Macunaíma, de Mário de Andrade, e Os flagelados do vento leste, de Manuel Lopes: leituras encantadas da tradição oral

Avani Souza Silva

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar, por meio do Comparatismo de Solidariedade (ABDALA JUNIOR, 2003), duas obras pertencentes ao macrossistema literário de língua portuguesa: Macunaíma (1928), do brasileiro Mário de Andrade, e Os flagelados do vento leste (1968), do cabo-verdiano Manuel Lopes. Examinaremos as marcas da oralidade presentes nas obras, assinalando pontos de contato e ruptura com os respectivos contextos socioculturais nos quais elas foram concebidas. Como justificativa para a comparação, ressaltamos que, assim como no Modernismo Brasileiro, um dos postulados do movimento cultural da “caboverdianidade” - de que Manuel Lopes foi um dos adeptos - era a valorização estética do nacional, especialmente em relação à tradição oral.


Palavras-chave


macrossistema literário; tradição oral; literatura cabo-verdiana; literatura comparada; comparatismo de solidariedade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/gragoata.v21i41.33425

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 


A Gragoatá é uma revista dos Programas de Pós-graduação em Letras da UFF:

Ir para Pós Estudos de Linguagem Ir para Pós Estudos de Literatura


ISSN (impresso) 1413-9073 - de 1996 a 2013
ISSN (online) 2358-4114 - de 2014 em diante


A Gragoatá está indexada nas seguintes bases:

Portal de Periódicos da UFF

Latindex Porbase Google Acadêmico Diadorim Periódicos Capes EZB DOAJ Sumários.Org ErihPlus


Licença Creative Commons
A Gragoatá utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.