VIOLÊNCIA E TRANSFOBIA: VIVÊNCIAS DE TRAVESTIS QUE EXERCEM A PROSTITUIÇÃO – CAMPINA GRANDE-PB

Autores

Resumo

Este  artigo  problematiza  os  discursos  das  travestis  acerca  das violências vivenciadas durante a atividade prostitucional realizada nas ruas da cidade  de  Campina  Grande-PB.  Foi  realizado  o  mapeamento  dos  espaços de  prostituição  utilizados  pelas  travestis  e  selecionada  uma  amostra,  por acessibilidade,  de  cinco  informantes.  O  estudo  foi  procedido  por  meio  da observação  etnográfica  e  de  entrevistas.  Os  resultados  apontaram  que  as travestis são vítimas de transfobia por desestabilizarem a norma dominante de gênero. A violência à qual estão submetidas é originada pelas significações do que é ser travesti, produzidas a partir do preconceito em relação a esses sujeitos, visto que elas resistem à heteronormatividade e são punidas por isso. As formas de violência se intensificam quando a travestilidade está atrelada à prostituição, pelo fato de essa atividade ser considerada degradante e imoral.

Palavras-chave: Transfobia; Atividade prostitucional; Violências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Idalina Maria Freitas Lima Santiago, Universidade Estadual da Paraíba

Doutora em Ciências Sociais pelo Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, mestre em Ciências Sociais pelo Universidade Federal da Paraíba, graduada em Serviço Social pela Universidade Católica do Salvador. Professora do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da Universidade Estadual da Paraíba e coordenadora do Grupo de Pesquisa Flor e Flor Estudos de Gênero e Sexualidade. Atua nas áreas de Serviço Social, Estudos de Gênero e Feminismos.

Ednaldo da Costa Braz, Centro Estadual de Referência dos Direitos de LGBT e Enfrentamento à LGBTfobia Luciano Bezerra Vieira

Possui licenciatura plena em História pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), bacharelado em Serviço Social pela UEPB e Mestrado em Serviço Social pelo Programa de Pós-Graduação em Serviço Social/UEPB. Atua como Assistente Social no Centro Estadual de Referência dos Direitos de LGBT e Enfrentamento à LGBTfobia Luciano Bezerra Vieira. Integrante do Grupo Flor e Flor- Estudos de Gênero e Sexualidades. Desenvolve estudos e pesquisas nos temas: Direitos Humanos; Movimento LGBT e Movimento de Mulheres; Política dos Idosos e Serviço Social.

Josilene Nascimento, Grupo Flor e Flor Estudos de Gênero e Sexualidade/UEPB

Graduada em Serviço Social/UEPB, mestre em Sociologia/UFPB e doutora em Ciências Sociais/UFCG. Exerceu estágio pós-doc como bolsista do Programa Nacional de Pós-Doutorado/CAPES junto ao Programa de Pós-Graduação em Serviço Social/UEPB, linha de pesquisa "Gênero, diversidade e relações de poder". Tem experiência na área de Sociologia e Serviço Social. Atua nos seguintes temas: estudos de gênero, sexualidade, reforma psiquiátrica, direitos humanos, seguridade social, educação inclusiva, consumo e consumismo, saúde.

Downloads

Publicado

2021-12-17