O novo coronavírus e a condição da banalidade do mal

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22409/rmc.v15i2.47609

Palavras-chave:

Coronavírus, Banalidade do mal, Política

Resumo

A proposta deste artigo é reconhecer o sentido da banalidade do mal, desenvolvido por Hannah Arendt (1999), em acontecimentos contemporâneos ocorridos no Brasil durante a pandemia do novo coronavírus. De acordo com a autora, o mal é banal porque é praticado por pessoas convencionais que se abstiveram de pensar politicamente. A partir dessa ideia, por meio da análise de matérias jornalísticas divulgadas pelo site Catraca Livre, o artigo apresenta reflexões sobre as manifestações contra a quarentena e isolamento social e físico sugeridos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para conter o avanço da doença. As manifestações ocorreram na cidade de São Paulo e ainda apoiaram a figura do presidente brasileiro Jair Bolsonaro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Muriel Emídio Pessoa do Amaral, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

Pós-doutorando em Jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), bolsista Capes. Doutor em Comunicação pela Universidade Estadual Paulista - Unesp/Bauru, bolsista Capes/Unesp, mestre pela mesma instituição. Doutorado sanduíche em Estudos Culturais pela Universidade de Aveiro. Foi professor da Universidade Norte do Paraná (Unopar) nos cursos de jornalismo, publicidade e propagando e desenho industrial (modalidade virtual).

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Homo sacer: o poder soberano e a vida nua. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

AMARAL, Muriel Emídio Pessoa do. Discurso doente: Bolsonaro e covid-19. Revista ECCOM – Educação, Cultura e Comunicação, v. 23, n. 12, p. 540-553, 2021. Disponível em: http://unifatea.com.br/seer3/index.php/ECCOM/article/view/1326/1192. Acesso em: 21 abr. 2021.

ARENDT, Hannah, Da violência. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1985.

ARENDT, Hannah. A condição humana. São Paulo: Forense Universitária, 2018.

ARENDT, Hannah. A vida do Espírito. O Pensar/ O Querer/ O Julgar, 5. ed. Tradução de A. Abranches, Cesar A. R. de Almeida, H. Martins. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002.

ARENDT, Hannah. Eichmann em Jerusalém: relatos sobre a banalidade do mal. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

ARENDT, Hannah. Origens do totalitarismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

ARENDT, Hannah. Responsabilidade e Julgamento. Edição de Jerome Kohn. Trad. de R. Einchenberg. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

ASSY, Bethania. Ética, responsabilidade e juízo em Hannah Arendt. 1ªed. São Paulo: Perspectiva, 2016.

BERNSTEIN, Richard J. Why read Hannah Arendt now. Cambridge: Polity Press, 2018.

BUTLER, Judith. Precious life: the powers of mourning and violence. London: Verso, 2006.

CAMUS, Albert. A peste. Rio de Janeiro: Record, 2017.

CATRACA LIVRE. Bolsonaristas tiram sarro das 1223 mortes por coronavírus no Brasil. Site Catraca Livre. Disponível em: https://catracalivre.com.br/cidadania/bolsonaristas-tiram-sarro-das-1-223-mortes-por-coronavirus-no-brasil/. Acesso em: 11 dez. 2020a.

CATRACA LIVRE. Manifestantes pró-Bolsonaro travam ambulâncias em ato na Paulista. Site Catraca Livre. Disponível em: https://catracalivre.com.br/cidadania/manifestantes-pro-bolsonaro-travam-ambulancias-em-ato-na-paulista/. Acesso em: 11 dez. 2020b.

DEMIER, Felipe. O mal como normal: golpe, lei e direitos. In: BENJAMIN, Cid; DEMIER, Felipe; ARCARY, Valério. O ovo da serpente: a ameaça neofascista no Brasil de Bolsonaro. Rio de Janeiro: Mauad X, 2020, p. 37- 40.

FRANÇA, Vera. O acontecimento e a mídia. Galaxia, n. 24, p. 10-21, 2012.

RAMOS, Silvana de Souza. Hannah Arendt: não suportar o mal. Comunicações, v. 24, n. 2, p. 71-82, 2017. DOI: https://doi.org/10.15600/2238-121X/comunicacoes.v24n2p71-82.

ŽIŽEK, Slavoj. Violência: seis reflexões laterais. São Paulo: Boitempo, 2014.

Downloads

Publicado

2021-05-18

Como Citar

Amaral, M. E. P. do. (2021). O novo coronavírus e a condição da banalidade do mal. Revista Mídia E Cotidiano, 15(2), 187-207. https://doi.org/10.22409/rmc.v15i2.47609