Narrativas da ausência e do poder: o artifício de representação no romance de tese saramaguiano

Ramsés Albertoni Barbosa, Maria Luiza Igino Evaristo

Resumo


No “romance de tese” A caverna, Saramago cria um artifício de representação que permite elucidar formas de domínio, cuja análise parte da crítica ao funcionamento do princípio do mercado que, de um lado, confina o Estado e deslegitima formas de sociabilidade já propostas, seja pela fase liberal, seja pela fase organizada do capitalismo tardio e, de outro, desoculta outras sociabilidades subalternizadas pela modernidade. Enfatiza-se como os discursos ético-políticos preenchem as condições comunicativas para um autoentendimento hermenêutico de coletividades, porquanto possibilitam uma autocompreensão autêntica e conduzem para a crítica de um projeto de identidade, em que é necessário o preenchimento de certas condições de uma comunicação não-deformada sistematicamente.

 

---

DOI: http://dx.doi.org/10.22409/gragoata.2018n47a1153


Palavras-chave


Saramago; capitalismo tardio; sociabilidades; urbanismo; pós-política.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/gragoata.v23i47.33602

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 


A Gragoatá é uma revista dos Programas de Pós-graduação em Letras da UFF:

Ir para Pós Estudos de Linguagem Ir para Pós Estudos de Literatura


ISSN (impresso) 1413-9073 - de 1996 a 2013
ISSN (online) 2358-4114 - de 2014 em diante


A Gragoatá está indexada nas seguintes bases:

Portal de Periódicos da UFF

Latindex Porbase Google Acadêmico Diadorim Periódicos Capes EZB DOAJ Sumários.Org ErihPlus


Licença Creative Commons
A Gragoatá utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.