A RESTAURAÇÃO REACIONÁRIA NO BRASIL EM TEMPOS DE PANDEMIA

Autores

Palavras-chave:

Brasil, Pandemia, Bolsonarismo, Fascismo, Extrema-direita, Crise de hegemonia, Revolução-restauração.

Resumo

Neste artigo buscaremos em primeiro lugar expor brevemente os principais argumentos daqueles que sustentam a interpretação do autoritarismo contemporâneo brasileiro como uma reedição do fascismo com novos contornos. Em seguida pretendemos utilizar o conceito de “revolução-restauração”, formulado por A. Gramsci nos Quaderni del Carcere, como modelo heurístico para interpretação do bolsonarismo como uma forma específica da restauração autoritária no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

LUCIANA ALIAGA, UFPB

PROFESSORA DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E DO PROGRAMA DE POS GRADUAÇÃO EM CIENCIA POLÍTICA E RELAÇÕES INTERNACIONAIS - PPGCPRI/UFPB. LÍDER GRUPO DE PESQUISA MATERIALISMO E MODERNIDADE. SECRETARIA IGS-BRASIL.

Referências

ALIAGA, L. “Pandemia e Violência Estrutural no Brasil”. DPolitik. João Pessoa-PB, 2020. Disponível em https://dpolitik.com.br/leitor/edicao-i---maiojunho---2020.

ALIAGA, L. “Revolução passiva: um conceito em construção”. Anais do I Colóquio Internacional Antonio Gramsci – International Gramsci Society, Campinas: Unicamp, 2017.

ALIAGA, L. “Revolução passiva e revolução-restauração: dois conceitos em construção”. II Colóquio Internacional Antonio Gramsci – International Gramsci Society, Unesp, Marília, 2019 (no prelo).

ALMEIDA, R. “Bolsonaro presidente: conservadorismo, evangelismo e a crise brasileira”. Novos estudos CEBRAP, São Paulo, v38, n.01, pp. 185‑213, jan. –abr., 2019.

BOITO JR, A. “Por que caracterizar o bolsonarismo como neofascismo”. Revista Crítica Marxista, n.50, p.111-119, 2020.

BONGIOVANNI, B. “Bonapartismo”. In D’ORSI (org.) Gli ismi della politica. Roma: Viella, 2010.

CASTELO, R. “Gramsci e o conceito de crise orgânica”. Revista Margem Esquerda nº. 19. São Paulo: Boitempo editorial, out/ 2012.

COUTINHO, C. N. “Notas ao texto”. In A. GRAMSCI, Cadernos do Cárcere, v. 4. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

DIAS, E. Gramsci em Turim, a construção do conceito de hegemonia. São Paulo: Xamã: 2000.

DITEC- INSTITUTO NACIONAL DE CRIMINALÍSTICA, LAUDO No. 1242/2020 - INC/DITEC/PF, disponível em https://assets.documentcloud.org/documents/6923169/Decis%C3%A3o-de-Celso-de-Mello-que-liberou-v%C3%ADdeo-de.pdf. Consultado em 22/05/2020.

DEL ROIO, M. T. “A particularidade da revolução passiva no Brasil: uma tradução de Gramsci. In _________. Gramsci e a emancipação do subalterno. São Paulo: Unesp, 2018.

DEL ROIO, M. “A URSS e o socialismo de Estado”. In PINHEIRO, J. (org.). Marx: Crise e transição. Marília: Oficina Universitária, 2014.

DEL ROIO, M. T. “Translating passive revolution in Brazil”. Capital & Class, nº. 36(2), 2012, p. 215 –234.

D’ORSI, A. “Fascismo”. In _____(org.) Gli ismi della politica. Roma: Viella, 2010.

FELICE, F. “Revolução passiva, fascismo, americanismo em Gramsci”. In FRANCO FERRI, Política e História em Gramsci, vol. I, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

FERNANDES, F. A Revolução Burguesa no Brasil. Ensaio de interpretação sociológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.

FRESU, G. Nas trincheiras do ocidente: lições sobre fascismo e antifascismo. Ponta Grossa: UEPG, 2017.

GRAMSCI, A. Quaderni del carcere: edizione critica dell’Istituto Gramsci a cura di Valentino Gerratana, Torino: Einaudi, 2007.

LIGUORI, G.; VOZA, P. Dizionario gramsciano. Roma: Carocci, 2009.

LÖWY, M. “Conservadorismo e extrema-direita na Europa e no Brasil”. Revista Serviço Social, São Paulo, n. 124, p. 652-664, out./dez. 2015.

LÖWY, M. “O neofascista Bolsonaro diante da pandemia”. Blog da Boitempo. Disponível em https://blogdaboitempo.com.br/2020/04/28/michael-lowy-o-neofascista-bolsonaro-diante-da-pandemia/.

GUIRADO, M. “Entre Discurso e Ato, há muito mais do que se imagina”. Psicologia USP, volume 30, 2019.

MARX, K. “O 18 Brumário de Luís Bonaparte”. In A revolução antes da revolução, São Paulo: Expressão Popular, 2008.

MIGUEL, L. F. O colapso da democracia no Brasil: da Constituição ao golpe de 2016. São Paulo: Fundação Rosa Luxemburgo; Expressão Popular, 2019.

RICUPERO, B. “Notas sobre o bonapartismo, o fascismo e o Bolsonarismo”. Revista Carta Maior, 11/12/2019. Disponível em https://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Notas-sobre-o-bonapartismo-o-fascismo-e-o-bolsonarismo/4/46033. Consultado em 24/06/2020.

ROCHA, C. “‘Imposto é Roubo!’ A Formação de um Contrapúblico ultraliberal e os Protestos Pró-Impeachment de Dilma Rousseff”. Dados, Rio de Janeiro, vol.62(3), 2019.

SAMPAIO JR, P. A. Crônica de uma crise anunciada: crítica à economia política de Lula e Dilma. São Paulo: SG-Amarante Editorial, 2017.

SOLANO, Esther; ORTELLADO, Pablo; MORETTO, Márcio. “2016, o ano da polarização?”. Análise, n. 22, 2017.

Downloads

Publicado

2021-01-24