Da teoria à prática: a dança como uma ferramenta semiótica de tradução

Carlos Gonçalves Tavares

Resumo


O presente estudo tem por objetivo relacionar conceitos da semiótica
de Charles Sanders Peirce e da tradução intersemiótica nas criações em dança, a partir dos diálogos entre dança e literatura e outras linguagens artísticas, como o teatro e aparatos técnicos. A literatura possui ligação intima com o balé clássico, através dos libretos do século XVIII. Os libretos eram utilizados como um roteiro narrativo da obra literária em que se adaptavam os espetáculos de balé, como “O Quebra-Nozes” e “A bela Adormecida”. Na dança contemporânea notamos a tradução de características estéticas literárias em coreografias, como o espetáculo
May B, criado por Maguy Marin e inspirado no universo estético do dramaturgo Samuel Beckett.
tradução intersemiótica; dança; história da dança


Palavras-chave


tradução intersemiótica; dança; história da dança

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, Daniella de. Da literatura para a dança: a prosa-poética de Gertrude Stein em tradução intersemiótica. Tese de doutorado.

Programa de Pós-Graduação em Letras UERJ. Rio de Janeiro. 2013.

AGUIAR, Daniella de; QUEIROZ, João. (2008). Sobre tradução intersemiótica e aplicações em dança. (monografia apresentada ao

edital de apoio à pesquisa da Fundação Cultural do Estado da Bahia).FUNCEB/UFBA, Salvador. 2008. Disponível:. Acesso em janeiro de 2014.

BRIONES, Hector. Um ruído de asas, de plumas...: reflexões sobre o espetáculo May B, de Maguy Marin. Cadernos do GIPE-CIT:

Grupo Interdisciplinar de Pesquisa e Extensão em Contemporaneidade, Imaginário e Teatralidade. Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade federal da Bahia, nº 22. 2009.

CAMPOS, Haroldo de. Metalinguagem e outras metas: ensaios de teoria e crítica literária. 2ª Ed. Petrópolis: Nosso Tempo. 1970.

CANTON, K. E o príncipe dançou... o conto de fadas da tradição oral à dança contemporânea. Editora Ática, 1994.

ECO, Umberto. Dire quasi la stessa cosa: esperienze di traduzione. 4ª Ed. Milano: Studi Bompiani. 2006.

GREBLER, Albertina. Coreografias de Pina Bausch e Maguy Marin: a teatralidade de uma Dança Contemporânea. Tese de Doutorado.

Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas. UFBA. Salvador. 2006.

JAKOBSON, Roman. On linguistic aspects of translation. In.: VENUTI, Lawrence (edited). The translation studies reader. London; New York: Routledge. P. 113-118. 2000.

KATZ, Helena; GREINER, Christine. Por uma teoria do corpomidia ou a questão epistemológica do corpo. Cuenca, UCLM: Archivo

Virtual de Artes Escénicas.2005. Disponível em . Acesso em fevereiro de 2014.

LEPECKI, André. Exhausting dance: performance and the politics of the movement. New York: Routledge, 2006.

MATOS, Lúcia. Corpo, identidade e a Dança Contemporânea. Cadernos GIPE-CIT. Salvador, nº 10. 2000.

MCLUHAN, Marshall. Os meios de comunicação como extensão do ser humano. Cultrix. 1964.

PEIRCE, Charles Sanders. Semiótica. São Paulo: Perspectiva. 1974.

PLAZA, Julio. Tradução intersemiótica. São Paulo: Perspectiva. 1987.

SANTAELLA, Lúcia. Matrizes da linguagem e pensamento. São Paulo: Iluminuras. 2005.

SANTAELLA, Lúcia. Semiótica aplicada. São Paulo: Thomson. 2007.

SASPORTES, J. Pensar a dança: a reflexão estética de Mallarmé a Cocteau. Editora Imprensa Nacional – Casa da Moeda. 1983.

SILVA, Diego da. GROTTO, Valdair. Vídeo, Dança e Comunicação e suas ligações com mídia. XII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Centro-Oeste. Goiânia Intercom Centro-Oeste. 2010.

SOUZA, Aguinaldo Moreira. Body word. language confluence in night journey. Revista Trans-Form-Ação. Marília, vol.24, no 1. 2001. Disponível em: Acesso em novembro de 2014.

SPANGHERO, Maíra. A dança dos encéfalos acesos. São Paulo: Itaú Cultural. 2003.

VALESKA, Olga. Dança e linguagem: a semiótica como via de acesso. In: IX SEMINÁRIO NACIONAL DE DANÇA CONTEMPORÂNEA

DA UFMG, Belo Horizonte. Anais eletrônicos... IX Seminário Nacional de Dança Contemporânea da UFMG. Belo Horizonte: PRODAEXEEFFTO/ UFMG. P. 91- 99. 2010.




DOI: https://doi.org/10.22409/poiesis.1625.143-154

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Carlos Gonçalves Tavares