A psicologia na maternidade hospitalar: um relato de experiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22409/1984-0292/v32i1/5679

Palavras-chave:

maternidade, gestação, psicologia da saúde

Resumo

Na atualidade, a demanda por profissionais da psicologia no ambiente hospitalar torna-se crescente. Assim, surge a necessidade de ampliar o conhecimento desse profissional sobre o referido contexto, no intuito de orientar sua conduta, além de contribuir para a concretização do seu espaço de atuação. Considerando esses aspectos e a relevância de pôr em questão o trabalho da psicologia nos serviços de saúde, o presente estudo apresenta um relato de experiência que objetiva refletir sobre a atuação da psicologia no âmbito hospitalar, especificamente na maternidade, através da apresentação de casos atendidos na maternidade e UTINeo do Hospital Universitário de Brasília. Os atendimentos foram conduzidos de modo a contemplar especificamente os aspectos relacionados à maternidade, ao tornar-se mãe, bem como à aderência do tratamento e ao período de hospitalização. Observaram-se diversos aspectos que o psicólogo enfrenta no ambiente hospitalar, como fatores relacionados às limitações do espaço físico e impasses referentes à atuação do psicólogo na equipe multidisciplinar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lorrayne Leandro Galdino de Queiroz, Universidade de Brasília, Brasília, DF

Psicóloga pela Universidade de Brasília.

Ana Paula Bilac Azevedo, Universidade de Brasília, Brasília, DF

Possui graduação em Psicologia pela Universidade de Brasília (2017). Tem experiência na área de Psicologia.

Evandro de Quadros Cherer, Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos, Brasília, DF

Doutor em Psicologia Clínica e Cultura pela Universidade de Brasília (PPGPsiCC/UnB), tendo realizado estágio doutoral, por um ano, junto à École Doctorale Recherches en Psychanalyse et Psychopathologie - Université Paris Diderot - Paris 7 (Sorbonne Paris Cité), por meio do Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE), com bolsa CAPES. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGPSICO/UFRGS), tendo sido bolsista de Mestrado do CNPq (2012/2013). Psicólogo pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Atualmente é professor na graduação em Psicologia do Centro Universitário do Planalto Central Apparecido dos Santos (UNICEPLAC) e psicólogo na Gerência de Saúde do Sistema Socioeducativo da Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude do Distrito Federal (SECRIANÇA). Também atua com clínica psicanalítica e como pesquisador do “Núcleo de Infância e Família” vinculado à UFRGS, assim como dos grupos de pesquisa “Jacques Lacan: Teoria, Clínica, Discursos Conexos” e “Subjetivação, Clínica e Cultura: do Moderno ao Contemporâneo”, ambos vinculados à UnB. Possui experiência em Psicologia, com ênfase em Psicanálise, atuando e possuindo interesse principalmente nos seguintes temas: constituição subjetiva, paternidade, maternidade, assim como teoria e clínica psicanalítica.

Daniela Scheinkman Chatelard, Universidade de Brasília, Brasília, DF

Professora associada no Programa da Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura - PCL do Instituto de Psicologia na Universidade de Brasília. Possui Graduação em Psicologia pela Universidade Santa Úrsula- RJ (1986). Pós-doutorado na USP e Pós-doutoranda na Universidade de Tel-Aviv - Departamento de Psicologia- Faculdade de Ciências Sociais.Mestrado em Psicanalise - Universite de Paris VIII (1994) e doutorado em Filosofia - Universite de Paris VIII (1999). Trabalha com ênfase na Psicanálise, Freud e Lacan, atuando principalmente nos seguintes temas: transferência, teoria da constituição do sujeito, objeto, estrutura, metapsicologia, estatuto do Outro na contemporaneidade. Pesquisadora do Cnpq desde 2013. Membro do GT Psicanálise, Política e Clínica na ANPEPP. Líder do Grupo de Pesquisa- Jacques Lacan: Teoria, clínica, discursos conexos desde 2016. Organizadora do livro O Corpo no Discurso Psicanalítico, 2019, Appris, Curitiba.

Referências

ALMEIDA, Raquel Ayres de; MALAGRIS, Lucia Emmanoel Novaes. A prática da psicologia da saúde. Revista SBPH, Rio de Janeiro, v. 14, n. 2, p. 183-202, dez. 2011. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-08582011000200012&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 12 out. 2017.

ANGERAMI-CAMON, Valdemar Augusto (Org.). A Psicologia no hospital. 2. ed. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003.

BECK, S. et al. The worldwide incidence of preterm birth: A systematic review of maternal mortality and morbidity. Bull World Health Organ, v. 88, n. 1, p. 31-38, 2010.

BOAS, Laís Macêdo Vilas; BRAGA, Maria Carolina da Costa; CHATELARD, Daniela Scheinkman. Escuta psicanalítica de gestantes no contexto ambulatorial: uma experiência em grupos de fala. Psico, Porto Alegre, PUCRS, v. 44, n. 1. p. 8-15, 2013.

