SENTIDOS DA EDUCAÇÃO POPULAR NA HISTÓRIA BRASILEIRA

Rodrigo Lima Ribeiro Gomes

Resumo


O presente trabalho se propõe abordar a temática da educação popular em perspectiva de “longa duração”, procurando captar as mudanças de sentido ocorridas no conceito ao longo da história brasileira. Para tanto, procuramos articular o fenômeno ao conceito, de modo a relacionar as modificações mencionadas com a realidade histórica em que as ideias e as práticas em educação popular foram pensadas e executadas. Buscamos salientar que aquelas mudanças, via de regra, estiveram conectadas às transformações manifestas na relação entre a sociedade e o Estado: nessa articulação, localizam-se as mutações de sentido na educação popular, que surge com um ideal de escola pública estatal e acaba por se tornar quase um sinônimo de educação não formal ou formalizada fora da institucionalidade do aparelho de Estado. Contemporaneamente, o conceito de educação popular basicamente se restringe a projetos pedagógicos realizados por movimentos da sociedade civil. Assim sendo, nosso objetivo é tratar do processo histórico que gerou tais transformações e refletir sobre as possibilidades e os limites para a prática da educação popular nos dias de hoje.


Palavras-chave


Educação popular. Cultura popular. Educação de jovens e adultos. Alfabetização.

Referências


BEISIEGEL, Celso de Rui. Ensino público e educação popular. In: PAIVA, Vanilda (Org.). Perspectivas e dilemas da educação popular. Rio de Janeiro: Graal, 1984b.

BEISIEGEL, Celso de Rui. Estado e educação popular. Brasília: Liber Livro, 2004.

BEZERRA, Aída. As atividades em educação popular. In: BEZERRA, Aída (Org.). A questão política da educação popular. São Paulo: Brasiliense, 1980.

BEZERRA, Aída. Percorrendo os caminhos da educação popular: um olhar. In: SILVEIRA, Maria Lídia Souza da; FARAGE, Eblin (Org.). Seminário de Educação Popular. Rio de Janeiro: CFCH/UFRJ, 2005.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Da educação fundamental ao fundamental da educação. In: MANFREDI, Silvia Maria (Org.) Cadernos CEDES. Concepções e experiência de educação popular. 4. reimpressão. São Paulo: Cortez, out. 1986.

BRASIL. Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil (de 24 de fevereiro de 1891). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/ constituicao/constituicao91.htm. Acesso em: 02 maio 2017.

BRASIL. Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil (de 16 de julho de 1934). http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao34. htm. Acesso em: 02 maio 2017.

BRASIL. Constituição dos Estados Unidos do Brasil (de 10 de novembro de 1937). http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao37.htm. Acesso em: 02 maio 2017.

BRASIL. Lei de 15 de outubro de 1827. Disponível em: http://www.planalto. gov.br/ccivil_03/ leis/lim/LIM-15-10-1827.htm. Acesso: 02 maio 2017.

BRASIL. Lei nº 16 de 12 de agosto de 1834. Disponível em: http://www.planalto. gov.br/ ccivil_03/leis/lim/LIM16.htm. Acesso em: 02 maio 2017.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Convocação e Solicitação de Relatórios [1963]. In: SOARES, Leôncio; FÁVERO, Osmar (Org.). I Encontro Nacional de Alfabetização e Cultura Popular. Brasília: MEC/UNESCO, 2009.

BRAUDEL, Fernand. História e Ciências Sociais: a longa duração. Revista de História, v. 30, n. 62, São Paulo, 1965, p. 261-294.

CANÁRIO, Rui. Educação de adultos: um campo e uma problemática. 2. reimpressão. Imprensa de Coimbra, 2000.

CIAVATTA, Maria. Mediações históricas de trabalho e educação: gênese e disputas na educação dos trabalhadores (Rio de Janeiro, 1930-60). Rio de Janeiro: Lamparina, 2009.

FARIA FILHO, Luciano Mendes. Instrução elementar no século XIX. In: LOPES, Eliana Marta Teixeira; FARIA FILHO, Luciano Mendes; VEIGA, Cynthia Greive (Org.). 500 anos de educação no Brasil. 5. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

FERNÁNDEZ, Florentino Sanz. As raízes históricas dos modelos actuais de educação de pessoas adultas. Cadernos Sísifo 2. EDUCA: Universidade de Lisboa, 2006.

FRAGA, Vitor Martins. Educação política popular na transição democrática no Brasil: anos 1978-1989. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal Fluminense, 2013.

FREI BETTO. Aspectos pedagógicos das Comunidades Eclesiais de Base. In: QUEIROZ, José J. (Org.). A educação popular nas Comunidades Eclesiais de Base. São Paulo: Paulinas, 1985.

FREIRE, Paulo. Conscientização e alfabetização: uma nova visão do processo [1963]. In FÁVERO, Osmar. Cultura popular e educação popular: memória dos anos 60. RJ: Graal, 1983.

