Licenciamento ambiental de empreendimentos eólicos: a sustentabilidade como restrição ao engajamento na ação coletiva

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22409/revistaensaios.v17.46499

Palavras-chave:

Sociologia Ambiental, Sustentabilidade, Conflitos Ambientais, Licenciamento Ambiental, Energia Eólica

Resumo

O artigo tem como objetivo analisar especificidades que compõem a estrutura de restrições e oportunidades para os conflitos socioambientais decorrentes da implantação de empreendimentos eólicos no Brasil, na etapa de seu licenciamento ambiental. Para isso, apresenta algumas particularidades da implantação desta tipologia de empreendimentos de geração de energia, tanto em relação aos impactos quanto à legislação associada a eles. Por fim, sugere que sua divulgação vinculada à ideia de desenvolvimento sustentável implica grande aceitação social e, portanto, desmobiliza as resistências iniciais a sua instalação. Tais condições impõem restrições e oportunidades singulares para o engajamento na ação coletiva e demandam o desenvolvimento de novos repertórios confrontacionais que reivindiquem o não subdimensionamento de seus impactos e a devida atenção à legislação associada a esses empreendimentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cassia Cardoso de Miranda, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Sociologia e Antropologia (PPGSA) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Pesquisadora da área de Sociologia Ambiental. Integrante do núcleo de pesquisa Desenvolvimento, Trabalho e Ambiente (DTA).

Downloads

Publicado

2021-03-25

Edição

Seção

Artigos