Política da Representação

Ester Hamburguer

Resumo


Destacando a questão da apropriação dos mecanismos culturais em
situação de 'exclusão" nas favelas do Brasil, o artigo aponta para a
emergência de uma literatura "marginal" no país e para a dominação da
linguagem escrita nos segmentos sociais que foram, por séculos,
excluídos por sua "iliteralidade". A autora associa a questão da natureza
do espetáculo aos ataques palestinos ocorridos, nos últimos trinta anos, e
analisados a partir do arquivo da BBC. O ponto de partida é o 11 de
setembro, evento que expressa o domínio sobre a arte da representação e
é expressão máxima da guerrilha de controle dos espetáculos midiáticos.
Essas diferentes experiências de controle da representação têm um
aspecto comum: a violência com que são representadas, fazendo das
convenções do espetáculo cinematográfico e da mídia espetáculos do 49
terror. Nesse sentido, ocupam lugares chaves no mundo contemporâneo,
a começar pelo próprio controle sobre os mecanismos de construção da
representação.

Palavras-chave


1. Mídia 2. Inclusão social 3. Política de representação

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/contracampo.v0i08.431

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Qualis: B1
ISSN: 2238-2577