ENSAIO SOBRE UMA ESCOLA DE EDUCAÇÃO E CULTURA POLÍTICAS/ ESSAY ABOUT A SCHOOL OF EDUCATION AND CULTURE POLITICS / ENSAYO SOBRE UNA ESCUELA DE POLÍTICA DE EDUCACIÓN Y CULTURA

Autores

  • Maurício da Cunha Savino Filó UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE (UNESC)
  • José Isaac Pilati Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

DOI:

https://doi.org/10.22409/rcj.v4i7.201

Palavras-chave:

Escola de Educação e Cultura Políticas, novos saberes, pensamento crítico, Education School and Policies Culture, ‘juspolitics-philosophical” thought, new knowledge, critical thinking, Raumsol.

Resumo

Resumo: O presente artigo discute e amplia a proposta de uma Escola de Educação e Cultura Políticas, aventada nos anos 1930 pelo pensador argentino Raumsol. O texto desenvolve-se em três seções: novos saberes latinos americanos; a crítica ao pensamento ‘juspolítico-filosófico”; e conclusivamente a proposta de Raumsol, que o texto dirige ou amplia para um foco mais atual. Conclui pela necessidade de se partir para ideias desse tipo para enfrentar a subserviência cultural mediante a projeção de um pensamento crítico.

Abstract: This article discusses and expands the proposal for a School of Political Education and Culture, mooted in the 1930s by the Argentine thinker Raumsol, in a possible application in Brazil. The text of the article was extracted from the finished scientific research. Use of approach deduction method and monographic procedure method. The text is developed into three sections: new Latin American knowledge; the critic of the "juspolitics-philosophical" thought; and conclusively the Raumsol’s proposal that the text extends to a more current focus. It is possible to conclude that ideas like these are necessary to face the cultural subservience.

Resumen: Este artículo discute y amplía la propuesta de Escuela de Educación Política y Cultura, propuesta en la década de 1930 por el pensador argentino Raumsol. El texto se desarrolla en tres apartados: nuevos conocimientos latinoamericanos; crítica del pensamiento ‘juspolítico-filosófico”; y en definitiva la propuesta de Raumsol, que el texto dirige o amplía a un enfoque más actual. Concluye por la necesidad de partir de ideas de este tipo para enfrentar el servilismo cultural a través de la proyección del pensamiento crítico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maurício da Cunha Savino Filó, UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE (UNESC)

Doutorando em Direito pelo Programa de Pós-Graduação em Direito - PPGD - da Universidade Federal de Santa Catarina. Possui Graduação (2004) e Pós-Graduação lato sensu em Direito Processual pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2004). Possui Mestrado em Teoria do Direito pela Universidade Presidente Antônio Carlos - UNIPAC - (2010), onde lecionou até 2011, no 1º semestre. Leciona desde agosto de 2011, na Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC). Atualmente leciona Teoria Geral do Processo e Prática Processual Administrativa, sendo que participa do Núcleo Docente Estruturante do Curso de Direito. Possui certificado de conhecimento da língua italiana, emitido pela Università per Stranieri Perugia (2006). Advogado com experiência na área do Direito Civil, Direito Trabalhista e Direito Administrativo.

José Isaac Pilati, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Graduado em Direito pela Universidade Federal do Paraná (1973), Mestre (1989) e Doutor (1995) em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professor Titular da Universidade Federal de Santa Catarina, credenciado junto ao Programa de Pós-Graduação em Direito da UFSC. Leciona direito das coisas e direito romano; na Pós-Graduação, pesquisa e leciona direito sanitário (Mestrado), e tutelas coletivas (no Curso de Doutorado). Envida esforços para resgatar o estudo das fontes romanas , realizando traduções e introduzindo o estudo do latim no Curso de Direito da UFSC, coordenando o Grupo Ius Dicere, que reúne pesquisadores de graduação e pós-graduação. Integra a Comissão Científica da Revista Interpretatio Prudentium da Universidade de Lisboa. Possui experiência de advocacia (desde 1974) e serviço público estadual (Secretaria da Saúde e Departamento de Saúde Pública de Santa Catarina 1980-1990). Foi Juiz do TRE/SC na classe jurista de 2005 a 2007. Agraciado com a comenda da Ordem do Mérito Judiciário em 2007 pelo Tribunal de Justiça de Santa Catarina; homenageado pela Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina em 2013 como um dos fundadores da Corte Catarinense de Mediação e Arbitragem; distinguido com a medalha João Davi Ferreira Lima, em 2014, pela Câmara Municipal de Florianópolis. Presidiu a Academia Desterrense de Letras (Cad. 23), de Florianópolis e a Academia de Letras de Palhoça (Cad. n. 9), a Fundação José Arthur Boiteux, é Vice-Presidente da Academia Catarinense de Letras Jurídicas - ACALEJ, ocupando a Cadeira 02, que tem por Patrono José Arthur Boiteux, e pertence à Diretoria do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina. É membro da Academia Catarinense de Filosofia, da Academia Sul Brasileira de Letras (Cad. n. 39) e da Instância da Poesia Crioula. No Programa de Pós-Graduação em Direito da UFSC trabalha: no Mestrado, na área de concentração Direito, Estado, Sociedade, com a linha de pesquisa: Conhecimento Crítico, Historicidade Subjetividade, Multiculturalismo; no Doutorado com as seguintes linhas de pesquisa: Conhecimento Crítico, Historicidade Subjetividade, Multiculturalismo; e Sociedade, Controle Social e Sistema de Justiça. Últimas publicações, livros: "Audiência Pública na Justiça do Trabalho", em 2015 pela Lumen Juris; "Digesto de Justiniano livro segundo - jurisdição", traduzido diretamente do Latim, em 2013, Edufsc. Ocupa-se no momento da tradução do Livro III da compilação de Justiniano: De Postulando. Ocupa o cargo de Vice-Diretor do Centro de Ciências Jurídicas. Coordenador Científico do XII Congresso Direito UFSC.

