Intriga e narrativa. Duas operações da imaginação social

Autores

  • Ernesto Mora Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) / Pesquisador Colaborador

DOI:

https://doi.org/10.22409/gragoata.v21i41.33414

Palavras-chave:

Intriga, narrativa, imaginação social.

Resumo

Neste artigo, examinamos a hipótese de que a narrativa e a intriga devem ser entendidas como dois conceitos diferentes no interior da teoria narrativa contemporânea. O argumento principal para sustentar essa distinção consiste na ideia de que tanto a narrativa quanto a intriga são operações cognitivas com fins específicos para diversas atividades humanas, especialmente, para a imaginação social. Tal distinção, aparentemente óbvia, é largamente negligenciada nas várias correntes atuais da teoria social que fazem uso do termo narrativa. Ao fazer isso, essas correntes limitam a análise dos potenciais cognitivos desse dispositivo do discurso. Com base nesse argumento, definiremos brevemente, em um primeiro momento, os conceitos de intriga e narrativa e, em segundo lugar, faremos uma discussão a respeito do retorno dos conceitos de estrutura e de sistema nos estudos da narrativa. Posteriormente, desenvolveremos algumas hipóteses sobre os aspectos cognitivos ativados pela construção da intriga e da narrativa. Finalmente, apresentaremos os vários aspectos da imaginação social nos quais os dois conceitos podem ser aplicados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ernesto Mora, Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) / Pesquisador Colaborador

Pesquisador Colaborador do IEL/UNICAMP. Possui doutorado em Sociologia pela Universidade de São Paulo (2014), mestrado em Filosofia pela Pontificia Universidad Javeriana (2008) e graduação em Letras pela Universidad Nacional de Colombia (2003). Professor da Licenciatura en Filosofía y Lengua Castellana da Universidad Santo Tomás, nas áreas de Teoria literária, pragmática linguística e hermenêutica (2006-2009). Pesquisador nas áreas de sociologia da cultura, teoria social da narrativa e do discurso.

Downloads

Publicado

2016-12-28

Edição

Seção

Artigos de Literatura