A janela calendoscópica: educação e sensibilidade através da geografia da arte / The caleidoscope’s window: education and sensibility through geography of art

Valéria Cristina Pereira Silva

Resumo


O presente texto consiste num relato de experiência no ensino superior sobre a forma, os conteúdos e as atividades trabalhadas a partir da disciplina Geografia da Arte. O objetivo central desta proposta consistiu em explorar os saberes, o imaginário e a memória presentes nas obras de arte, como instrumental para interpretar e analisar o espaço, a paisagem, o lugar. A relação entre a cidade e a arte e suas formas de representação foi foco central da experiência analítica, de modo que, a educação do olhar, a percepção e a sensibilidade fossem trabalhadas no processo construtivo de um trajeto semiótico. Uma geografia da arte, assim como, a geograficidade foi se delineando no espaço sensível das representações, no poder imagético da paisagem, na afetividade manifesta no lugar. O papel fundamental da imaginação no processo de conhecimento e a elaboração textual gerada ao longo do percurso completaram o trajeto poético empreendido pela disciplina.

Palavras-chave


Geografia, Arte, Cidade, Sensibilidade, Imaginação

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Miguel Almir Lima de. Os sentidos da sensibilidade: sua fruição no fenômeno do educar. Salvador: Edufba, 2008.

ARGAN, G. C. História da arte como história da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

BACHELARD, Gaston. A água e os sonhos. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

BECKETT, Wendy. História da Pintura. São Paulo: Ática, 1997.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas II: Rua de mão única. São Paulo: Brasiliense, 1995.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas III: Charles Baudelaire um lírico no auge do capitalismo. São Paulo: Brasiliense, 1989.

BOSI, Ecléia. Memória e sociedade: lembrança de velhos. 3ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

CHAVEIRO, Eguimar F. A escrita sensível. Palestra Proferida na Universidade Federal de Goiás em Goiânia, em novembro de 2011.

CALVINO, Ítalo. As cidades invisíveis. São Paulo: Cia das Letras, 1990.

CUMMING, Robert. Para entender a arte. São Paulo: Ática, 1998.

FREIRE, Cristina. Além dos mapas: os monumentos no imaginário urbano contemporâneo. São Paulo: SESC/ANNABLUME/FAPESP, 1997.

KIRINUS, Glória. Lavra-Palavra: recados da boca do bárbaro. Oficina literária apresentada no XIV Ciclo de Estudos sobre Imaginário: As dimensões imaginárias da natureza. Congresso Internacional, Recife: UFPE, 2006.

KIRINUS, Glória. Criança e poesia na pedagogia de Freinet. São Paulo: Paulinas, 2008.

KIRINUS, Glória. Synthomas de poesia na infância. São Paulo: Paulinas, 2011.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2006.

PEIXOTO, Nelson Brissac. Paisagens urbanas. São Paulo: SENAC, 2004.

SCHAPOCHNIK, Nelson. Cartões - Postais, álbuns de família e ícones da intimidade. In: NOVAIS, Fernando A. (org.). História da vida privada no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. p. 425-511.




DOI: https://doi.org/10.22409/geograficidade2012.21.a12817

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Geograficidade

 

 

Logotipo do Crossref Licença Creative Commons

Todos os textos da revista Geograficidade, do Grupo de Pesquisa Geografia Cultural Humanista estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 3.0 Não Adaptada.