Questão ambiental, racismo ambiental e covid-19: velhos e novos desafios

Autores

Palavras-chave:

Questão ambiental, Racismo Ambiental, Covid-19

Resumo

O presente artigo é produto das análises apresentadas na mesa virtual: “Questão ambiental, racismo ambiental e COVID-19: velhos e novos desafios”. O debate pautou-se na contextualização teórica a respeito da questão ambiental: trouxe a epistemologia ambiental, os epistemicídios ocorridos ao longo da história para o centro da análise, buscando fazer o recorte analítico para discutir fatores correlacionados ao campo da ecologia política e do ecologismo dos pobres. Partiu-se de dados empíricos referentes à pesquisa realizada em Jardim Gramacho, sub-bairro do município de Duque de Caxias, região metropolitana da cidade do Rio de Janeiro, que abrigou por três décadas o maior lixão da América Latina. Buscou-se articular, nesse território, evidências da expressão do racismo ambiental, agudizado diante da pandemia de Covid 19, como fator preponderante no processo de pauperização dessa população que, para além de trabalhar no local, ali reside. Apontaram-se, a partir daí, velhos e novos desafios diante das expressões da questão social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Valéria Pereira Bastos, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro

Professora  Adjunta I, Departamento de Serviço Social/Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.  Pesquisadora apoiada pela Fundação Carlos Chagas de Amparo à Pesquisa. Líder do Grupo Interdisciplinar de Pesquisa e Estudos Socioambientais e Comunitário – GRIPES. Doutora em Serviço Social, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Brasil.

Matheus Thomas da Silva, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Professor assistente do Departamento de Serviço Social/Instituto de Ciências da Sociedade e Desenvolvimento Regional/Universidade Federal Fluminense (UFF), Brasil. Mestre em Serviço Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Doutorando, Pós Graduação em Ciências Ambientais e Conservação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Brasil.

Referências

ABES. O impacto da pandemia pela covid-19 na gestão dos resíduos sólidos urbanos situação das capitais brasileiras – Pesquisa 2.2. Brasília. Disponível em: http://abes-dn.org.br/wp-content/uploads/2020/08/Pesquisa-ABES-2.1-Pandemia-COVID-19-RSU-Capitais-26.8.2020-2.pdf. Acesso em: 15 de jul. 2020.

ACSERALD, Henri. De “bota foras” e “zonas de sacrifício”: um panorama dos conflitos ambientais no Estado do Rio de Janeiro. In: ACSELRAD, H. (org.).Conflito Social e Meio Ambiente no Estado do Rio de Janeiro.Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2004. p. 7- 18.

ACSERALD, Henri. Justiça ambiental e construção social do risco. Desenvolvimento e Meio Ambiente. Paraná, v.7, n. 5. 49-60, jan./jun. 2002.

ALIER, Joan Martinez. O ecologismo dos pobres: conflitos ambientais e linguagem de valoração. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2017.

ALMEIDA, Silvio Luiz de. Racismo Estrutural. Coleção Feminismos plurais. São Paulo: Pólen, 2019.

ARÁOZ, Horácio Machado. “América Latina” y laecología política delsur. Luchas de re-existencia, revolucion epistémica y migracion civilizatória. In: ALIMONDA, Hector; PEREZ, Catalina Toro; MARTIN, Facundo. Ecología política latinoamericana: pensamiento crítico, diferencia latinoamericana y rearticulaciónepistémic. p.193-223, 2017. Disponível em: https://www.clacso.org.ar/libreria-latinoamericana/buscar_libro_detalle.php?id_libro=1304&campo=autor&texto=. Acesso em: 26 out. 2020.

BRASIL. Política Nacional de Resíduos Sólidos, 2010. Disponível em: http://www2.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=636. Acesso em: 29 ago. 2019.

BRASIL.Decreto 7404. Dispõe sobre a regulamentação da Lei 12.305 de 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/decreto/d7404.htm. Acesso em 27 set. 2019.

GROSFOGUEL, Ramón. A estrutura do conhecimento nas universidades ocidentalizadas: racismo/sexismo epistêmico os quatro genocídios/epistemicídios do longo século XX. Revista Sociedade e Estado, Brasília, v. 31. n.1, jan./abr. 2016.

HERCULANO, Selene. Lá como cá: conflito, injustiça e racismo ambiental. In: SEMINÁRIO CEARENSE CONTRA O RACISMO AMBIENTAL,1, 2006, Fortaleza. Anais [...]. Fortaleza, 2006, p. 1-3.

LEFF, Enrique. Aventuras da epistemologia ambiental: da articulação das ciências ao diálogo dos saberes. São Paulo: Cortez, 2012.

QUIJANO, Anibal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LEHER, Roberto; SETUBAL, Mariana (orgs). Pensamento Crítico e Movimentos Sociais: Diálogos para uma nova práxis. São Paulo: Cortez 2012.

SILVA, Maria das Graças e. Questão ambiental e desenvolvimento sustentável: um desafio ético-político ao Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2010.

SILVA, Maria Ozanira da Silva e. Pobreza, desigualdade e política pública: caracterizando e problematizando a realidade brasileira. Revista Katálysis, Florianópolis, v. 13, n. 2, jul./dez. 2010. Disponível em:https://www.scielo.br/pdf/rk/v13n2/02.pdf. Acesso em: 15 mar 2017.

SILVA, Lays Helena Paes e. Ambiente e justiça: sobre a utilidade do conceito de racismo ambiental no contexto brasileiro. E-cadernos CES, Coimbra, n. 17, p. 85-111, 2012.

SILVA, Luiz. Mercado de trabalho, ontem e hoje: informalidade e empregabilidade como categorias de entendimento. In: RAMALHO, José Ricardo et al. Além da fábrica, trabalhadores, sindicatos e a nova questão social. São Paulo: Boitempo, p. 140-178, 2003.

SILVA. Matheus Thomaz; LEAL, Giuliana Franco. Movimentos sociais ambientais em Macaé (RJ) em período de predomínio da economia extrativista de petróleo: um olhar decolonial a partir da ecologia política. Serviço Social em Revista, Londrina, v.23, n.2, out/dez 2020. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/ssrevista/article/view/38521. Acesso em 6 abr. 2021.

TRATA BRASIL. Ranking de Saneamento. 2019. Disponível em: http://www.tratabrasil.org.br/estudos/estudos-itb/itb/ranking-do-saneamento-2019. Acesso em: 15 jun. 2020.

VIÉGAS, Rodrigo Nuñez. Desigualdade Ambiental e “Zonas de Sacrifício”. Disponível em:https://www.faneesp.edu.br/site/documentos/desigualdade_ambiental_zonas_sacrificio.pdf. Acesso em: 12 jul. 2020.

Downloads

Publicado

2021-08-14

Como Citar

Pereira Bastos, V., & Thomas da Silva, M. . (2021). Questão ambiental, racismo ambiental e covid-19: velhos e novos desafios. Mundo Livre: Revista Multidisciplinar, 7(1), 190-208. Recuperado de https://periodicos.uff.br/mundolivre/article/view/48665

Edição

Seção

Sessão temática