O Programa Paiterey: educação popular para a produção e o consumo de alimentos na Terra Indígena Sete de Setembro, Brasil.

Autores

  • Xênia de Castro Barbosa IFRO
  • Pedro Rammom dos Santos Silva
  • José Henrique dos Santos Nogueira

DOI:

https://doi.org/10.22409/resa2020.v13i2.a27621

Resumo

Este trabalho resulta do projeto de extensão “Ambiente e Saúde: um olhar para o perfil epidemiológico e a vulnerabilidade social do Território Rural de Identidade Rio Machado”, desenvolvido no Núcleo de Extensão em Desenvolvimento Territorial do Território Rural de Identidade Rio Machado (NEDET Rio Machado), em Rondônia/BR. Dentre os objetivos perscrutados buscou-se (1) analisar o Plano de Gestão Etnoambiental da Terra Indígena Sete de Setembro, denominado Programa Paiterey, (2) discutir as diretrizes do referido Plano no que concerne à reconexão entre produção e consumo de alimentos saudáveis e sustentáveis, (3) avaliar sua aderência ou não aos Objetivos do Milênio O estudo pautou-se no método documental (GODOY, 1995; SÁ-SILVA, ALMEIDA, GUINDANI, 2009) e em procedimentos da pesquisa etnográfica (SPRADLEY, 1979; WIELEWICKI, 2001), dentre as quais a observação participante e registros fotográficos e em caderno de campo. Os resultados apontam o Programa Paiterey como ação cultural para a liberdade, ensejada na esteira da educação popular. Com o Programa foi possível observar avanços do povo Paiter suruí na construção de uma cultura voltada para a soberania alimentar e a melhoria das condições de saúde do grupo a partir do controle do território e da consolidação de um sistema agroalimentar mais sustentável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-08-31

Edição

Seção

Artigos