Figuras que irrompem no desacordo: proposições através d’A Mosca e Holy Motors

Isabel Veiga Rezende

Resumo


O presente trabalho propõe uma análise detalhada de duas sequências dos filmes A Mosca(David Cronenberg, 1986) e Holy Motors (Leos Carax, 2016). Buscamos mostrar como ambas as passagens concentram e explicitam o desacordo entre corpo e pessoa/sujeito, inventando uma nova lógica figurativa para os protagonistas. No primeiro caso, um cientista que se transforma em inseto gigante, e no segundo um ator que se confunde com seus personagens. Nos alimentamos de uma questão cara ao cinema moderno, a saber, a insubordinação a tudo que limita o Homem a um ser biológico, comunicativo e racional. Afastando-se dos modelos naturalistas, o cinema (e as outras artes) pode então contrariar sua suposta vocação realista e experimentar o enlouquecimento das formas fílmicas, em que as forças de deformação e metamorfose agem substancialmente sobre as forças de conservação e contenção.

Palavras-chave


corpo; pessoa/sujeito; metamorfose; cinema

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/ayvu.v4i1.22228

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

A Ayvu: Revista de Psicologia tem por objetivo favorecer a produção e a livre circulação de ideias que contribuam para a construção de uma Psicologia concernida com sua diversidade interna, suas múltiplas interfaces, o exame crítico de si e de seu tempo, assim como suas implicações teóricas e éticas. Para tanto, opera em regime de fluxo contínuo, publicando artigos originais e inéditos, traduções, entrevistas e resenhas.

Convidamos todas e todos que compartilham dos nossos objetivos a conhecer nossas publicações, e a contribuir com a produção de novos materiais.

Boas leituras!


Equipe editorial

Ana Cabral Rodrigues, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Augusto Cesar Freire Coelho, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Camilo Barbosa Venturi, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Gustavo Cruz Ferraz, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Thiago Constâncio Ribeiro Pereira, Universidade Federal Fluminense (UFF)