Representação, identidade e a emergência de uma nova discursividade política: minorias sexuais e de gênero na série Merlí

Fernanda Elouise Budag, Nara Lya Cabral Scabin

Resumo


No pano de fundo de nossas discussões, o que nos move é o interesse em investigar as dimensões da potencialidade de geração de reconhecimento, por parte de atores sociais, das representações construídas pela série ficcional Merlí, produção catalã disponível no Brasil desde 2016 via plataforma de streaming Netflix. Olhamos para esse objeto empírico, sobretudo, a partir dos conceitos de análise de discurso (CHARAUDEAU, 2010), visando estudar as  representações sobre gênero e sexualidade presentes na obra. De modo distinto de muitos produtos midiáticos, que por vezes acabam por produzir mais invisibilidades, sustentamos a tese de que Merlí tensiona representações correntes de grupos minoritários, em sintonia com uma discursividade política emergente na contemporaneidade – um “novo imaginário político”, nas palavras de Fraser (2006).


Palavras-chave


Discurso; Gênero; Sexualidade; Subjetividade; Reconhecimento

Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO, Inácio. 19 jan. 2018. Protagonista de 'Merlí' utiliza filosofia como 'pau pra toda obra'. Disponível em: . Acesso em: 23 out. 2018.

ARAUJO, Inácio. 25 fev. 2018. 'Merlí' mantém inventividade até o fim. Disponível em: . Acesso em: 23 out. 2018.

BRESSIANI, Nathalie. Redistribuição e reconhecimento – Nancy Fraser entre Jürgen Habermas e Axel Honneth. Caderno CRH, Salvador, v. 24, n. 62, pp. 331-352, mai./ago. 2011. Disponível em: . Acesso em: 23 out. 2018.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das mídias. São Paulo: Contexto, 2010.

FRASER, Nancy; HONNETH, Axel. ¿Redistribución o reconocimiento?. Madrid: Morata, 2006.

FRASER, Nancy. “Da redistribuição ao reconhecimento? Dilemas da justiça numa era pós-socialista”. Trad. Julio Assis Simões. Cadernos de Campo, São Paulo, n. 14/15, pp. 231-239, 2006. Disponível em: . Acesso em: 23 out. 2018.

GOIS, Antônio. 18 jun. 2018. Merlí e os afetos na escola. Disponível em: . Acesso em: 23 out. 2018.

GOMES, Mayra Rodrigues. Comunicação e identificação: ressonâncias no jornalismo. São Paulo: Ateliê editorial, 2008.

HALL, Stuart. Cultura e representação. Rio de Janeiro: Apicuri, 2016.

HALL, Stuart. A centralidade da cultura: notas sobre as revoluções culturais do nosso tempo. Educação & Realidade, v. 22, n. 2, pp. 15-46, jul./dez. 1997. Disponível em: . Acesso em: 28 jan. 2019.

HALL, Stuart. “Some ‘politically incorrect’ pathways through PC”. In: DUNANT, Sarah (ed.). The war of the words: the political correctness debate. London: Virago, 1994, pp. 164-183. Disponível em: . Acesso em 02 Fev. 2019.

ORICCHIO, Luiz Zanin. 13 fev. 2018. Capítulos de 'Merlí', da Netflix, mostram que disciplina nada tem de chata. Disponível em: . Acesso em: 23 out. 2018.

RIBEIRO, Renato Janine. 09 mar. 2018. Série Merlí, da Netflix, mostra como conectar ensino médio à vida do jovem. Disponível em: . Acesso em: 23 out. 2018.

TENENTE, Luíza. 03 maio 2018. Criador da série 'Merlí' critica pouco espaço da filosofia nas escolas: ‘é ela que formaria cidadãos questionadores’. Disponível em: . Acesso em: 23 out. 2018.




DOI: https://doi.org/10.22409/contracampo.v0i0.28049

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 
Qualis: B1
ISSN: 2238-2577