O Agrotóxico não é pop: como as narrativas hegemônicas e contra-hegemônicas constroem os processos de comunicação entre campo e cidade

Juliana Dias Rovari Codeiro

Resumo


O presente artigo analisa como a vinculação entre o sistema alimentar e o sistema midiático, ambos globais e hegemônicos, tendem a enfraquecer a capacidade de contextualizar e englobar problemas como a fome e as desigualdades. Por meio da construção de narrativas baseadas em uma racionalidade econômica e técnico-científica, agronegócio se empenha em naturalizar um modelo agrário/agrícola insustentável. Por outro lado, as narrativas contra hegemônicas, pautadas na agroecologia, apontam as contradições e politizam o debate da produção de alimentos ao anunciar outros modos de comunicar, produzir alimentos e viver. Nas duas narrativas há um esforço para aproximar campo e cidade. Desde a década de 80 até o período atual, a pauta dos agrotóxicos se mostrou vigorosa para demonstrar que esses processos comunicativos podem promover dominações e emancipações.


Palavras-chave


mídia; políticas públicas

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, V. ‘Agro é pop’: cultivando desinformação e elogiando a escravidão. A Nova Democracia. v. 16, n. 196, 2017. Disponível em: < https://goo.gl/mR899C >

ANA. Carta política do II ENA. Recife (PE), 2011. Disponível em:< https://goo.gl/BPvWC1>.

____; ABA-Agroecologia; ABRASCO; FBES; FBSSAN; RBJA; RADV; AMB. Carta política do Encontro Nacional de Diálogos e Convergências. Salvador (BA), 2011. Disponível em:

_____. Carta política do III ENA. Juazeiro, Bahia, 2014. Disponível em: . _____. Carta política do IV ENA. Belo Horizonte (MG), 2018. Disponível em:< https://goo.gl/u6YFcg>

CARNEIRO, F.F. et al. (Orgs). Dossiê Abrasco: um alerta sobre os impactos dos agrotóxicos sobre a saúde. Rio de Janeiro: EPSJV; São Paulo: Expressão Popular, p. 27 a 36, 2015.

CASTELLS, M. O poder da comunicação. Trad: Vera Lúcia Mello Joscelyne. 1. ed. Rio de Janeiro: Ed. Paz & Terra, 2015.

BRASIL. Pesquisa brasileira de mídia: hábitos de consumo de mídia pela população brasileira. Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. Brasília, 2016. Disponível em: < https://goo.gl/BVodw9>.

_____. Conselho Nacional de Segurança Alimentar. Manifesto Comida de Verdade. V Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSAN). Brasília (DF), 2015. Disponível em: .

______. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei Nº 7.802, de 11 de julho de 1989.Disponível em < https://goo.gl/dBXC8F>.

_______. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006. Disponível em: .

__________. Ministério da Saúde. INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER (INCA). Posicionamento acerca dos agrotóxicos. Abril, 2015. Disponível em: < https://goo.gl/4QBm2P>.

BOMBARDI, M. L. Geografia do uso de agrotóxico no Brasil e conexões com a União Europeia. São Paulo: FFLCH, USP, 2017. Disponível em: .

FÓRUM MUNDIAL SOBRE SOBERANIA ALIMENTAR. Carta política, Havana, 2001. Dispo-nível em: .

FREIRE, P. Extensão ou comunicação? Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1971.

GESTOS, IDS. Relatório Luz da Agenda 2030 do Desenvolvimento Sustentável – Síntese II. Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030, 2018. Disponível em: < https://goo.gl/JxKde6>

GREENPEACE. Campanha de agricultura e alimentação do Greepeace no Brasil. Segura este aba-caxi: os agrotóxicos vão parar na sua mesa. Disponível em .

________. Campanha de agricultura e alimentação do Greepeace no Brasil. Agricultura tóxica: um olhar sobre o modelo agrícola brasileiro. Disponível em: .

INTERVOZES. Media Ownership Monitor Brasil, São Paulo, 2017. Disponível em:

MORIN, E. O Método 1: A natureza da natureza. 2ª ed. Trad: Ilana Heinberg. Porto Alegre: Ed. Sulina, 2003

_______. O Método 5: a humanidade da humanidade. Trad: Juremir Machado da Silva. 5. ed. Porto Alegre: Sulina, 2012

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A ALIMENTAÇÃO E AGRICULTURA. 2018. Disponível em: .

PORTO-GONÇALVES. A globalização da natureza e a natureza da globalização. 2. ed. Rio de Janeiro: Ed.: Civilização Brasileira, 2006.

SANTOS, S de B. Se Deus fosse um ativista dos direitos humanos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2014.

TOLEDO, M. V; BARRERA-BASSOLS. A memória biocultural: a importância ecológica das sa-bedorias tradicionais. Trad. Rosa L. Peralta. Rio de Janeiro: Ed. Expressão Popular e AS-PTA, 2015.

ZIEGLER, J. Destruição em massa: geopolítica da fome. Trad. José Paulo Netto. São Paulo: Ed. Cortez, 2013.




DOI: https://doi.org/10.22409/ppgmc.v13i2.27668

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano - PPGMC 
Universidade Federal Fluminense - UFF
Endereço: Rua Tiradentes, nº 148 - Ingá - Niterói - Rio de Janeiro - CEP 24.210-510
e-mail: pmc.ega@id.uff.br
Site: http://www.ppgmidiaecotidiano.uff.br

Telefone/Fax: (21) 2629-9684/ (21) 2629-9681