Linha de dignidade: a construção de um novo indicador

Dora Costa

Resumo


O ciclo da pobreza e da miséria e o desamparo do desemprego e de proteção social, a que estão submetidos cerca de dois terços dos seres humanos no mundo, a devastação ambiental do planeta e o saque permanente das riquezas naturais são aspectos de um sistema econômico que ameaça a sobrevivência das gerações atuais e futuras. A “administração da escassez” aparece como a defesa de um novo contrato social, um “contrato ecológico” para uma época do planeta. No texto, abordamos a questão da sobrevivência sob dois pontos de vista: a tradição da filosofia política que nos remete à gênese das ideologias que embalaram a “administração da escassez” a partir do século XVIII, e a “administração da escassez” à luz dos direitos advindos da democracia liberal.

 

Palavras-chave: trabalho; sobrevivência; administração da escassez.


Texto completo:

Sem título


DOI: https://doi.org/10.22409/mov.v0i04.85

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 Fontes de indexação:

                                                                              

 

 

Apoio:

 

                                                                  

   

 

                              

 

 

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

click counter
click counter
click counter