SAÍDAS DE CAMPO NO ENSINO DE CIÊNCIAS

PESQUISA SOBRE UMA APRENDIZAGEM INTEGRADA SOBRE TEMAS DO MEIO AMBIENTE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47977/2318-2148.2020.v8n12p66

Palavras-chave:

Aulas de campo, Ensino de ciências, Meio Ambiente, Espaços não formais de ensino, Unidades de Conservação

Resumo

Este trabalho investiga as contribuições da realização de saídas de campo para o ensino de ciências, a partir da realização de uma aula numa escola pública da rede municipal de São Gonçalo (RJ) e posteriormente de uma saída de campo no Parque Estadual da Serra da Tiririca (RJ). A coleta de dados aconteceu por meio da confecção de desenhos que representaram ameaças ao meio ambiente abordadas em sala de aula e após a saída de campo. Como resultado, o estudo obteve 24 desenhos, nos quais foi constatado que, após a realização da saída de campo, os estudantes enxergaram de forma integrada e contextualizada as ameaças que podem ocasionar perda de biodiversidade, e uma maior ocorrência de posicionamentos críticos em relação aos casos de injustiça e de crimes ambientais. Os alunos também expressaram admiração e respeito pela biodiversidade e pelo movimento social de criação da unidade de conservação. Concluiu-se que o uso de saídas de campo é benéfico para: a integração e contextualização de conteúdo, sobretudo aqueles que estão ligados à degradação ambiental; potencializar a promoção de uma alfabetização científica; e contribuir para a promoção da conscientização quanto às injustiças ambientais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Letícia da Silva Mello

Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Foi monitora da disciplina Laboratório de ensino III que aborda os temas ecologia e biodiversidade entre os anos 2017 e 2018 e monitora voluntária da disciplina Zoologia V que trabalha com os grupos de vertebrados amniotas em 2019. Foi estagiária do projeto Registro de Guias didáticos produzidos por alunos e professores da FFP nos anos 2018 e 2019 e atuou como estagiária do projeto Ciclo de Conferências Conversas com a Ciência em 2020.

Regina Rodrigues Lisbôa Mendes, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Graduação e licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1997), mestrado (2002) e doutorado (2008) em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Atualmente é professor efetivo - nível adjunto - da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Tem experiência em Educação na área de Formação de Professores, e em Pesquisa na área de Educação Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: educação ambiental na escola, formação de professores em educação ambiental, formação de professores de ciências e biologia e ensino de ciências e biologia.

Referências

ARAÚJO, J. N.; SILVA, MFV. Floresta amazônica: espaço não-formal potencial para aprender botânica. In: Anais do XI Congresso Nacional de Educação–EDUCERE (recurso eletrônico), Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba: Champagnat. 2013.

BARCELLOS, M. M. Elaboração da trilha interpretativa no morro das Andorinhas: uma proposta de educação ambiental no Parque Estadual da Serra da Tiririca. Monografia (Licenciatura plena em Ciências Biológicas). Faculdade de Formação de Professores. Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, 2013.

BARCELLOS, M. M. et al. Elaboração da trilha interpretativa no Morro das Andorinhas: uma proposta de Educação Ambiental no Parque Estadual da Serra da Tiririca, RJ. Anais do Uso Público em Unidades de Conservação, v. 1, n. 2, p. 30-41. 2013

BUENO, F. P. Vivências com a natureza: uma proposta de Educação Ambiental para o uso público em Unidades de Conservação. Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, v.3, n.1, p. 61-78. 2010

CABRAL, S. A.; SEPINI, R. P.; MACIEL, M. D. Alfabetização Científica e o Ensino de Ciências. In: Congreso Iberoamericano de Ciencia, Tecnologia, Inovación y Educacion, 2014, Buenos Aires. Congreso Iberoamericano de Ciencia, Tecnologia, Inovación y Educacion, 2014.

COSTA, E.S.A. et al. Trilhas interpretativas na área verde da escola como estratégia de ensino para aprendizagem de conceitos ecológicos. Revista da SBEnBIO, v.7, p. 1820-1831. 2014

COSTA, P. G. et al. Trilhas Interpretativas para o Uso Público em Parques: desafios para a Educação Ambiental. Revista Brasileira De Ecoturismo (RBEcotur), v. 12, n. 5, p. 818-839. 2019

COSTA, S. M. R. Trilha Interpretativa em Ucs: análise da sua eficácia como método de ensino dos conceitos de bioma e ecossistema. Monografia (Licenciatura plena em Ciências Biológicas). Faculdade de Formação de Professores. Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, 2017.

FERNANDES, D. G.; MIGUEL, J. R. Contribuições de uma aula de campo para a aprendizagem de conhecimentos científicos nos anos iniciais do ensino fundamental. Revista de Educação em Ciências e Matemáticas, Amazônia, v. 13, n. 28, p. 64-77. 2017

GOHN, M. G. Educação não formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, v.14, n.50, p. 27-38. 2006

KRASILCHIK, M. Prática de ensino de biologia. In: CALDEIRA, A. M. A.; ARAUJO, E. S. N. N. (Org.) Introdução à didática da Biologia. 1ed. São Paulo: Escritura Editora, p. 249-258. 2009

LIMA, R. L.; SERRA, H. A questão das atividades práticas no ensino de Ciências. In: SERRA, K et al. (Org). Ensino de Ciências e Educação para a Saúde: uma proposta de abordagem. 1. ed. [S.l.]: Editora UFGD. p. 1-151. 2013

MELLO, L.; SILVA, H. C. M.; COUTO, B. A.; SANTOS, A. M.; MENDES, R. JOGO: O MISTÉRIO DA FLORESTA: ABORDANDO OS PROBLEMAS AMBIENTAIS A PARTIR DAS SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA. In: VIII Encontro Regional de Ensino de Biologia RJ/ES, 2017, RIO DE JANEIRO, RJ. Anais do VIII Encontro Regional de Ensino de Biologia RJ/ES. Niterói, RJ: MGSC Editora, 2017. p. 111-121.

MELLO, L.; MENDES, R. O QUE É ECOLOGIA PRA VOCÊ? ANÁLISE DAS CONCEPÇÕES DE LICENCIANDOS A PARTIR DE UMA ATIVIDADE DE ENSINO. In: IX Encontro Regional de Ensino de Biologia RJ/ES, 2019, Rio de Janeiro. Anais do IX Encontro Regional de Ensino de Biologia - RJ/ES: (Re) Construindo práticas de esperança no ensino de Ciências e Biologia. Niterói, RJ: MGSC Editora, p. 1247-1259. 2019

MENDES, R.; BRITO, R. A. R. O Papel dos Espaços Não-Formais de Educação na Produção de Guias Didáticos por Licenciandos em Biologia da FFP/UERJ. Anais do II Colóquio Práticas de Ensino e Formação de Professores, FFP/UERJ, 18 de novembro de 2008.

MENDES, R; PALÁCIO, T. G. Jogos Didáticos Cooperativos em Educação Ambiental: um caminho possível para mudanças. In: X Encontro Pesquisa em Educação Ambiental, São Cristóvão, SE, 2019.

OLIVEIRA, M. L. Trilha interpretativa na região de itaipu (niterói/rj): uma ferramenta de educação ambiental em espaços não formais de ensino. Monografia (Licenciatura plena em Ciências Biológicas). Faculdade de Formação de Professores. Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, 2018.

