Mercado da/de carnes: corpos imprevistos na biopolítica

Michele de Freitas Faria de Vasconcelos, Luiz Felipe Zago

Resumo


A fim de pensar sobre regimes de visibilidades e de verdades corporais no terreno da biopolítica de face neoliberal, o artigo articula conceitualmente discussões realizadas em dois campos distintos de pesquisa: o Manhunt, um site de relacionamentos direcionado para homens gays na internet, e um Centro de Atenção Psicossocial para Álcool e outras Drogas (CAPS-ad). Embora tratando-se de duas pesquisas realizadas em campos radicalmente diferentes, a categoria “Mercado da/de Carnes” emergiu como articuladora das análises, possibilitando a aproximação empírica e teórica sobre a produção de arranjos corporais focando em performatividades de masculinidade no território de um CAPS e em um site de relacionamento. Baseado em descrições etnográficas do CAPS e do site Manhunt, bem como em entrevistas semi-estruturadas com seus respectivos usuários, o presente artigo constrói a intersecção teórica e política das normas de gênero na contemporaneidade, apontando (re)existências corporais possíveis no mercado biopolítico para os sujeitos participantes das pesquisas.


Palavras-chave


Biopolítica; Corpo; Gênero; Governamentalidade; Masculinidades

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, G. Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua. Belo Horizonte: UFMG, 2002.

BENTO, B. A reinvenção do corpo: sexualidade e gênero na experiência transexual. Rio de Janeiro: Garamond, 2006.

BUTLER, J. Undoing gender. New York: Routledge. 2004.

BUTLER, J. Gender trouble: feminism and the subersion of identity (1990). New York: Routledge, 2008.

BUTLER, J. Cuerpos que importan: sobre los límites materiales y discursivos del “sexo” (1993). Buenos Aires: Paidós, 2012.

CANDIOTTO, C. Cuidado da vida e dispositivo de segurança: a atualidade da biopolítica. In: BRANCO, G. C.; VEIGA-NETO, A. (Org.). Foucault: filosofia & política. Belo Horizonte: Autêntica, 2011. p. 81-96.

CARVALHO, S. R. Reflexões sobre o tema da cidadania e a pordução de subjetividade no SUS. In: CARVALHO, S. R.; BARROS, M. E.; FERIGATO, S. (Org.). Conexões: saúde coletiva e políticas da subjetividade. São Paulo: Aderaldo & Rothschild, 2009. p. 23-41.

CORAZZA, S.; SILVA, T. T. (Org.). Manifesto por um pensamento da diferença na educação. In: ______. Composições. Belo Horizonte: Autêntica, 2003. p. 9-18.

COURTINE, J-J. Os Stakhanovistas do Narciso: Body-building e puritanismo ostentatório na cultura americana do corpo (1995). In: SANT’ANNA, D. B. (Org.). Políticas do Corpo: elementos para uma história das práticas corporais. São Paulo: Estação Liberdade. 2005. p. 81-114.

DUARTE, A. Foucault e as novas figuras da biopolítica. In: RAGO, M.; VEIGA-NETO, A. (Org.). Para uma vida não-fascista. Belo Horizonte: Autêntica, 2009. p. 35-50.

FARHI NETO, L. Biopolíticas: as formulações de Foucault. Florianópolis: Cidade Futura, 2010.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 2001a.

FOUCAULT, M. História da sexualidade: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 2001b. v. 1.

FOUCAULT, M. A vida dos homens infames. In: MOTTA, M. (Org.). Estratégia, saber-poder. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006. Coleção Ditos & Escritos, v. 4, p. 203-222.

FOUCAULT, M. Segurança, território, população. São Paulo: Martins Fontes, 2008a.

FOUCAULT, M. Nascimento da biopolítica. São Paulo: Martins Fontes, 2008b.

HARDT, M.; NEGRI, A. Império. Rio de Janeiro: Record. 2006.

LOURO, G. L. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2004.

MISKOLCI, R. Corpos elétricos: do assujeitamento à estética da existência. Revistas de Estudos Feministas, [S.l.], v. 3, n. 13, p. 681-693, 2006.

ONLINE BUDDIES, Inc. Manhunt.net (“Site”). Disponível em: . c2001. Acesso: 2 abr. 2015.

ORTEGA, F. Da ascese à bio-ascese – ou do corpo submetido à submissão do corpo. In: RAGO, M.; ORLANDI, L. L.; VEIGA-NETO, A. (Org.). Imagens de Foucault e Deleuze: ressonâncias nietzscheanas. Rio de Janeiro: DP&A, 2005. p. 139-173.

ORTEGA, F. O corpo incerto: corporeidade, tecnologias médicas e cultura contemporânea. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.

PASSETTI, E. Ecopolítica: procedências e emergência. In: BRANCO, G.; VEIGA-NETO, A. (org.). Foucault: filosofia & política. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2011. pp. 127-142.

PASSETTI, E. Anarquismos e sociedade de controle. São Paulo: Cortez, 2003.

PASSETTI, E. Foucault-antifascista, São Francisco de Sales-Guia e atitudes de parresiasta. In: RAGO, M.; VEIGA-NETO, A. (Org.). Para uma vida não-fascista. Belo Horizonte: Autêntica, 2009. p. 117-134.

PELBART. P. P. Vida capital: ensaios de biopolítica. São Paulo: Iluminuras, 2009.

SANT’ANNA, D. B. Transformações do corpo: controle de si e uso dos prazeres. In: RAGO, M.; ORLANDI, L. L.; VEIGA-NETO, A. (Org.). Imagens de Foucault e Deleuze: ressonâncias nietzscheanas. Rio de Janeiro: DP&A. 2005. p. 99-110.

SANT’ANNA, D. B. Dietética e conhecimento de si. In: RAGO, M.; VEIGA-NETO, A. (Org.). Para uma vida não-fascista. Belo Horizonte: Autêntica, 2009. p. 83-94.

SOARES, C. L. Escultura da carne: o bem-estar e as pedagogias totalitárias do corpo. In: RAGO, M.; VEIGA-NETO, A. (orgs.) Para uma vida não-fascista. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009. pp. 63-82.

VASCONCELOS, M. F. F. A infâmia de Quincas: (re)existências de corpos em tempos de biopolítica. 2013. Tese (Doutorado)__Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

ZAGO, L. F. Corpo-currículo na cultura somática. In: SEMINÁRIO BRASILEIRO DE ESTUDOS CULTURAIS EM EDUCAÇÃO, 5, 2013, Canoas. Anais... Canoas: ULBRA, 2013a. p. 1-12.

ZAGO, L. F. “Armários de vidro” e “Corpos-sem-cabeça” na biossociabilidade gay online. Interface – comunicação, saúde e educação, [S.l.], v. 17, n. 45, p. 419-432, 2013b.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: