O cotidiano de usuários de CAPS: empoderamento ou captura?

Autores

  • Rafael Albuquerque Figueiró UFRN
  • Magda Diniz Dimenstein UFRN

Palavras-chave:

Palavras-chave, Reforma psiquiátrica, ajuda mútua, empoderamento, CAPS.

Resumo

Nas últimas décadas, a reforma psiquiátrica brasileira tem investido na criação de serviços e qualificação dos técnicos. Porém, consideramos que a atenção técnica/especializada tem limitações para atender diversas demandas dos usuários que se apresentam no cotidiano dos serviços e que muitas formas de cuidado podem ser produzidas entre os próprios usuários. O presente artigo discute o tema da ajuda mútua e empoderamento entre usuários de CAPS na perspectiva de ressaltar a importância de se investir nessa dimensão instituinte da reforma. Fazendo uso da entrevista e da observação participante nesses serviços, percebemos que o modo de funcionamento e a gestão dos CAPS, bem como a concepção terapêutico-clínica da equipe técnica, tendem a barrar as possibilidades de ajuda mútua entre os usuários dificultando o empoderamento dos mesmos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Albuquerque Figueiró, UFRN

Pesquisador da area de saude mental, mestre em psicologia pela ufrn.

Magda Diniz Dimenstein, UFRN

Professora do Departamento de Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Pesquisadora do CNPq. Doutora em Saúde Mental pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Publicado

2010-08-30

Como Citar

Figueiró, R. A., & Dimenstein, M. D. (2010). O cotidiano de usuários de CAPS: empoderamento ou captura?. Fractal: Revista De Psicologia, 22(2), 431-446. Recuperado de https://periodicos.uff.br/fractal/article/view/4807

Edição

Seção

Temáticas Diversas