A identidade social estigmatizada de pobre: uma constituição opressora

James Ferreira Moura Jr., Verônica Morais Ximenes

Resumo


A pobreza é abordada como prática de opressão, desenvolvendo constituições identitárias depreciativas do individuo. Este artigo analisa os papéis sociais da identidade social estigmatizada de pobre. A pesquisa foi realizada com 4 pessoas  em situação de rua vinculadas ao Abrigo Provisório da Prefeitura Municipal de Fortaleza. Foram utilizados como instrumentos a observação participante e a entrevista narrativa, tendo a análise temática narrativa como procedimento de análise. Foram identificados os papéis sociais de conformado, de crente em Deus como responsável por tudo, de mártir, de causa de mazelas sociais e de culpado pela sua situação. Concebe-se que esses papéis sociais permeiam as relações sociais e a identidade, enfraquecendo e depreciando as potencialidades do indivíduo em situação de pobreza. É importante para os profissionais de Psicologia o entendimento desses papéis para elaboração de possíveis intervenções com foco no enfrentamento da situação de pobreza.


Palavras-chave


identidade; psicologia; pobreza; situação de rua

Texto completo:

PDF

Referências


ANGROSINO, M. Etnografia e Observação Participante. Porto Alegre, Artmed, 2009.

ALVES-MAZZOTTI, A. J.; GEWANDSZNAJDER, F. O método nas Ciências Naturais e Sociais. São Paulo: Pioneira, 1998.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome. Rua aprendendo a contar: Pesquisa Nacional sobre a população em situação de Rua. Brasília: MDS, 2009.

CIAMPA, A. C. A identidade social e suas relações com a ideologia. 1977. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social)__ Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1977.

CIAMPA, A. C. Identidade. In: LANE, T. M. S.; CODO, W. (Org.). Psicologia Social: O Homem em Movimento. São Paulo: Brasiliense, 1984, p. 58-75.

CIAMPA, A. C. A Estória do Severino e a História da Severina. São Paulo: Brasiliense, 1987.

CIAMPA, A. C. Políticas de identidade e identidade políticas. In: DUNKER, C. I. L.; PASSOS, M. C. Uma psicologia que se interroga: ensaios. São Paulo: Edicon, 2002. p. 133-144.

CIDADE, E. C.; MOURA JR, J. F.; XIMENES, V. M. Implicações psicológicas da pobreza na vida do povo latino-americano. Psicologia Argumento, [S.l.], v. 30, n. 68, p. 87-98, 2012.

CIMADAMORE, A. D.; CATTANI, A. C. (Org.). A construção da pobreza e da desigualdade na América Latina: uma introdução. In: ______. Produção de pobreza e desigualdade na América Latina. Porto Alegre: Tomo/Clacso, 2007. p. 7-15.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. Introdução a disciplina e a prática da pesquisa qualitativa. In: ______. O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, 2006. p. 15-42.

DESCHAMPS, J. C.; MOLINER, P. A identidade em Psicologia Social: dos processos identitários às representações sociais. Petrópolis: Vozes, 2009.

GIANNECHINI, L. G. et al. Pobreza, violência e trabalho: a produção de sentidos de meninos e de meninas de uma favela. Estudos de Psicologia, [S.l.], v. 8, n. 3, p. 45-53, jan.-abr. 2003.

GIBBS, G. Análise de dados qualitativos. Porto Alegre: ArtMed, 2009.

GOES, N. A. A Psicologia Comunitária enquanto práxis libertadora. 2009. Monografia (Graduação em Psicologia)__Centro de Humanidades, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2009.

GOFFMAN, E. Estigma: notas sobre a manipulação da Identidade Deteriorada (1963). 4. ed. Rio de Janeito: LTC, 2008.

GÓIS, C. W. L. Psicologia Comunitária: atividade e consciência. Fortaleza: Instituto Paulo Freire de Estudos Psicossociais, 2005.

GÓIS, C. W. L. Saúde Comunitária: pensar e fazer. São Paulo: HUCITEC, 2008.

HOWELL, R. T.; HOWELL, C. J. The Relation of Economic Status to Subjective Well-Being in Developing Countries: A Meta-Analysis. Psychological Bulletin, [S.l.], v. 134, n. 4, p. 536–560, 2008.

JOVCHELOVITCH, S.; BAUER, M. A Entrevista Narrativa. In BAUER, M. W.; GASKELL, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. Petrópolis: Vozes, 2002. p. 90-113.

IBAÑEZ, L. D. C. La Psicología de Ignácio Martín-Baró como Psicología social crítica. Una presentacíon de su obra. Revista de Psicología Geral Y Aplicada, v. 53, n. 3, p. 437-450, 2000.

LACERDA, F. C. C. A pobreza na Bahia sobre o prisma multidimensional: uma análise baseada na abordagem das necessidades básicas e na abordagem das capacitações. 2009. Dissertação (Mestrado)__Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2009.

LANE, S. T. M. O que é Psicologia Social? São Paulo: Brasiliense, 1981.

LANE, S. T. M. A Psicologia Social e uma nova concepção de homem para a Psicologia. In: LANE, T. M. S.; CODO, W. (Org.). Psicologia Social: O Homem em Movimento. São Paulo: Brasiliense, 1984. p. 10-19.

LIMA, A. F. de. Metamorfose, anamorfose e reconhecimento perverso: a identidade na perspectiva da Psicologia Social Crítica. São Paulo: FAPESP EDUC, 2010.

MARSHALL, M. N. Sampling for qualitative research. Family Practice, [S.l.], v. 13, n. 6, p. 522-525, 1996.

MARTÍN BARÓ, I. M. Psicología de La Liberación. Madrid: Trotta, 1998.

MATTOS, R. M.; FERREIRA, R. F. Quem vocês pensam que (elas) são? Representações sobre as pessoas em situação de rua. Psicologia & Sociedade, [S.l.], v.16, n. 2, p. 47-58, mai/ago, 2004.

MATTOS, R. M.; FERREIRA, R. F. O idoso em situação de rua: sífiso revisitado. Revista Estudos de Psicologia, Campinas, v. 22, n. 1, p. 23-32, jan-mar, 2005.

MENDONÇA, G. C. Os sentidos subjetivos de moradores de rua frente ao futuro. 2006. Dissertação (Mestrado)__Programa de Pós-graduação em Psicologia - Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas, 2006.

MOANE, B. Bridging the Personal and the Political: Practices for a Liberation Psychology. American Journal of Community Psychology, [S.l.], v. 31, n. 1/2, p. 91-101, 2003.

MOURA JR., J. F.; XIMENES, V. M.; SARRIERA, J. C. Práticas de discriminação às pessoas em situação de rua: histórias de vergonha, de humilhação e de violência em Fortaleza, Brasil. Revista de Psicología, [S.l.], v. 22, n. 2, p. 18-28, 2013.

MOURA JR., J. F.; XIMENES, V. M.; SARRIERA, J. C. A construção opressora da pobreza no Brasil e suas consequências no psiquismo. Quaderns de Psicologia, [S.l.], v. 16, n. 2, p. 85-93, 2014.

MOURA JR. et al. Concepções de pobreza: um convite à discussão psicossocial. Temas em Psicologia, Ribeirão Preto, v. 22, n. 2, p. 341-352, dez. 2014.

OLIVEIRA, I. F.; AMORIM, K. M. O. Psicologia e Política Social: o trato da pobreza como “sujeito psicológico”. Psicologia Argumento, [S.l.], v. 30, n. 70, p. 559-566, 2012.

PEREIRA, V. S. População de rua em Juiz de Fora: uma reflexão crítica da questão social. 2007. Dissertação (Mestrado)__ Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2007.

PIVA, I. M. P. Sob o estigma da pobreza: a ação da Santa Casa da Misericórdia. In: SIQUEIRA, M. P. S. (Org.). Sociedade e Pobreza. Vitória: UFES, 2006. p. 17-29.

PRILLELTENSKY, I. The role of power in wellness, oppression, and liberation the promise of psychopolitical validity. Journal of Community Psychology, [S.l.], v. 36, n. 2, p. 116-126, 2008.

RADITLOANENG, W. N. Socialisation as a factor in poverty identity formation: a pilot casa study of the poor in selected áreas of Botswana. Convergence, [S.l.], v. 42, n. 1, p. 77-93, 2009.

RIBEIRO, D. O povo brasileiro (1995). São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

RIESSMAN, C. K. Narrative Methods for the Human Sciences. California: Sage, 2008.

RODRÍGUEZ, P. E. La intervención clínica en contextos de pobreza y exclusión: algunas perspectivas. Revista Venezolana de Psicología Clínica Comunitária, [S.l.], v. 6, n. 1, p. 31-68, 2006.

SPRANDEL, M. A. A pobreza no paraíso tropical: interpretações e discursos sobre o Brasil. Rio de Janeiro: RelumeDumnará, 2004.

SEN, A. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

SIQUEIRA, M. P. S. Sociedade e pobreza. Vitória: UFES, 2006.

TAVARES, G. L. O dispositivo da criminalidade e suas estratégias. Fractal: Revista de Psicologia, Niterói, v. 23, n. 1, p. 123-136, 2011.

ZAVALETA REYLES, D. The Ability to go About Without Shame: A Proposal for Internationally Comparable Indicators. Oxford Poverty & Human Development Initiative (OPHI) - Working Paper 03, May 2007. Disponível em: . Acesso em: 16 set. 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: