Entre gamers e fãs

performance e identidade de jogadores de videogames

Autores

Palavras-chave:

Fãs, Jogadores, Comunidades, Performances, Gamer

Resumo

O objetivo deste artigo é discutir aproximações e distinções entre dois atores nas redes: o gamer e o fã de jogos. O debate inclui o autorreconhecimento dos jogadores como fãs ou como gamers, a elaboração de suas identidades em relação a estas denominações e os estigmas que elas carregam. A análise é feita por meio de questionário aplicado em comunidades de jogos e entrevista em profundidade com jogadores. A partir dos resultados, identificamos dois perfis principais de jogador na comunidade: aquele que produz conteúdo (jogador-produtor) e aquele que consome (jogador-espectador). Dentre as principais contribuições, destacamos a percepção de encontros de jogadores online como comunidades de fãs, a valorização do processo de autorreconhecimento do fã e as semelhanças e diferenças entre fãs e gamers, a partir do olhar dos próprios jogadores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Clarice Greco, Programa de Pós-graduação em Comunicação da UNIP

Professora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Paulista (UNIP). Doutora e mestre em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP). Vice-coordenadora do Grupo de Estudos de Análise de Produtos Audiovisuais (GRUPA).

André Dal Bello, Centro Universitário Braz Cubas

Mestre em Comunicação pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Paulista (UNIP). Professor do Centro Universitário Braz Cubas (BC) e da Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Integrante do Grupo de Estudos de Análise de Produtos Audiovisuais (GRUPA).

Referências

BARTLE , Richard. Hearts, Clubs, Diamonds, Spades: Players Who Suit Muds. Mud.co.uk, 1996. Disponível em: http://mud.co.uk/richard/hcds.htm

BOOTH, Paul. Between fan and player. Popular Communication: The International Journal of Media and Culture. Vol. 18, 2020.

BOOTH, Paul. Board gamers as fans. New York: The Routledge Companion to Media Fandom. 1st Edition, 2017

DUTTON, Nathan et al. Digital pitchforks and virtual torches: fan responses to the mass effect news debacle. Convergence: The international journal of research into new media technologies, v. 17, n. 3, p. 287-305, 2011.

FALCÃO, Thiago. E-Sports, herdeiros de uma tradição. Intexto, Porto Alegre, UFRGS, n. 45, p. 246-267, maio/ago 2019

FISKE, John. The Cultural Economy of Fandom. In : LEWIS, Lisa A. The Adoring Audience : Fan Culture and Popular Media. London: Routledge, 1992.

GERAGHTY, Lincoln. Cult Collectors: nostalgia, fandom and collecting popular culture. New York, Routledge, 2014.

GOFFMAN, Erving. Estigma: Notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 1980.

HILLS, M. O fandom como objeto e os objetos do fandom. Entrevista a Clarice Greco. In: MATRIZes, v.9, nº1, jan/jun, p.147-163, 2015

JENKINS, Henry. Textual Poachers: Television Fans and Participatory Culture. New York, Routledge, 1992.

JENKINS, Henry. Cultura da Convergência. São Paulo: Aleph, 2009.

LÉVY, Pierre. O que é o Virtual. São Paulo: 34, 1996.

LOPES, Maria Immacolata Vassallo et al. A Autoconstrução do Fã: performances e estratégias de fãs de telenovela na internet. In: LOPES, Maria Immacolata Vassallo (org). Por Uma Teoria de Fãs da Ficção Televisiva Brasileira. Porto Alegre: Sulina, 2015. p. 17-64.

LOPES, Maria Immacolata Vassallo et. al. Sujeito acadêmico e seu objeto de afeto: aca-fãs de ficção televisiva no Brasil. In: LOPES, M.I.V. (Org.). Por uma teoria de fãs da ficção televisiva brasileira II: práticas de fãs no ambiente da cultura participativa. 1ed.Porto Alegre: Sulina, 2017, v. 2, p. 367-404.

LOPES, Maria Immacolata Vassallo. Pesquisa em Comunicação. São Paulo, Loyola. 8. ed., 2005.

LUPINACCI, Ludmila. "Da minha sala pra sua": Teorizando o fenômeno das lives em mídias sociais. (Pre-print Scielo, Upcoming Galaxia), 2021.

MASON, Paul. A History of RPGs: Made by Fans; Played by Fans. Transformative Works and Cultures, no.11, 2012.

PAZ, Samyr; MONTARDO, Sandra. P. Performance play: consumo digital como performance no streaming de games da plataforma Twitch. Revista Fronteiras – Estudos Midiáticos. 20(2):190-203 maio/agosto 2018

SANDVOSS, Cornel. Quando Estrutura e Agência se Encontram: os fãs e o poder. Ciberlegenda, n. 28. 1, p. 8-41, 2013.

ZIMMERMAN, Eric; SALEN, Katie. Regras do Jogo: Interação Lúdica. Volume III. São Paulo: Blucher, 2012.

Downloads

Publicado

2021-12-30