A saúde como autorrealização: o imaginário na fanpage “Melhor com saúde”

Denise Cristina Ayres Gomes

Resumo


O artigo visa compreender os deslocamentos dos sentidos da saúde no discurso midiático e suas implicações na sociedade pós-moderna, a partir da seção “foto” da fanpage “Melhor com saúde”. Utilizamos a pesquisa documental e a abordagem da socioantropologia do imaginário de Maffesoli, relacionando-as às noções de cultura terapêutica e sociedade da performance. Verificamos que a seção associa a saúde à autorrealização, imbricando-a a um código moral em que sucesso e felicidade são imperativos. O indivíduo é convocado a se responsabilizar por seu próprio bem-estar e, para tanto, deve consumir informação. O imaginário articulado na fanpage distingue, de um lado, os indivíduos saudáveis, bem-sucedidos, proativos e resilientes; de outro, aqueles de vontade fraca, doentes e sofredores. A saúde corresponde a um empreendimento, portanto, resulta do eficaz gerenciamento de si.


Palavras-chave


Cibercultura; Imaginário; Saúde; Cultura terapêutica; Autorrealização.

Texto completo:

PDF

Referências


AUBERT, N. Hyperformance et combustion de soi. Études. n. 10, 2006, p. 339-351. Disponível em: . Acesso em 8 nov 2018.

AUTOR, 2018.

AUTOR, 2019.

A vida só nos dá uma faísca de loucura. Não devemos perdê-la. Melhor com Saúde. 15 ago. 2018. Disponível em: . Acesso em: 28 out. 2018.

BAUMAN, Zygmunt. Amor líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: Zahar, 2004.

DAVIS, Eric. Techgnosis: myth, magic and mysticism in the age of information. Berkeley: North Atlantic Books, 2015.

EHRENBERG, Alain. O culto da performance: da aventura empreendedora à depressão nervosa. Aparecida: SP, Ideias e Letras, 2010.

Estou onde estou porque nunca me cansei de sonhar, e porque cada ferida não foi mais do que uma razão para ser mais forte. Melhor com saúde. 30 ago. 2018. Disponível em: . Acesso em 28 out. 2018.

FLUSSER, Vilém. O universo das imagens técnicas: elogio da superficialidade. São Paulo: Annablume, 2008.

FREIRE FILHO, João. O poder em si mesmo: jornalismo de autoajuda e a construção da autoestima. Revista Famecos, Porto Alegre, v. 18, n. 3, set/dez 2011, p. 717-745. Disponível em: . Acesso em: 17 dez. 2018.

FUREDI, F. Therapy culture: cultivating vulnerability in an uncertain age. London: Routledge 2004.

HAN, Byung-Chul. Sociedade do cansaço. 2 ed. ; Petrópolis, RJ : Vozes, 2017.

HARARI, Yuval Noah. 21 lições para o século 21. São Paulo: Cia das Letras, 2018.

ILLOUZ, Eva. O amor nos tempos do capitalismo. Rio de Janeiro : Zahar, 2011.

LIPOVETSKY, Gilles. A felicidade paradoxal : ensaio sobre a sociedade de hiperconsumo. 3 reimpr.; São Paulo: Cia das Letras, 2017.

LE BRETON, David. Antropologia da dor. São Paulo: Fap-Unifesp, 2013.

______. Adeus ao corpo : antropologia e sociedade. 6.ed., 4 reimpr.; São Paulo: Papirus, 2016.

MAFFESOLI, Michel. L’imaginaire comme force invisible. Imago, [S.l.], v. 5, n. 8, p. 6-14, dez. 2016. Doi: 10.7413/22818138071. Disponível em: . Acesso em: 12 nov. 2018.

______. Ecosofia: sabedoria da casa comum. Famecos. Porto Alegre (RS), v. 24, n. 1, p. 1-12, jan/abr 2017. Doi:10.15448/1980-3729.2017.1.24007. Disponível em: . Acesso em: 12 nov. 2018.

______. Être postmoderne. Paris: Editions du Cerf, 2018.

Não chore pelo passado, ele se foi; não se estresse pelo futuro, ele ainda não chegou; viva e aproveite o presente. Melhor com saúde. 18 ago. 2018. Disponível em: . Acesso em 28 out. 2018.

NIETZSCHE, Friedrich. O nascimento da tragédia. São Paulo: Cia das Letras, 2007.

Organização Mundial da Saúde (OMS). Constituição da Organização Mundial da Saúde. Nova Iorque: OMS, 1946. Disponível em: < http://www.direitoshumanos.usp.br/index.php/OMS-Organiza%C3%A7%C3%A3o-Mundial-da-Sa%C3%BAde/constituicao-da-organizacao-mundial-da-saude-omswho.html>. Acesso em: 07 nov. 2018.

O perdão chega quando as lembranças deixam de doer. Melhor com saúde. 19 set. 2018. Disponível em: . Acesso em 28 out. 2018.

O tempo não cura nada. Ele apenas nos acostuma à ideia de que algumas coisas estão mudando e é preciso aceitá-las. Melhor com saúde. 27 ago. 2018. Disponível em: . Acesso em 28 out. 2018.

SILVA, Juremir Machado da. Diferença e descobrimento: o que é o imaginário? A hipótese do excedente de significação. Porto Alegre, Sulina, 2017, p. 22.

Sofremos muito pelo que nos falta e desfrutamos pouco o muito que temos. Melhor com saúde. 21 ago. 2018. Disponível em: . Acesso em 28 out. 2018.

SUSCA, Vicenzo. A tecnomagia e o cotidiano. Sociologia da emoção pública. Famecos. Porto Alegre (RS), v. 24, n. 1, jan/avr 2017, p. 1-11. Disponível em: . Acesso em 24 set. 2018.

Vamos rir de tudo, porque a tristeza não se cura com mais tristeza. Melhor com saúde. 26 jul. 2018. Disponível em: . Acesso em 28 out. 2018.




DOI: https://doi.org/10.22409/ppgmc.v13i1.27595

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano - PPGMC (UFF)

Endereço: Rua Tiradentes, nº 148 - Ingá - Niterói - Rio de Janeiro - CEP 24.210-510

Site: http://www.ppgmidiaecotidiano.uff.br

Telefone/Fax: (21) 2629-9684/ (21) 2629-9681