Jogos viciados: Videogames e a interseção entre ações políticas e lúdicas

Autores

  • Ivan Mussa UERJ

DOI:

https://doi.org/10.22409/ppgmc.v12i2.13188

Palavras-chave:

Jogo, Política, Ambientes Digitais

Resumo

Este artigo parte da observação de que a ação política, como forma de fuga de um esquema de dominação, envolve processos que se abrem para atitudes lúdicas. Nesse sentido, as tecnologias digitais desempenham papel importante em criar mundos para o exercício da mesma capacidade lúdica que será requisitada na criação de estratégias para lidar com estes esquemas. Os videogames, dado este contexto, atuarão de forma específica, criando ambientes para experimentação inventiva. Certos jogos constroem ambientes de modo que a ação lúdica precisa encontrar brechas para permitir a ação criativa. Assim, três jogos (Prom Week, 2012; The Escapists, 2014 e Dwarf Fortress, 2006) serão descritos de modo a demonstrar sua capacidade de associar ações lúdicas e políticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: Obras escolhidas. São Paulo: Brasiliense, 1987.

DeLanda, Manuel. Philosophy and Simulation: The Emergence of Synthetic Reason. London: Continuum, 2011.

Guattari, Félix e Rolnik, Suely. Micropolítica: Cartografias do Desejo. Petrópolis: Vozes, 1986.

GRUSIN, Richard. Radical Mediation. Disponível em: http://premediation.blogspot.com.br/2015/08/radical-mediation-from-secret-life-of.html. 2015.

Ingold, Tim. Being Alive: Essays on Movement, Knowledge and Description. London: Routledge, 2011.

Jørgensen, Kristine. Gameworld Interfaces. Cambridge/London: MIT Press, 2013.

JUUL, Jesper. Half-Real: Video Games between Real Rules and Fictional Worlds. Cambridge, Massachusetts: MIT Press, 2005.

KASTRUP, Virgínia. A invenção de si e do mundo: Uma introdução do tempo e do coletivo no estudo da cognição. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

Latour, Bruno. Reassembling the Social: An Introduction to Actor–Network Theory. Oxford, UK: Oxford UP, 2005.

PIAS, Claus. The Game Player’s Duty: The User as the Gestalt of the Ports. In: HUHTAMO, Erkki e PARIKKA, Jussi. Media Archaeology: Approaches, Applications, and Implications. University of California Press: 2011.

SIMONDON, Gilbert. El modo de existencia de los objetos técnicos. Argentina: Prometeo Libros, 2007.

Downloads

Publicado

2018-08-31

Como Citar

Mussa, I. (2018). Jogos viciados: Videogames e a interseção entre ações políticas e lúdicas. Revista Mídia E Cotidiano, 12(2), 213-229. https://doi.org/10.22409/ppgmc.v12i2.13188