“NÃO PRESTEM ATENÇÃO À VOZ DAS SEREIAS!”: o cotidiano feminino na revista “Para Moças” (1940/1960)

Luciane Sgarbi S. Grazziotin, Tainá Martins de Barros, Eduardo Cristiano Hass da Silva

Resumo


A presente pesquisa procura compreender o uso de impressos de cunho civilizatório, publicados no início do primeiro quartel do século XX, e sua relação com o cotidiano feminino inscrito nas práticas sociais, com ênfase nas prescrições de ordem moral e nas relações de gênero presentes nessas prescrições. As fontes investigadas consistem em seis edições da revista “Para Moças”, criada por P. Eliseu e publicadas, possivelmente, entre as décadas de 1940 e/ou 1960. Para atender ao objetivo proposto, os documentos são analisados a partir dos conceitos de civilidade e representação. A metodologia empregada é a análise documental e arquivística. Os impressos analisados, como tantos outros da mesma tipologia, ocupam um lugar importante na educação não escolarizada, sobretudo das mulheres, em um período no qual as representações do feminino e o seu espaço na sociedade sofreram as consequências da expansão da urbanização. As conclusões, ainda iniciais, apontam que a revista “Para Moças” produz um discurso prescritivo, de cunho moral, focado na educação da mulher urbana. Visava a produzir comportamentos galgados nos preceitos e valores morais, nos bons costumes, de forma a construir e difundir representações de mulheres recatadas, obedientes, religiosas e cujo destino natural e desejado era o matrimônio.


Texto completo:

ENG (English) PORT

Referências


ALMEIDA, Jane Soares de. Mulheres no Cotidiano: Educação e Regras de Civilidade (1920/1950). Revista Dimensões, Vitória, v. 33, p. 336-359, jul./dez. 2014.

CASTILLO, Antonio. Educação e Cultura Escrita: A Propósito dos Cadernos e Escritos Escolares. Revista Educação, Porto Alegre, v. 35, n. 1, p. 66-72, jan./abr. 2012.

CHARTIER, Roger. A História Cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Ed. Difel, 2002.

CHARTIER, Roger. A ordem dos livros: leitores, autores e bibliotecas na Europa entre os séculos XIV e XVIII. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1994.

CUNHA, Maria Teresa dos Santos. Armadilhas da Sedução: os romances de M. Delly. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 1999.

CUNHA, Maria Teresa dos Santos. Tenha modos! Manuais de civilidade e etiqueta na escola normal (anos 1920-1960). Florianópolis: UDESC, 2005.

DARNTON, Robert. O Beijo de Lamourette - Mídia, cultura e revolução. Tradução Denise Bottman. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CUNHA, Maira Isabel da; BIANCHETTI, Lucídio. O Programa de Pós-Graduação em Educação da Unisinos: memórias e olhares em questão. In: GRAZZIOTIN, Luciane Sgarbi Santos; DAL’IGNA, Maria Cláudia; ADAMS, Telmo. Os 25 anos do Programa de em Educação da Unisinos: trajetórias e perspectivas. São Leopoldo: Oikos, 2019.

LEMOS, Fernanda. Entrevista com Joan Scott. Revista Mandrágora, São Paulo, v. 19, n. 19, p. 161-164, jan./dez. 2013.

PILLA, Maria Cecília Barreto Amorim. Manuais de Civilidade, Modelos de Civilização. História em Revista, Pelotas, v. 9, p. 1-16, jan./dez. 2003.

RAINHO, Maria do Carmo Teixeira. A distinção e suas normas: leituras e leitores dos manuais de etiqueta e civilidade. Rio de Janeiro, século XIX. ACERVO: Revista do Arquivo Nacional, Rio de Janeiro, v. 8, n. 01/02, jan./dez. 1995.

REVEL, Jacque. Os usos da civilidade. In: ARIÈS, Philippe; CHARTIER, Roger. História da vida privada: da renascença ao século das luzes. São Paulo: Companhia das Letras, 1991. p.169-209. v. 3.

SAMARA, Eni de Mesquita; TUPY, Ismênia S. Silveira T. História & Documento e Metodologia de Pesquisa. Belo Horizonte: Ed. Autêntica Ltda, 2007.

VIÑAO, Antonio. Sistemas Educativos, Culturas Escolares y Reformas. Madrid: Ediciones Morata, 2006.

SCOTT, Joan. Gênero: Uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade, Porto Alegre, vol. 20, n. 2, p. 71-99, jul./dez. 1995.

VIÇOSO. In: MICHAELIS, Dicionário Online. Disponível em: https://michaelis.uol.com.br/palavra/PqydG/vi%C3%A7oso/. Acesso em: 03/ ago. 2019.




DOI: https://doi.org/10.22409/mov.v0i11.38158

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 Fontes de indexação:

                                                                              

 

 

Apoio:

 

                                                                  

   

 

                              

 

 

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

click counter
click counter
click counter