Ansiedade e depressão em mães de crianças com distúrbios de linguagem: a importância do trabalho interdisciplinar

Luciane Beltrami, Ana Paula Ramos de Souza, Luciéle Oliveira Dias

Resumo


Este artigo analisa a associação entre os estados emocionais de mães e suas repercussões na interação com seus filhos portadores de distúrbios de linguagem. A metodologia qualitativa abrangeu o estudo de dois casos de crianças com dispraxia verbal e suas mães. A coleta constituiu-se da filmagem das interações das crianças com suas mães, e da avaliação psicológica destas por meio de entrevista e da aplicação da Escala Beck e da técnica projetiva do desenho, casa, árvore e pessoa (H-T-P). Observou-se que em ambos os casos as mães apresentaram níveis de ansiedade e depressão que afetavam o relacionamento delas com seus filhos, o que se refletia no modo como dialogavam com os mesmos, e não favorecia sua evolução linguística. Concluiu-se sobre a importância da clínica interdisciplinar, com participação da psicologia e fonoaudiologia em casos de distúrbios de linguagem para que sejam oferecidos o suporte social e apoio psicológico adequados aos pais para lidarem com o distúrbio de linguagem do filho e também para refletirem sobre o exercício de suas funções parentais.


Palavras-chave


Palavras-chave: linguagem; avaliação psicológica; interação mãe-filho.

Texto completo:

PDF

Referências


BECK, A. T.; STEER, R.A. Beck Depression Inventory Manual. San Antonio: Psychological Corporation, 1993.

BERNARDINO, L. Aspectos psíquicos do desenvolvimento infantil. In: WANDERLEY, D. B. O cravo e a rosa - a Psicanálise e a Pediatria: um diálogo possível? Salvador: Ágalma, 2008. p. 54-66.

BUCK, J. N. H-T-P Casa-árvore-pessoa, técnica projetiva de desenho: manual e guia de interpretação. São Paulo: Vetor; 2003.

BUIZA-NAVARRETE, J. J.; ADRIAN-TORRES, J. A.; GONZÁLEZ-SÁNCHES, M. Marcadores neurocognitivos em el transtrono específico del lenguaje. Revista de Neurologia, Barcelona, v. 44, n. 6, p. 326-333, jan./jun. 2007.

CID, M. F. B.; MATSUKURA, T. S.; SILVA, M. D. P. O impacto da saúde mental materna: estilo parental, suporte social e desenvolvimento sócio-emocional dos filhos. CoPG – Congresso de Pós-Graduação e 7ª Jornada Científica Da UFSCAR, São Carlos. 2007, Anais. UFSCAR, 3:1634.

CONDE, A.; FIGUEIREDO, B. Ansiedade na Gravidez: Implicações para a saúde e desenvolvimento do bebê e mecanismos neurofisiológicos envolvidos. Acta Pediatr Port, v. 1, n. 36, p. 41-49. 2005.

CORREIA, L.L.; LINHARES, M.B.M. Ansiedade materna nos períodos pré e pós-natal: revisão da literatura. Rev Latino-am Enfermagem. v. 15, n. 4, jul./ago. 2007.

COUTO, E. R. et al. Qualidade de vida, depressão e ansiedade em gestantes com má história gestacional. São Paulo Med. J. [online], v. 127, n. 4, p. 185-189, 2009.

CRESTANI, A. H. et. al. A experiência da maternidade e a dialogia mãe-filho com distúrbio de linguagem. Rev. CEFAC. v. 14, n. 2, p. 350-360, mar./abril 2012.

CUNHA, J. A. Manual da versão em português das Escalas Beck. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2001.

FAISAL-CURY, A., MENEZES, P.R. Ansiedade no puerpério: prevalência e fatores de risco. Rev. Bras. Ginecol. Obstet. v. 28, n. 3, mar. 2006.

FERREIRA, C. L et al. Universidade, contexto ansiogênico? Avaliação de traço e estado de ansiedade em estudantes do ciclo básico. Rev. Ciênc. Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v. 14, n. 3, maio/jun. 2009.

