Tecnologias digitais e temporalidades múltiplas no ecos-sistema jornalístico

Autores

  • Carlos Eduardo Franciscato Universidade Federal de Sergipe

DOI:

https://doi.org/10.22409/contracampo.v0i0.27115

Palavras-chave:

Temporalidade, Mediação Tecnológica, Ecossistema Jornalístico

Resumo

Novas formas de temporalidades múltiplas demarcam a experiência jornalística contemporânea em um ambiente de expansão de mediações tecnológicas transfigurando a institucionalidade das mídias em uma multiplicidade de novos ambientes e práticas comunicacionais. Esta proposta de análise é explorada neste artigo por meio de uma articulação entre as noções de temporalidade e de mediação tecnológica. A investigação executou pesquisa bibliográfica e documental em literatura de referência e diagnósticos de institutos de pesquisa sobre as transformações recentes do jornalismo digital, oferecendo elementos para entender essas novas temporalidades jornalísticas atravessadas pela mediação tecnológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANDERSON, c. w.; BELL, E.; SHIRKY, C.. Jornalismo pós-industrial: adaptação aos novos tempos. Revista de Jornalismo ESPM, Nº 5, abr-jun 2013, p. 30-89.

ANTUNES, Elton. Acontecimento, temporalidade e a construção do sentido de atualidade no discurso jornalístico. Contemporanea, vol. 6, nº 1. Jun.2008, p. 1-21.

BECKER, Beatriz. Vida na Mídia: além do jornalismo. Entrevista com Mark Deuze. Revista Eco Pós, V. 19, Nº.1, 2016, p. 200-216.

BERGER, Peter; LUCKMANN, Thomas. A construção social da realidade: tratado de sociologia do conhecimento. 4. ed. Petrópolis, Vozes, 1978.

BERNERS-LEE, Tim; HENDLER, James; LASSILA, Ora. The Semantic Web. Scientific American Special Online Issue, abr/2002, p. 24-30.

COULDRY, Nick. Mediatization or mediation? Alternative understandings of the emergent space of digital storytelling. new media & society, Vol10(3). Los Angeles: SAGE, 2008, p. 373-391.

DURKHEIM, Emile. The elementary forms of the religious life. New York : Free Press 1965.

ELIAS, Norbert. Sobre o tempo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed. 1998.

FRANCISCATO, Carlos E. A Fabricação do Presente – Como o Jornalismo Reformulou a Experiência do Tempo nas Sociedades Ocidentais. São Cristóvão (SE): Editora UFS/Fundação Oviedo Teixeira, 2005.

GIDDENS, Anthony. A constituição da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

GIRARDI JÚNIOR, Liráucio. De mediações em mediações: a questão da tecnicidade em Martín-Barbero. Matrizes, V.12 - Nº 1 jan./abr. 2018, p. 155-172.

GOMIS, Lorenzo. Teoría del periodismo - Cómo se forma el presente. Barcelona: Paidós, 1991.

GUERRA, Josenildo L. O Percurso Interpretativo na Produção da Noticia. São Cristóvão: Editora UFS/Fundação Oviêdo Teixeira, 2008.

LAMMEL, Iuri; MIELNICZUK, Luciana. Aplicação da Web Semântica no jornalismo. Estudos em Jornalismo e Mídia. Vol. 9, Nº 1, jan/jun 2012

LUNT, Peter; LIVINSTONE, Sonia. Is ‘mediatization’ the new paradigm for our field? A commentary on Deacon and Stanyer (2014, 2015) and Hepp, Hjarvard and Lundby (2015). Media, Culture & Society, Vol. 38(3). London: Sage, 2016, p.462–470.

MARCONI, Francesco; SIEGMAN, Alex. The Future of Augmented Journalism: A guide for newsrooms in the age of smart machines. New York, Associated Press, 2013.

MARTIN-BARBERO. Jesús. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. 6. ed. Editora UFRJ, 1997.

____________________. Uma aventura epistemológica. Matrizes, Ano 2 – nº 2 primeiro semestre de 2009, p. 143-162.

____________________. Dos meios às mediações: 3 introduções. Matrizes, V.12, Nº 1, jan./abr. 2018, p. 9-31.

MEAD, George Herbert. The Philosophy of the Present. Illinois: Open Court Publishing Company, 1959.

MEDINA, Cremilda. A arte de tecer o presente: narrativa e cotidiano. São Paulo: Summus Editorial, 2003.

NEWMAN, Nic et al. Digital News Report 2018. Reuters Institute for the Study of Journalism. Oxford: United Kingdom, 2018, 143 p.

NEWMAN, Nic. Journalism, media, and technology - Trends and predictions 2018. Reuters Institute for the Study of Journalism. Oxford: United Kingdom, 2017, 50 p.

PALACIOS, Marcos. Convergência e memória: jornalismo, contexto e história. Matrizes, Ano 4, Nº 1 jul./dez. 2010, p. 37-50.

PEW RESEARCH CENTER. The State of the News Media 2016. Washington, DC, United States of America, 118 p.

SANTARÉM SEGUNDO, José E.; CONEGLIAN, Caio S.; LUCAS, Elaine R.. Conceitos e tecnologias da Web semântica no contexto da colaboração acadêmico-científica: um estudo da plataforma Vivo. TransInformação, 29(3), set./dez. 2017, p. 297-309.

SEGRE, Sandro. A Weberian Theory of Time. Time & Society, Vol 9 (2/3), Jun/Sept 2000, p. 147-170.

SIGNATES, Luiz. Estudo sobre o conceito de mediação e sua validade como categoria de análise para os estudos de Comunicação. Novos Olhares, nº 12, 2º semestre 2003, p. 4-19.

SILVERSTONE, Roger. The Sociology of Mediation and Communication. In: CALHOUN, Craig; ROJEK, Chris; TURNER, Bryan S. The SAGE Handbook of Sociology. New York: SAGE, 2005, p. 188-207.

SODRÉ, Muniz. Reinventando a Cultura - A Comunicação e Seus Produtos. Petrópolis: Vozes, 1996.

SOROKIN, Pitirim; MERTON, Robert. Social time: a methodological and functional analysis. The American Journal of Sociology, Vol. XLII, N. 5, Mar 1937, p. 615-629.

Publicado

2019-08-31 — Atualizado em 2021-01-25

Versões