A pervasividade do neoliberalismo nas representações de trabalho precário no game Death Stranding

Autores

Palavras-chave:

Representação; Neoliberalismo; Trabalho; Games; Death Stranding.

Resumo

Um dos jogos mais esperados da última geração de consoles foi Death Stranding (2019), sobretudo em função da fama de seu realizador, Hideo Kojima, e das mecânicas de jogo inovadoras que eram demonstradas a partir de press releases e vídeos de divulgação de seus realizadores. Neste artigo, detemo-nos a observar a pervasividade do neoliberalismo em elementos de game design, mecânicas e plot narrativo do jogo em questão, sobretudo preocupados com o motivo da precarização do trabalho. Para tanto, contamos com as teorias do trabalho (ANTUNES, 1999), trabalho de plataforma (SRNICEK, 2017; SLEE, 2017; SUNDARARAJAN, 2016) e do neoliberalismo (DARDOT e LAVAL, 2016; FOUCAULT, 2008, HARVEY, 2008) para embasarmos nossa analítica crítica do jogo com base na observação de sistemas (LUHMANN, 2000).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Abath, Universidade Federal da Paraíba

Daniel Neves Abath Luna

Doutor em Sociologia, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, Paraíba, Brasil

Professor e pesquisador

E-mail: dnabath@gmail.com

ID do ORCID: https://orcid.org/0000-0001-9685-0752

 

Referências

ABÍLIO, Ludmila Costek. Uberização do trabalho: subsunção real da viração. Disponível em: https://passapalavra.info/2017/02/110685/. Acesso em: 24 ago. 2020.

______. Uberização: do empreendedorismo para o autogerenciamento subordinado. Revista Psicoperspectivas, v.18, n. 03, p. 41-51, 2019.

ANTUNES, Ricardo. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Cortez Editora, 1999.

BAUDRILLARD, Jean. Simulacros e simulação. Lisboa: Relógio D’Água, 1991.

BOAS, Taylor C.; GANS-MORSE, Jordan. Neoliberalism: from new liberal philosophy to anti-libe¬ral slogan. Studies in Comparative International Development, v. 44, n. 2, p. 137-161, 2009.

CASTELLS, Manuel. A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

COSTANZA-CHOCK, Sasha. Design justice: community-led practices to build the worlds we need. Cambridge, MA: The MIT Press, 2020.

CRARY, Jonathan. 24/7: Capitalismo tardio e os fins do sono. Tradução Joaquim Toledo Jr. São Paulo: Cosac Naif, 2014.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Editora Boitempo, 2016.

DAVIES, William. The limits of neoliberalism: authority, sovereignty and the logic of com¬petition. Los Angeles; London; New Delhi : Sage, 2014.

DEATH stranding, Kojima Productions, Sony Interactive, 2019.

FALCÃO, Thiago; MARQUES, Daniel; MUSSA, Ivan. BOYCOTTBLIZARD: capitalismo de plataforma e a colonização do jogo. Contracampo, Niterói, v. 39, n. 2, p. 59-78, abr./jul. 2020.

FOUCAULT, Michel. Nascimento da biopolítica: curso dado no Collège de France (1978-1979). Tradução Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

HAN, Byung-Chul. Sociedade do cansaço. Tradução de Enio Paulo Giachini. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2017.

HARVEY, David. O neoliberalismo: história e implicações. São Paulo: Loyola, 2008.

LUHMANN, Niklas. La realidad de los medios de masas. Traducción y prólogo de Javier Torres Nafarrate. Barcelona: Anthropos Editorial; México: Universidad Iberoamericana, 2000.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. Livro I: o processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

MISKOLCI, Richard. Sociologia digital: notas sobre pesquisa na era da conectividade. Contempoânea, Salvador, v. 6, n. 2, p. 275-297, jul./dez. 2016.

RIFKIN, Jeremy. Sociedade com o custo marginal zero: a internet das coisas, os bens comuns colaborativos e o eclipse do capitalismo. São Paulo: M. Books, 2016.

SADIN, Éric. La silicolonisation du monde: le irresistible expansion du libéralisme numérique. Paris: Éditions L’Échappée, 2016.

SLEE, Tom. Uberização: a nova onda do trabalho precarizado. São Paulo: Elefante, 2017.

SRNICEK, Nick. Platform capitalism. [s.l.]: John Wiley & Sons, 2017.

SUNDARARAJAN, Arun. The sharing economy: the end of employment and the rise of crowd-based capitalism. Massachussets: The MIT Press, 2016.

VENUGOPAL, Rajesh. Neoliberalism as concept. Economy and Society, v. 44, n. 2, p. 165- 187, 2015.

VIRILIO, Paul. O espaço crítico. Tradução de Paulo Roberto Pires. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1993.

Downloads

Publicado

2021-12-30