Referências

BRASIL. RE 825682 AgR. Relator Ministro Teori Zavascki, Segunda Turma, julgamento em 10.2.2015, DJe de2.3.2015. Disponível em:
http://www.stf.jus.br/portal/jurisprudencia/menuSumario.asp?sumula=1227. Acesso em: 20 set. 2016.
CAPELLA, Juan Ramón. Fruto proibido: uma aproximação histórico-teórica ao estudo do direito e do estado. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2002.
DEULOFEU, Alejandro. Nascimiento, Grandeza y muerte de lascivilizaciones. La matemática de la História. Buenos Aires: 1978.
FRANCO, Afonso Arinos de Mello. Discurso. In: GONZÁLEZ PECOTCHE, Carlos Bernardo. Colección de la revista Logosofia – Volume IV. São Paulo: Ed. Logosófica, 1982, p. 266.
GONZÁLEZ PECOTCHE, Carlos Bernardo. Colección de la revista Logosofia – Volume IV. São Paulo: Ed. Logosófica, 1982.
LEVENE, Ricardo; GONZÁLEZ, Ariosto D.; BENITEZ, Justo Pastor; DONOSO, Ricardo. América contemporânea. In: LEVENE, Ricardo, História das Américas, Volume IX. Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre: W.M. Jackson inc., 1965.
PENDLE, George. História da América Latina. Tradução de M. Helena Albarran de Carvalho. Lisboa: Editora Ulisseia, 1963.
PILATI, José Isaac. Audiência pública na Justiça do Trabalho. Rio de Janeiro: Lumen Iuris, 2015.
______. Propriedade e função social na pós-modernidade. Rio de Janeiro: Lumen Iuris, 2011.
PINTO, Simone Rodrigues. O pensamento social e político Latino-Americano: etapas de seu desenvolvimento. Soc. estado, Brasília, v. 27, n. 2, p. 337-359, ago. 2012. Disponível em:<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-69922012000200007&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 19 set. 2016.
RAUMSOL. Artículos e Publicaciones (Recopilación). Rosario: Establ. Gráfico Pomonio, 1937.
______. Nueva Concepción Política. Buenos Aires: Editorial Lytton, 1940.
ROCHER, Guy. Sociologia Geral. Tradução de Ana Ravara. 2ª ed. Lisboa: Editora Presença, 1977.
RODRIGUES, Nelson. À sombra das chuteiras imortais. São Paulo: Cia. das Letras, 1993. p.51- 52: Complexo de vira-latas
SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do pensamento abissal. Novos Estudos CEBRAP 79, nov. 2007, p. 71-94.
SANTOS, Raquel Paz dos. Repensando as relações Brasil-Argentina a partir da diplomacia cultural (1930-1940). In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 23, 2005, Londrina. Anais do XXIII Simpósio Nacional de História – História: guerra e paz. Londrina: ANPUH, 2005. CD-ROM.
WOLKMER, Antônio Carlos. Introdução ao pensamento jurídico crítico. 9ª ed. São Paulo: Saraiva, 2015a.
______. Pluralismo jurídico, movimentos sociais e Processos de lutas desde américa latina. In: WOLKMER, Antonio Carlos; LIXA, Ivone Fernandes M. Constitucionalismo,
descolonización y pluralismo jurídico en América Latina. Aguascalientes: CENEJUS/Florianópolis: UFSC-NEPE, 2015b, p. 95- 100.

Downloads

Publicado

2017-06-13