Pistas lexicais e sintáticas para a delimitação de adjetivos na aquisição do português brasileiro

Luciana Teixeira

Resumo


Este artigo apresenta um estudo experimental cujo foco é a delimitação da categoria adjetivo por crianças adquirindo o Português Brasileiro (PB) como língua materna. Adota-se uma perspectiva psicolinguística de aquisição da linguagem, aliada a uma concepção minimalista de língua (CHOMSKY, 1995-2001). Assume-se que a criança é sensível às propriedades fônicas de elementos de classes fechadas, como determinantes e afixos, conforme a hipótese do bootstrapping fonológico (MORGAN & DEMUTH, 1996; CHRISTOPHE et al., 1997). Com base na hipótese do bootstrapping sintático (GLEITMAN, 1990), assume-se que a análise de adjetivos no contexto sintático de DPs ou de small clauses, aliada ao pressuposto de que DPs fazem referência a objetos/entidades, possibilita a representação de adjetivos como categoria que apresenta uma propriedade ou atributo de um referente. Avalia-se, ainda, o papel da ordem canônica, na distinção entre adjetivos e nomes. Apresentam-se dois experimentos com crianças, usando-se a técnica de seleção de objetos com pseudopalavras: o primeiro foi conduzido com crianças de 18-22 meses; o segundo, com crianças de 2-3 anos e 4-5 anos. Os resultados dos experimentos aqui relatados são compatíveis com a hipótese de que a criança faz uso de informação sintática e morfológica na delimitação de adjetivos, e revelam que já aos dois anos de idade propriedades semânticas de sufixos formadores de adjetivos são representadas pela criança.


Palavras-chave


aquisição da linguagem; adjetivo; bootstrapping; categorias funcionais; afixos derivacionais

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/gragoata.v16i30.32927

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 


A Gragoatá é uma revista dos Programas de Pós-graduação em Letras da UFF:

Ir para Pós Estudos de Linguagem Ir para Pós Estudos de Literatura


ISSN (impresso) 1413-9073 - de 1996 a 2013
ISSN (online) 2358-4114 - de 2014 em diante


A Gragoatá está indexada nas seguintes bases:

Portal de Periódicos da UFF

Latindex Porbase Google Acadêmico Diadorim Periódicos Capes EZB DOAJ Sumários.Org ErihPlus


Licença Creative Commons
A Gragoatá utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.