BRAZELTON, T. Berry; CRAMER, Bertrand G. As primeiras relações. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

BRUSCATO, Wilse L.; BENEDETTI, Carmen; LOPES, Sandra R. A. A prática da psicologia hospitalar na Santa Casa de São Paulo: novas páginas em uma antiga história. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2004.

BYDLOWSKI, Monique. O olhar interior da mulher grávida: transparência psíquica e representação do objeto interno. In: Novos olhares sobre a gestação e a criança até os 3 anos: saúde perinatal, educação e desenvolvimento do bebê. Brasília: L. G. E., 2002. p. 205-214.

DOMINGUES, Glaucia Regina et al. A atuação do psicólogo no tratamento de pacientes terminais e seus familiares. Psicologia Hospitalar, São Paulo, v. 11, n. 1, p. 02-24, jan. 2013. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-74092013000100002&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 11 jan. 2017.

FERRARI, Andrea Gabriela; PICCININI, Cesar A.; LOPES, Rita Sobreira. O bebê imaginado na gestação: aspectos teóricos e empíricos. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 12, n. 2, p. 305-313, ago. 2007. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722007000200011

FONSECA, Marina Nogueira de Assis; ROCHA, Tamires Sousa; CHERER, Evandro de Quadros; CHATELARD, Daniela S. Ambivalências do ser mãe: um estudo de caso em psicologia hospitalar. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, v. 9, n. 2, p. 141-155, 2018. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/eip/article/view/26609. Acesso em: 12 out. 2019.

FREIRE, Teresa Cristina G.; CHATELARD, Daniela S. O aborto é uma dor narcísica irreparável?. Revista Mal Estar e Subjetividade, Fortaleza, v. 9, n. 3, p. 1007-1022, sept. 2009. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1518-61482009000300012&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 22. sept. 2018.

HERMES, Hélida Ribeiro; LAMARCA, Isabel Cristina Arruda. Cuidados paliativos: uma abordagem a partir das categorias profissionais de saúde. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 9, p. 2577-2588, sept. 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232013000900012

KLAUS, Marshall H.; KENNELL, John H.; KLAUS, Phyllis H. Vínculo: construindo as bases para um apego seguro e para a independência. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

LEBOVICI, Serge. O bebê, a mãe e o psicanalista. Porto Alegre: Artes Médicas, 1987.

MATA, Greicy Duarte da; CHERER, Evandro de Quadros; CHATELARD, Daniela Scheinkman. Prematuridade e constituição subjetiva: considerações sobre atendimentos na UTI Neonatal. Estilos da Clínica, v. 22, n. 3, p. 428-441, 2017. http://dx.doi.org/10.11606/issn.1981-1624.v22i3p428-441

MILES, Margaret Shandor; HOLDITCH-DAVIS, Diane. Parenting the prematurely born child: pathways of influence. Seminars in Perinatology, v. 21, n. 3, p. 254-266, 1997. https://doi.org/10.1016/S0146-0005(97)80067-5

MIYAZAKI, Maria Cristina Oliveira Santos et al. Psicologia da saúde: intervenções em hospitais públicos. In: RANGÉ, Bernard (Org.). Psicoterapias cognitivo-comportamentais: um diálogo com a psiquiatria. 2. ed. Porto Alegre, RS: Artmed, 2011. p. 568-580.

MOTTA, Luciana Almeida; COSTA, Kelen Santana da; CHATELARD, Daniela Scheinkman. O diário do bebê: relato de uma experiência em uma unidade de terapia intensiva neonatal. Encontro: Revista de Psicologia, v. 11, n. 16, p. 167-174, 2007. Disponível em: https://revista.pgsskroton.com/index.php/renc/article/view/2567. Acesso em: 12 fev. 2017.

SCHMIDT, Beatriz; GABARRA, Letícia Macedo; GONCALVES, Jadete Rodrigues. Intervenção psicológica em terminalidade e morte: relato de experiência. Paidéia, Ribeirão Preto, v. 21, n. 50, p. 423-430, dec. 2011. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-863X2011000300015

TEIXEIRA, José A. Carvalho. Psicologia da saúde. Análise Psicológica, Lisboa, v. 3, n. 22, p. 441-448, 2004. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312004000300002&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 9 jan. 2018.

Downloads

Publicado

2020-02-29

Como Citar

Galdino de Queiroz, L. L., Azevedo, A. P. B., Cherer, E. de Q., & Chatelard, D. S. (2020). A psicologia na maternidade hospitalar: um relato de experiência. Fractal: Revista De Psicologia, 32(1), 57-63. https://doi.org/10.22409/1984-0292/v32i1/5679

Edição

Seção

Artigos