Feitos da bolha: conservadorismo e militância digital no caso Queermuseu

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22409/rmc.v14i3.43158

Palavras-chave:

Queermuseu, Movimento Brasil Livre, Controvérsia

Resumo

O artigo aborda como o financiamento e a circulação de produções artísticas se apresentam como pauta de interesse para militantes conservadores no contexto recente, analisando as táticas de intimidação adotadas pelo Movimento Brasil Livre (MBL) no caso da exposição Queermuseu. Argumentamos que a capacidade de mobilização do grupo se apoia em uma economia da informação que hiperpolitiza a sociabilidade on-line, e estipula regimes de legitimidade para a constituição e a participação em uma polêmica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro de Paula, Universidade Federal da Bahia

Doutor em Comunicação e Cultura pela UFRJ. Professor Adjunto I do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências da Universidade Federal da Bahia. Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade (Pós-Cultura/UFBA).

João Domingues, Universidade Federal Fluminense

Doutor em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professor Adjunto IV do Instituto de Artes e Comunicação Social (IACS) da Universidade Federal Fluminense. Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Cultura e Territorialidades (PPCult/UFF).

Referências

AMOSSY, R. Apologia da polêmica. São Paulo: Contexto, 2017

BLANCA, R. Exposições queer: contextos mundiais e locais. Em: Cadernos de Gênero e Diversidade, v. 3, n. 03, 2017

CELIKATES, R. Digital publics, digital contestation: a new structural transformation of the public sphere?. In: CELIKATES, R.; KREIDE, R.; WESHCE, T. (Orgs.). Transformations of democracy: crisis, protest and legitimation. London: Rowman & Little Field International, 2015

CHAGAS, V.; SANTOS, J. Direta transante. Em: Matrizes, v. 12, 2018, p. 189-214

HIGHFIELD, T. Social media and everyday politics. Cambridge: Polity, 2016

ORTIZ, R. Universalismo e diversidade. São Paulo: Boitempo, 2015

PARISER, E. The Filter Bubble. New York: The Penguin Press, 2011

RANCIÈRE, J. O desentendimento. São Paulo: 34, 1996

RECUERO, R.; BASTOS, M.; ZAGO, G. Análise de Redes para Mídia Social. Porto Alegre: Sulina, 2015

RIBEIRO, M. Antipetismo e conservadorismo no Facebook. Em: SOLANO, E. (Org.). O ódio como política: a reinvenção das direitas no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2018.

VAN LAER, J.; VAN AELST, P. Cyber-protest and civil society: the Internet and action repertoires in social movements. Em: JEWKES, Y.; YAR, M. Handbook of Internet crime. Londres: Willan Publishing, 2009, p. 230-254

VENTURINI, T. Diving in magma: How to explore controversies with actor-network theory. Em: Public Understanding of Science, 19 (3), 2009, pp. 258-273

Downloads

Publicado

2020-09-05

Como Citar

de Paula, L., & Domingues, J. (2020). Feitos da bolha: conservadorismo e militância digital no caso Queermuseu. Revista Mídia E Cotidiano, 14(3), 76-96. https://doi.org/10.22409/rmc.v14i3.43158