O Programa saúde na escola

dos limites da intersetorialidade à proposição desde o Sul

Autores

  • Marcelo Paraiso Alves UniFOA/IFRJ https://orcid.org/0000-0002-6236-3224
  • Cinthia Emerenciana De Almeida UniFOA https://orcid.org/0000-0001-5665-7034
  • Érik Imil Viana Farani UniFOA https://orcid.org/0000-0001-6218-9580
  • Alexandre Palma graduação em Educação Física pela Universidade Gama Filho (1986), mestrado em Educação Física pela Universidade Gama Filho (1995), doutorado em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz (2002) e estágio de pós-doutorado no Instituto de Psiquiatria (IPUB) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (2005) e no Programa de Pós-graduação em Ciências do Exercício e do Esporte da Universidade Gama Filho (2014). Atualmente, é professor associado da Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde leciona na Escola de Educação Física e Desportos. Atua, ainda, como parecerista dos seguintes periódicos: Journal of Sports Sciences, Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Revista Movimento, Ciência & Saúde Coletiva e Arquivos em Movimento (UFRJ). Tem experiência acadêmica no campo da Educação Física nas seguintes áreas: treinamento desportivo, atividade física e promoção da saúde e futebol. https://orcid.org/0000-0002-4679-9191

Resumo

O presente estudo objetivou investigar a noção de intersetorialidade oriunda do documento Passo a Passo: caminhos da Intersetorialidade e seus desdobramentos na Educação de Jovens e Adultos de uma escola pública no interior do Estado do Rio de Janeiro. Em detrimento da especificidade desse estudo – EJA –, os desdobramentos investigativos se desenvolveram em apenas duas escolas, visto o atendimento restrito do programa a essa modalidade de ensino. O escopo metodológico se desenvolveu por intermédio da análise documental relacionada ao PSE e da pesquisa de campo de cunho qualitativa. O instrumento utilizado para a produção dos dados empíricos emergiu da entrevista semiestruturada realizada com os(as) docentes, equipe diretiva, enfermeiros(as) e membros do GTI Municipal. Os resultados apresentaram uma diferença quanto ao modo de desenvolvimento do programa nas escolas investigadas revelando sinais de que os sujeitos ordinários interferem localmente nas políticas estabelecidas pelo poder público.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Paraiso Alves, UniFOA/IFRJ

Doutor em Educação (UFF). Estágio Pós Doutoral pela UERJ. Desenvolve Estágio pós doutoral em Educação Física na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Aluno da Especialização Internacional em Epistemologias do Sul (CLACSO) em EAD. Mestrado em Historia Social pela Universidade Severino Sombra, Pós-graduação Lato-sensu em Treinamento Desportivo pelo UniFOA, Pós-Graduação Lato-sensu em Educação Motora pelo UniFOA. Graduação em Educação Física pela Fundação Oswaldo Aranha (1989),. Estágio Pós Doutoral pela UERJ. Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Educação Física Escolar, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, educação física, formação profissional, esporte e história. É docente do Programa de Mestrado em Ensino em Ciências da Saúde e do Meio Ambiente (UNIFOA) e docente nos cursos de graduação e licenciatura em Educação Física (disciplinas de Corporeidade, Educação Física Aplicada a Educação Básica e Fundamentos Históricos da Educação Física).Desde fevereiro de 2009, está lotada no Instituto Federal do Rio de Janeiro campus Volta Redonda lecionando no Curso de Automação Industrial.

Cinthia Emerenciana De Almeida, UniFOA

graduação em Educação Física pelo Centro Universitário de Volta Redonda-UniFOA- (2007). , atuando principalmente nos seguintes temas: escolarização;escola profissional; educação física e disciplinarização; pós- graduação em Ciências da Performance Humana pela Universidade Federal do Rio de Janeiro- UFRJ- (2009); pós- graduação em Educação Física Escolar pelo Instituto de Educação Física e Desportos/UERJ(2014) e mestrando no curso Ciências da Saúde e Meio Ambiente pelo Centro Universitário de Volta Redonda - UniFOA(2017).

Érik Imil Viana Farani, UniFOA

Mestranda em Ensino em Ciências da Saúde e Meio Ambiente pela FOA/UniFOA, 2019. Possui pós-graduação em Leitura e Produção de Texto pela Universidade de Taubaté (2000). Graduação em Psicologia pela Universidade Estácio de Sá (2005) e Graduação em Letras pela Fundação Educacional Rosemar Pimentel (1998). Ampla experiência em sala de aula como professora de Língua Portuguesa, nos níveis fundamental, médio e superior. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia Escolar e Psicologia Social. Gerente da Divisão de Áreas Técnicas e Educação em Saúde (DATES) da Secretaria Municipal de Saúde de Volta Redonda. Coordena o Setor de Educação em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde do Município de Volta Redonda. Atuou como Coordenadora do Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET-Saúde/GRADUASUS), pela Secretaria Municipal de Saúde em parceria com o Centro Universitário (UniFOA). Coordena o Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde (PET-Saúde/Interprofissionalidade) pela Secretaria Municipal de Saúde em parceria com o Centro Universitário (UniFOA).

Downloads

Publicado

2021-02-20

Como Citar

Alves, M. P., De Almeida, C. E., Farani, Érik I. V., & Palma, A. (2021). O Programa saúde na escola: dos limites da intersetorialidade à proposição desde o Sul. Ensino, Saude E Ambiente, 13(3), 21-40. Recuperado de https://periodicos.uff.br/ensinosaudeambiente/article/view/40388

Edição

Seção

Artigos