Paradigma preventivo e lógica identitária nas abordagens sobre o Hip Hop

Rodrigo Lages e Silva, Rosane Neves da Silva

Resumo


Este artigo faz uma revisão das pesquisas acadêmicas sobre o Hip Hop, apontando a preponderância do conceito de identidade nas referidas teorizações. Neste sentido, pretende-se contextualizar a ascensão do conceito de identidade nas visões sobre o Hip Hop, em direção a sua conjugação com o conceito de cidadania. Tal lógica identitária está intimamente ligada à construção da noção de categorias desviantes. Forjada sob o pano de fundo da urbanização, a lógica identitária é a expressão acadêmica de uma racionalidade a que denominamos de paradigma preventivo, cuja função é antecipar-se a uma eventual potência violenta que os jovens moradores de periferia representariam. Portanto, trata-se de entender a fabricação do subúrbio e da juventude como problema social, analisando, assim, as concepções que dão sustentação aos ideais corretivos e moralizantes que as abordagens sobre o Hip Hop expressam através de uma ênfase nos seus benefícios identitários.

Palavras-chave


Hip Hop; Identidade; Insegurança; Psicologia Social

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: