Budapeste, de Chico Buarque, na narrativa da psicologia social construcionista

Marcelo Naputano, José Sterza Justo

Resumo


Este trabalho apresenta uma leitura do livro Budapeste, de Chico Buarque de Hollanda, baseada na psicologia social construcionista. Partindo de considerações sobre a história narrada e seus protagonistas, sobre autoria, narrativa, obra, identidade, língua e linguagem, procuramos evidenciar em Budapeste alguns fundamentos do construcionismo social tais como a importância da linguagem e de práticas discursivas na construção social de si e dos outros. Como principal resultado surge um intertexto criado no encontro de narrativas de duas línguas: a da literatura e a da ciência; muitas vezes tão estranhas entre si como o húngaro e o português.

Palavras-chave


literatura; construcionismo social; narrativa; produção de significado

Texto completo:

PDF

Referências


ARRIAL, L. R.; POUEY, J. F. F. Os assustadores gritos do silêncio: o enigma de Kaspar Hauser. Revista Espaço Acadêmico, [S.l.], ano 12, n. 133, p. 62-68, jun. 2012. Disponível em: . Acesso em: 1 abr. 2015.

BUDAPESTE. Direção de Walter Carvalho. Hungria-Brasil-Portugal: Nexus Cinema e Vídeo; Eurofilm Stúdió; Stopline Films, 2009. 1 DVD.

CALVINO, I. As cidades invisíveis. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

DUARTE-ALVES, A.; JUSTO, J. S. Saberes no cotidiano: práticas discursivas e transdisciplinaridades. In: Constantino, P. (Org.). Percursos da pesquisa qualitativa em psicologia. São Paulo: Art & Ciência, 2007. p. 61-78.

ENIGMA de Kaspar Hauser, O. Direção: Werner Herzog. Mainz: ZDF Productions, 1974. 1 DVD.

FREUD, S. Psicopatologia de la vida cotidiana (1912). Obras Completas. Madrid: Biblioteca Nueva, 1981. t. 3.

GERGEN, K. J. Realities and relationships. Cambridge: Harvard University Press, 1997.

GERGEN, K. J. An invitation to social construction. Londres: Sage, 1999.

HOLLANDA, C. B. Budapeste. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

HOLLANDA, C. B. Entrevista. 2004. Disponível em: . Acesso em: 20 set. 2007.

HOMEM, W. Histórias de canções: Chico Buarque. São Paulo: Leya, 2009.

LYOTARD, J. F. A condição pós-moderna. 6.ed. Rio de Janeiro: J. Olympio. 2000.

RASERA, E.; GUANAES, C; JAPUR, M. Psicologia, ciência e construcionismos: dando sentido ao self. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 157-165, 2004. Disponível em: . Acesso em: 20 set. 2007.

SANTOS, B. S. Introdução a uma ciência pós-moderna. Rio de Janeiro: Graal, 1989.

SARAMAGO, J. Todos os nomes. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

SARAMAGO, J. Autor cruza abismo e chega ao outro lado. Folha de São Paulo, São Paulo, 14 set. 2003. Disponível em: . Acesso em: 20 setembro 2007.

SAUSSURE, F. Natureza do signo linguístico. In: BALLY, C.; SECHEHAYE, A. (Org.). Curso de linguística geral. São Paulo: Cultrix, 1970. p. 79-84.

SPINK, P. Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano: aproximações teóricas e metodológicas. São Paulo: Cortez, 2000.

XAVIER. I. Prefácio. In: ROCHA, G. O século do cinema. São Paulo: Cosac/Naif, 2006. p.9-31.

WISNIK, J. M. A história de um escritor dividido entre duas cidades, duas mulheres, dois livros, duas línguas. Disponível em: Acesso em: 9 nov. 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: