A sustentabilidade na visão de colaboradores de rádios comunitárias: estudo no semiárido do Piauí

Autores

  • Elinara Barros Universidade Federal do Piauí
  • Wilza Gomes Reis Lopes Universidade Federal do Piauí https://orcid.org/0000-0002-3567-6831
  • Orlando Maurício de Carvalho Berti Universidade Estadual do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.22409/contracampo.v40i1.48705

Palavras-chave:

Comunicação Comunitária, Sustentabilidade, Percepção, Piau´´í

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar a percepção dos colaboradores de rádios comunitárias do Semiárido do Piauí, estado do Nordeste do Brasil, quanto ao desenvolvimento sustentável e como tratam a questão nos programas. A pesquisa foi realizada em oito municípios e foram realizadas 25 entrevistas, em visitas in loco ocorridas no mês de agosto de 2019. Foi possível perceber que os colaboradores vinculam desenvolvimento sustentável mais intensamente à dimensão ambiental e que essa temática é tratada apenas nos programas jornalísticos, não tendo espaço nos programas musicais; algumas das rádios pesquisadas possuem a autorização de rádio comunitária, mas atuam como rádio comercial; e que o pouco número de colaboradores e a falta de qualificação dos colaboradores são fatores limitantes para as produções dessas rádios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elinara Barros, Universidade Federal do Piauí

Doutoranda e mestra em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal do Piauí (UFPI). 

Wilza Gomes Reis Lopes, Universidade Federal do Piauí

Arquiteta, Doutora, professora titular do Departamento de Construção Civil e Arquitetura (DCCA), do Centro de Tecnologia (CT) e do Mestrado em Doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente (PRODEMA) da Universidade Federal do Piauí (UFPI), Teresina, Piauí, Brasil

Orlando Maurício de Carvalho Berti, Universidade Estadual do Piauí

Professor, pesquisador e extensionista do curso de Bacharelado em Jornalismo da UESPI - Universidade Estadual do Piauí. Líder do Grupo de Pesquisa em Comunicação Alternativa, Comunitária, Popular e Tecnologias Sociais.

Referências

BAUTISTA, L. A. N. La radio comunitaria en función del desarrollo. Revista Estudios del Desarrollo Social: Cuba y América Latina, v.4, n.2, p.52-64, 2018.

BRASIL. Lei 9.612/98. Institui o Serviço de Radiodifusão Comunitária e dá outras providências. Disponível em: https://bityli.com/rF5Wu. Acesso em: 02 jan. 2021.

BRASIL. MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Sistema Nacional de Unidades Conservação – SNUC. 2000. Disponível em: https://bityli.com/tDwjU. Acesso em: 23 nov. 2020.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD contínua): educação 2019. Disponível em: https://bityli.com/hdaH4. Acesso em: 15 dez. 2020.

ICMBIO. Parques Nacionais. Disponível em: https://bityli.com/1QL15. Acesso em: 17 dez. 2020.

ICOMRÁDIO. Ubiqua: onde, quando, por quê? Disponível em: https://bityli.com/KaL18. Acesso em: 12 jan. 2021.

FERNANDES, M. Desenvolvimento sustentável: antinomias de um conceito. Raízes. v.21, n.02, p.246-260, 2002.

FERREIRA, D. J. N. Rádio no contexto da convergência midiática: contribuições para o desenvolvimento local. Revista Rádio-Leituras, v.09, n.01, p.93-115, 2018.

GOMES, A. L. Z. Dificuldades e tendências na trilha das rádios comunitárias. In: PERUZZO, C. M. K.; OTRE, M. A. C. Comunicação Popular, Comunitária e Alternativa no Brasil: Sinais de resistência e de construção da cidadania. São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2015, p. 349-364.

GOMES, U. A. F.; HELLER, L. Acesso à água proporcionado pelo Programa de Formação e Mobilização Social para Convivência com o Semiárido: Um Milhão de Cisternas Rurais: combate à seca ou ruptura da vulnerabilidade? Eng. Sanit. Ambient., v.21 n.3, p.623-633, jul-set 2016.

MADSEN, N. Mulheres e Comunicação no Brasil: 1995 a 2015. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Disponível em: https://bityli.com/45mwm. Acesso em: 20 dez. 2020.

MALERBA, J. P. Por uma genealogia das rádios comunitárias brasileiras. LOGOS: Comunicação e Universidade, v.24, n.01, p.08-22, 2017.

MARTINO, L.C. Sobre o conceito de comunicação: ontologia, história e teoria. Questões Transversais – Revista de Epistemologias da Comunicação, v.7, n.14, p.13-25, 2019.

MEDEIROS, R. Função Social do Rádio Local Entre Desertos de Notícia e Zonas de Silêncio: reverberações da migração AM – FM. Revista Latino-americana de Jornalismo, v.7, n.01, p.360-378, 2020.

MIANI, R. A. O papel das rádios comunitárias no contexto de desenvolvimento sociopolítico local no Paraná. Ação Midiática, n.13, p.55-74, 2017.

NICOLETTI, F. N. Comunicación popular, historia y medios comunitarios. Question, v. 1, n.56, ed. 012. Disponível em: https://doi.org/10.24215/16696581e012. Acesso em: 05 jan. 2021.

PERUZZO, C. M. K. Comunicação popular e comunitária em práticas de desenvolvimento rural na região de Borborema (PB – Brasil). Revista Comunicação & Sociedade, v.37, n.2, p.183-208, 2015.

RIOS, P. P. S.; BASTOS, A.S.; BARROS, E. R. Mulheres no Semiárido Brasileira: uma história invisibilizada. Revista Ouricuri, v.5, n.2, p.01-17, 2015.

SANTOS, E. et al. Rádios comunitárias no Brasil: entre a clandestinidade e a relevância social. Chasqui. Revista Latinoamericana de Comunicación, n.140, p.129-146, 2019.

SARTORETTO, P. Explorando a dimensão empírica da cidadania comunicativa e direito à comunicação. Observatorio (OBS*) Journal, v.8, n.3, p.115-129, 2014.

SENA, A. et al. Medindo o invisível: análise dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável em populações expostas à seca. Ciência & Saúde Coletiva, v.21, n.3, p.671-683, 2016.

SERVAES, J. Comunicación para el desarrollo sostenible y el cambio social: Una visión general. CIC – Cuadernos de Información y Comunicación, n.17, p.17-40, 2012.

SILVA, A. C. M.; DANTAS, J. B. A. Web Rádio Como Extensão das Ondas Hertzianas da Rádio Comunitária. Razón y Palabra, n.86, p.156-169, 2014.

SUDENE. Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste. Resolução n. 107, DE 27 de 27 de julho de 2017. (2017a). Disponível em: https://bityli.com/ZUUaR. Acesso em: 10 jan. 2021.

SUDENE. Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste. Resolução n. 115, de 23 nov. 2017. (2017b). Disponível em: https://bityli.com/3UP4Z. Acesso em: 08 jan. 2021.

SUZINA, A. Evolução das mídias populares no Brasil (1980-2015): avanços, desafios e perspectivas. Revista de Comunicação Dialógica, n.1, p.166-195, 2019.

VOLPATO, M. O. Configurações e tendências das rádios comunitárias do interior paulista. In: PERUZZO, C. M. K.; OTRE, M. A. C. Comunicação Popular, Comunitária e Alternativa no Brasil: Sinais de resistência e de construção da cidadania. São Bernardo do Campo: Universidade Metodista de São Paulo, 2015, p. 326-348.

Downloads

Publicado

2021-04-30

Edição

Seção

Artigos