PIMENTEL, D. S. et al. Trilhas interpretativas como estratégia de educação ambiental em unidades de conservação. In: Santori, R. T.; Santos, M. G.; Santos, M. C. F. (Org.). Da célula ao ambiente: Propostas para o ensino de Ciências e Biologia. 1ed.São Gonçalo, RJ: Faculdade de Formação de Professores - FFP/UERJ. v. 1, p. 31-45. 2017

PIN, J. R. et al. As trilhas ecológicas como espaços para o ensino de ciências: levantamento de dissertações e teses brasileiras. Revista de Educação, Ciências e Matemática, v. 8, n. 2, p. 125-139. 2018

RODRIGUES, G.; RUAN, J.; MULATO, R.; CASTRO, R.; MENDES, R. Interações Ecológicas através do Jogo 'Memórias das relações': produção e realização de uma oficina pedagógica para alunos do ensino médio. In: Ayres, A. C. M.; GUMARÃES, G.; MENDES, R.; DIAS, R. O. (Org.). Articulando a Universidade e a Escola Básica no Leste Fluminense. 1ªed.Rio de Janeiro: HP Comunicação Associados. v. 01, p. 130-137. 2010

SANTOS, D. A.; PIMENTEL, W. M.; MENDES, R. Produção e Avaliação de Guias Didáticos sobre Ecologia e Biodiversidade na Licenciatura em Ciências Biológicas da FFP-UERJ. In: Santori, R. T.; Santos, M. G.; Santos, M. C. F. (Org.). Da célula ao ambiente: Propostas para o ensino de Ciências e Biologia. 1ed.São Gonçalo, RJ: Faculdade de Formação de Professores - FFP/UERJ. v. 1, p. 31-45. 2017

SANTOS, V. P. Além dos muros da escola: trilhando e interpretando socioambientalmente a área de proteção ambiental do Engenho Pequeno e Morro do Castro – SG, RJ. 2016. 105f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências, Ambiente e Sociedade) - Faculdade de Formação de Professores, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, 2016.

SANTOS, D. A. Avaliação dos guias didáticos sobre ecologia e biodiversidade produzidos por licenciados de Ciências Biológicas da FFP-UERJ. 2012. 58 f. Monografia (Licenciatura em Ciências Biológicas) – Faculdade de Formação de Professores, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, São Gonçalo, 2012.

SCHWARZ, M. L.; SEVEGNANI, L.; ANDRÉ, P. Representações da Mata Atlântica e de sua biodiversidade através dos desenhos infantis. Revista Brasileira de Biociências. v. 5, n. 1, p. 744- 746. 2007

SENICIATO, T.; CAVASSAN, O. Aulas de campo em ambientes naturais e aprendizagem em ciências: um estudo com alunos do ensino fundamental. Ciência & Educação, Bauru, v. 10, n. 1 p. 133-147. 2004

SENICIATO, T.; PINHEIRO DA SILVA, P. G.; CAVASSAN, O. Construindo valores estéticos nas aulas de ciências desenvolvidas em ambientes naturais. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Minas Gerais, v. 8, n. 2, p. 97-110. 2006

SILVA, E. M. O. A. Webquest na Internet: o novo material didático. Revista da FAE, Curitiba, v.11, n.2, p.79-86. 2008

SILVA, D. M.; JÚNIOR, A. L. A relação entre trilhas interpretativas, Interpretação Ambiental e Educação Ambiental, e a importância das espécies arbóreas para essas atividades. In: II Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia. Universidade Tecnológica Federal do Paraná, UTFPR, p. 1-11, 2010.

SOUZA, A. C. M.; MOTA, N. C. J.; SANTOS, A. R.; AIRES, R. M.; RAMOS, V. D. S.; GÓES, A. C. S. Modelo didático de enovelamento do DNA: desvendando os mistérios da compactação. In: VIII Encontro Regional de Ensino de Biologia RJ/ES, 2017, RIO DE JANEIRO, RJ. Anais do VIII Encontro Regional de Ensino de Biologia RJ/ES. Niterói, RJ: MGSC Editora. p. 68-79. 2017

SOUZA, R. F. Percepção ambiental sobre morcegos por estudantes dos 4º e 5º anos do Ensino fundamental I de uma escola do município de Niterói, estado do Rio de Janeiro, 2017, 106 f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências, Ambiente e Sociedade – Faculdade de Formação de Professores, Universidade do Estado do Rio de Janeiro), São Gonçalo, 2017.

Downloads

Publicado

2020-12-31