GARCIA, Pedro Benjamin. Educação popular: algumas reflexões em torno da questão do saber. In: BEZERRA, Aída (Org.). A questão política da educação popular. São Paulo: Brasiliense, 1980.

HARVEY, David. Condição Pós-Moderna. 23. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2012.

KADT, Emanuel de. Católicos radicais no Brasil. João Pessoa: Editora UFPB, 2003.

LIMA, Haroldo; ARANTES, Aldo. História da Ação Popular: da JUC ao PC do B. 2. ed. São Paulo: Alfa e Ômega, 1984.

LOURENÇO FILHO, Manuel Bergström. O problema da educação de adultos [1945]. In: FÁVERO, Osmar; BRENNER, Ana Karina (Org.). Educação popular (1947-1966). DVD: NEDEJA/UFF/FAPERJ, 2008.

MAESTRI, Mario. A pedagogia do medo: disciplina, aprendizado e trabalho na escravidão brasileira. In: STEPHANOU, Maria; BASTOS, Maria Helena Câmara Histórias e memórias da educação no Brasil. Vol. I: Séculos XVI-XVIII. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

MANACORDA, Mario Alighiero. História da Educação: da antiguidade aos nossos dias. 13. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

MARX, Karl. Ad Feuerbach (1845). In: A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

MEJÍA, Marco Raúl. Reconstruir la educación popular en tiempos de globalización. La deconstrucción: una estrategia para lograrlo. In: La educación popular hoy y su concreción en nuestras prácticas educativas formales y no formales. XXXII Congresso Internacional. Antigua, Guatemala, 22 al 27 de septiembre de 2001.

MELO, Demian Bezerra de. Crise orgânica e ação política da classe trabalhadora brasileira: a primeira greve geral nacional (5 de julho de 1962). Tese (Doutorado em História). Departamento de História. Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2013.

MENDONÇA, Sônia Regina. Estado, Educação Rural e influência americana no Brasil (1930-1961). Niterói: EDUFF, 2010.

NETTO, José Paulo. Capitalismo monopolista e serviço social. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

PAIVA, José Maria de. Educação jesuítica no Brasil Colonial. In: LOPES, Eliana Marta Teixeira; FARIA FILHO, Luciano Mendes; VEIGA, Cynthia Greive (Org.). 500 anos de educação no Brasil. 5.ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

PAIVA, Vanilda. Anotações para um estudo sobre populismo católico e educação no Brasil. In: PAIVA, Vanilda. (Org.). Perspectivas e dilemas da educação popular. Rio de Janeiro: Graal, 1984b.

PAIVA, Vanilda. História da educação popular no Brasil: educação popular e educação de adultos. 6. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2003.

PAIVA, Vanilda. Introdução. In: PAIVA, Vanilda (Org.). Perspectivas e dilemas da educação popular. Rio de Janeiro: Graal, 1984a.

PAIVA, Vanilda. Paulo Freire e o nacionalismo desenvolvimentista. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

REBUÁ, Eduardo. Da praça ao solo: um novo chão para a universidade. As experiências das universidades populares de Madres de Plaza de Mayo [UPMPM] e Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra [ENFF] em tempos de crise neoliberal na América Latina (2000-2010). Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal Fluminense, 2016.

RELATÓRIO Final do Seminário Regional de Educação de Adultos. 3ª Comissão. Tema: A educação dos adultos e as populações marginais: problema dos mocambos. Pernambuco, 1958. In: FÁVERO, Osmar; BRENNER, Ana Karina (Org.). Educação popular (1947-1966). DVD: NEDEJA/UFF/FAPERJ, 2008.

RODRIGUES, José. O moderno príncipe industrial: o pensamento pedagógico da Confederação Nacional da Indústria. Campinas: Autores Associados, 1998.

ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da educação no Brasil. 19. ed. Petrópolis: Vozes,1997.

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. 4. ed. Campinas: Autores Associados, 2013.

SEMERARO, Giovanni. A primavera dos anos 60. A geração de Betinho. São Paulo: Loyola, 1994.

SIGRIST, José Luiz. A JUC no Brasil. Evolução e impasse de uma ideologia. São Paulo: Cortez; e Piracicaba: UNIMEP, 1982.

STRECK, Danilo; ESTEBAN, Maria Teresa (Org.). Educação popular. Lugar de construção social coletiva. Petrópolis: Vozes, 2013.

UNESCO - ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A EDUCAÇÃO, A CIÊNCIA E A CULTURA. Asistencia técnica para el desarrollo económico. Lake Success: Nações Unidas, 1949.




DOI: https://doi.org/10.22409/mov.v7i12.34733

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 Fontes de indexação:

                                                                              

 

 

Apoio:

 

                                                                  

   

 

                              

 

 

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

click counter
click counter
click counter