FLORES, M. R; RAMOS, A. P.; MORAES, A., BELTRAMI, L. Associação entre indicadores de risco ao desenvolvimento infantil e estado emocional materno. Rev. CEFAC, n. ahead, p.00-00, 2012. ISSN 1516-1846.

FRIZZO, G. B. et al. Depressão pós-parto: evidências a partir de dois casos clínicos. Psicologia Reflexão Crítica. Porto Alegre, v. 23, n. 1, jan./abr. 2010.

GABBARD, G. O. Psiquiatria psicodinâmica na prática clínica. 4. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

KUPFER, M. C. M. Pesquisa multicêntrica de indicadores clínicos de risco para o desenvolvimento infantil. 2008. Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2010.

KUPFER, M. C. M.; BERNARDINO, L. M. F. As relações entre construção da imagem corporal, função paterna e hiperatividade: reflexões a partir da Pesquisa IRDI. Rev. latinoam. psicopatol. Fundam. São Paulo, v. 12, n.1, mar. 2009.

LEMOS, C. T. G. Los procesos metafóricos y metonímicos como mecanismos de cambio. Substratum, v. 1, n. 1, p.121-135,1992.

LEMOS, M. E. S.; BARROS, C. G. C.; AMORIM, R. H. C. Representações familiares sobre as alterações no desenvolvimento da linguagem de seus filhos. Distúrbios da Comunicação, São Paulo, v. 18, n. 3, p. 323-333, dez. 2006.

LOPES, R. C. S. et al. O antes e o depois: expectativas e experiências de mães sobre o parto. Psicologia Reflexão e Crítica, v. 18, n. 2. p. 247-254, maio/ago. 2005.

MIAN, L. et al. A depressão materna e o comportamento de crianças em idade escolar. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 25, n. 1, jan./mar. 2009.

MOTTA, M. G et al. Efeitos da depressão materna no desenvolvimento neurobiológico e psicológico da criança. Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul, v. 27, n. 2, p. 165-176, maio/ago. 2005

NUNES, S. A. N; FERNANDES M. G., VIEIRA, M. L., Interações sociais precoces: uma análise das mudanças nas funções parentais. Revista Brasileira Crescimento e Desenvolvimento Humano,17, n. 3, dez. 2007.

PINTO, I. D. et al. Ansiedade e depressão materna e relatos sobre o bebê prematuro. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 25, n. 1, jan./mar. 2009.

PRADO, A. B, PIOVANOTTI, M. R. A., VIEIRA, M. L. Concepções de pais e mães sobre comportamento paterno real e ideal. Revista Psicologia em Estudo, Maringá, v. 12, n.1, p. 54-64, 2007. Disponível em: . Acesso em: 16 maio 2010.

PRETTO-CARLESSO, J.; SOUZA, A. P. R. Dialogia Mãe-Filho em Contextos de Depressão Materna: revisão de Literatura. Rev.CEFAC, v. 13, n. 6, p. 1119-1126, 2011.

RECHIA, I. C. et al. Processos de substituição e variabilidade articulatória na fala de sujeitos com dispraxia verbal. Revista Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, v. 14, n. 4, p. 547-552, 2009.

RECHIA, I. C. et al. Processos de apagamento na fala de sujeitos com dispraxia verbal. Revista CEFAC, v. 12, n 3, p. 421-426, jun. 2010.

SILVA, E. T. S.; BOTTI, N. C. L. Depressão puerperal – uma revisão de literatura. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 07, n. 02, p. 231-238, 2005. Disponível em: . Acesso em: 13 jun. 2010.

SOUZA, A. P. F. R. et al. A entrevista continuada na clínica de linguagem infantil. Fractal: Revista de Psicologia, v. 21, n. 3, p. 601-612, set./dez. 2009.

WINNICOTT, D.W. Da pediatria à psicanálise: obras escolhidas. Rio de Janeiro: Imago, 2000.

ZUCCHI, M. Depressão na gravidez e prematuridade. Aspectos epistemológicos da investigação. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, p. 89-97, jan./mar. 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: