Fabricar o humano

Autores

  • Cristiane Oliveira Universidade Federal da Bahia

Palavras-chave:

psicanálise, subjetivação, cultura, alteridade

Resumo

O texto faz a resenha do livro A Fabricação do Humano:  Psicanálise, Subjetivação e Cultura, que tem por objetivo  oferecer ao leitor um rico panorama no qual diferentes análises sobre a fabricação de experiências contemporâneas em torno de montagens subjetivas atestam ou problematizam a inconsistência ontológica do humano. A tolerância epistemológica, a suposição de imanência da alteridade na fabricação do humano e atitude genealógica são marcas que atravessam os capítulos deste livro na análise de diferentes objetos de pesquisa. O livro contribui para a reflexão crítica sobre os impasses subjetivos na atualidade, oferecendo um arguto diagnóstico do presente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristiane Oliveira, Universidade Federal da Bahia

Professora Adjunta do Instituto de Psicologia da UFBA. Possui graduação em Psicologia (1999) e mestrado (2002) em Saúde Coletiva pela Universidade Federal da Bahia (1999). É doutora em Saúde Coletiva, com área de concentração em Ciências Humanas em Saúde, pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2010), com estágio doutoral no Centre de Recherches en Psychanalyse, Médecine et Société da Université Paris Diderot - Paris 7. É tutora da área de Psicologia no Programa de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde - COM-HUPES/UFBA. É pesquisadora do grupo "EPOS - genealogias, subjetivações e violências " e coordena a linha de pesquisa "Corpo, Subjetividade e Biopolítica" do grupo "Clínica Psicanalítica: Interfaces, Controvérsias e Perspectivas", ambos cadastrados no diretório do CNPq. É Editora Executiva da Revista EPOS - Genealogias, Subjetivações e Violências. Tem experiência nas áreas de psicologia, psicanálise e saúde coletiva, atuando principalmente nos seguintes temas: sexualidade, política e modos de subjetivação; clínica psicanalítica em serviços de saúde; corpo, subjetividade e mal-estar na atualidade; corpo, adoecimento e subjetividade; psicopatologia; história das instituições e saberes médicos e psicológicos sobre a sexualidade no Brasil; história da psiquiatria e da psicanálise no Brasil.

Referências

AGAMBEN, G. O aberto: o homem e o animal. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

BIRMAN, J. Entre cuidado de si e saber de si: sobre Foucault e a Psicanálise. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2000.

BIRMAN, J. O mal-estar na atualidade: a psicanálise e as novas formas de subjetivação. 4. ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2003.

FOUCAULT, M. Sécurité, territoire, population: cours au Collège de France [1977-1978]. Paris: Seuil/Gallimard, 2004.

FREUD, S. O Estranho (1919). In: SALOMÃO, J. (Org.). Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. 3. ed. Rio de Janeiro: Imago, 1990. Edição Standard Brasileira, v. 17, p. 273-314.

HAWARAY, D. A cyborg manifesto: Science, technology and social feminist in the late twentieth century. In: BELL, D; KENNEDY, B. The Cibercultures reader. London: Routledge, 2000. p. 291-324.

Downloads

Publicado

2014-10-10

Como Citar

Oliveira, C. (2014). Fabricar o humano. Fractal: Revista De Psicologia, 26(4), 757-762. Recuperado de https://periodicos.uff.br/fractal/article/view/5053