisboa, 2017.

MESTRINER, M. L. O Estado entre a Filantropia e a Assistência Social. 2.ed. São Paulo, Cortez, 2005.

MESZÁROS, I. A crise estrutural do capital. São Paulo: Boitempo, 2009, 133 p.

MORAES, C. A. S. O Serviço Social brasileiro na entrada do século XXI: considerações sobre o trabalho profissional. Serv. Soc. Soc., São Paulo, n. 127, p. 587-607, dez. 2016.

MORAES, C. A. S; SCHOCAIR, G.M.M; AMARAL, D. M. M. Mercado de trabalho e perfil profissional da assistente social no interior do Estado do Rio de Janeiro, Brasil. ENCUENTRO LATINOAMERICANO DE PROFESIONALES, DOCENTES Y ESTUDIANTES DE TRABAJO SOCIAL, 4; CONGRESO NACIONAL DE TRABAJO SOCIAL, 5., 2019. Tandil. Anais [...]. Tandil, 2019.

NAVARRO, V. L.; LOURENÇO, E. A. de S. (org.). O avesso do trabalho IV: terceirização: precarização e adoecimento no mundo do trabalho. São Paulo: Expressões, 2017.

NETTO, J. P. Transformações societárias e Serviço Social: notas para uma análise prospectiva da profissão no Brasil. São Paulo: Cortez, Serv. Soc. Soc., São Paulo, n. 50, abril, 1996, p. 87-132.

PEDLOWSKI, M. Campos dos Goytacazes entre as cidades mais violentas do mundo. 2018. Disponível em: https://blogdopedlowski.com/2018/06/03/campos-dos-goytacazes-entre-as-cidades-mais-violentas-do-mundo/. Acesso em: 01 nov. 2018.

PENA, Rodolfo F. Alves. Produção de petróleo no Brasil. Disponível em: https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/producao-petroleo-no-brasil.htm. Acesso em: 15 out. 2018.

PEDLOWSKI, Marcos. Campos dos Goytacazes entre as cidades mais violentas do mundo. 2018. Disponível em: https://blogdopedlowski.com/2018/06/03/campos-dos-goytacazes-entre-as-cidades-mais-violentas-do-mundo/. Acesso em: 01 nov. 2018.

RAICHELIS, R. O assistente social como trabalhador assalariado: desafios frente às violações de seus direitos. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 107, p.420-437, set. 2011.

RIBEIRO, R. M. O negro e seu mundo: vida e trabalho no pós-abolição em Campos dos Goytacazes (1883-1893). In: RIBEIRO, R. M. O negro e seu mundo: vida e trabalho no pós-abolição em Campos dos Goytacazes (1883-1893). 2012. Dissertação (Mestrado em Sociologia Política), Centro de Ciências do Homem, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF), Campos dos Goytacazes, 2012. f. 28 -80.

SANTOS, M. T. dos; MANFROI, V. M. Condições de trabalho dos assistentes sociais: precarização ética e técnica do exercício profissional. Em Pauta, Rio de Janeiro, v. 133, n. 36, p.178-196, jul.-dez, 2015.

SILVA, Camila. Campos é a 19ª cidade mais violenta do mundo em ranking internacional. 2017. Disponível em: http://www.folha1.com.br/_conteudo/2017/04/blogs/pretonobranco/1217560-campos-e-a-19-cidade-mais-violenta-do-mundo-em-ranking-internacional.html. Acesso em: 03 nov. 2018.

SILVA, D. J.; SILVA, S. C. da. População em Situação de Rua, Território e Políticas Sociais em Campos dos Goytacazes/RJ. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM PLANEJAMENTO URBANO REGIONAL, 27, 2017, São Paulo. Anais[...]. São Paulo, 2017, p.1-15. Disponível em: http://anpur.org.br/xviienanpur/principal/publicacoes/XVII.ENANPUR_Anais/ST_Sessoes_Tematicas/ST%202/ST%202.4/ST%202.4-02.pdf. Acesso em: 03 nov. 2018.

SILVA, E. V. da. Profissão: Serviço Social: Trajetória histórica e perfil profissional no município de Campos dos Goytacazes / RJ. 2011. 208 f. Dissertação (Mestrado em Políticas Sociais), Centro de Ciências do Homem, Campos dos Goytacazes, 2011.

SILVA, L. M. P.; SILVA, L. S. da. As mulheres assistentes sociais: adoecimento e sofrimento em tempos de reestruturação produtiva. In: SIMPÓSIO MINEIRO DE ASSISTENTES SOCIAIS, 3, 2013, Belo Horizonte. Anais[...]. Belo Horizonte: CRESS-MG, 2013. p. 1 - 11.

SOARES, L. T. Os custos sociais do ajuste neoliberal na América Latina. Coleção Questões da Nossa Época. 3.ed. São Paulo, Cortez, 2009. v. 78

Downloads

Publicado

2020-12-19

Como Citar

Souza, H. da S. ., & Moraes, C. . (2020). Trabalho e adoecimento de assistentes sociais em Campos dos Goytacazes, RJ. Mundo Livre: Revista Multidisciplinar, 6(2), 364-382. Recuperado de https://periodicos.uff.br/mundolivre/article/view/47682

Edição

Seção

Sessão temática