Conflito socioambiental como mote à educação ambiental crítica

estudo de um contexto de conflito ambiental na Baixada Fluminense

Autores

Resumo

Este artigo reflete, antes de tudo, uma atividade voltada para o que pretendemos constituir quanto Educação Ambiental Crítica (EA-Crítica) em sala de aula, antagonizando para o que seria uma Educação Ambiental Conservadora (EA-Conservadora). Enquanto a primeira considera a perspectiva do conflito de interesses dentro de uma sociedade de classes, a segunda interage apenas com as questões informacionais fornecidas na escola, sem vínculos com os problemas sociais existentes, quer dizer, não é suficiente para desenvolver um pensamento efetivo de cuidado com o meio ambiente por parte dos alunos. Para tanto foi utilizado um conflito socioambiental localizado em Duque de Caxias, que considerou os moradores de uma Unidade de Conservação e o poder público, neste momento. Nosso estudo passa pelo contexto de injustiças, muito comuns nos conflitos, pressupondo que os alunos, quando inseridos em uma prática que mostre diferenças econômicas e de poder, possam utilizar em sua formação e construir maneiras de resolução de problemas quando assim apresentados.  A pesquisa participante aqui foi construída, por meio de entrevistas com os envolvidos do conflito com a participação efetiva dos estudantes, estes construíram um roteiro de perguntas e ficaram por dentro do conflito, contribuindo também com a análise. Por fim, os estudantes buscaram possíveis soluções para o conflito, considerando os estudos sobre as causas ambientais, sobre as descobertas e trocas realizadas pelo professor na interação com os alunos (fora e dentro da sala de aula), o que efetivou uma Educação Ambiental Crítica em sala de aula.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiano Ramos de Carvalho, Instituto Federal do Rio de Janeiro

Mestrando em Ensino de Ciências, do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências (Propec) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ).

Alexandre Maia do Bomfim, Instituto Federal do Rio de Janeiro

Doutor em Ciências Humanas-Educação, Professor Associado III, do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências (Propec) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ), Nilópolis, Rio de Janeiro, Brasil

Downloads

Publicado

2021-02-20

Edição

Seção

Artigos