A linguagem dos direitos e o simbólico nas reclamações dos moradores de favelas

Marcus Andre Cardoso da Silva

Resumo


Antropólogos demonstraram que Códigos, leis, etc. refletem uma dada concepção de mundo.Soma-se a isto que, mesmo dentro de uma sociedade, o Direito está sujeito à múltiplas significações. O código pode ser único, mas como ele é vivido e pensado varia (ou pode variar) deacordo com o grupo social acompanhado. Sendo assim, para se entender as demandas por direitose os conflitos que emergem da percepção de que eles estão a ser desrespeitados, é necessário ficaratento ao universo significativo dos envolvidos na situação. Neste artigo abordo a correlação entreconcepções de direitos, insatisfações com a polícia e demandas por respeito, tal como me foiapresentado pelos moradores das favelas do Cantagalo e Pavão-Pavãozinho.

Palavras-chave


Concepções de direitos; violência policial; favelas.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, S. “Conflitualidade e violência: reflexões sobre a anomia na contemporaneidade”.

Tempo Social. Revista de Sociologia da USP, São Paulo, v. 10, n. 1: 19-47. 1998.

BOHANNAN, Paul. Justice and judgment among the tiv. USA, Illinois, Waveland press .

217 p.

CANO, Ignácio. “Nós e eles: direitos humanos, a polícia e a visão dicotômica da sociedade”.

In NOVAES, Regina (org.) Direitos Humanos: temas e perspectivas. Rio de Janeiro, MUAD,

p 117-122.

CARDOSO, Marcus. Como morre um projeto de policiamento comunitário. O caso do

antagalo e do Pavão-Pavãozinho. Brasília. Tese de Doutorado. Universidade de Brasília -

PPGAS-UnB, 345 p. 2010.

_____________. “Eu finjo que não te vi, você finge que não me vê”: uma etnografia sobre a

relação entre polícia comunitária, tráfico e população favelada. Brasília. Dissertação de

mestrado. Universidade de Brasília – PPGAS-UnB, 2005. 141 p.

_____________. “A localização na favela: percepções e práticas do espaço entre católicos do

Pavão-Pavãozinho”. Comunicações do ISER. Rio de Janeiro, Número 58, ano 22: 50-61.

_____________. A look of favelados on the police: issues of violence, disregard and

citizenship. In: International Congress of Americanists. Vienna, 2012. Anais. ICA, endereço

eletrônico:

ica2012.univie.ac.at/index.php?id=117126&no_cache=1&L=20&tx_univietablebrowser_pi1

%5Bbackpid%5D=117125&tx_univietablebrowser_pi1%5Bfkey%5D=660. 2012a.

______________. A dimensão simbólica do conflito: moradores de favelas, polícia e

concepcões de direitos. In: Encontro da Associação Nacional de Direitos Humanos – Ensino e

Pesquisa. Curitiba, 2012. Anais ANDHEP, endereço eletrônico:

http://www.sistemasmart.com.br/andhep2012/. 2012b.

CARDOSO DE OLIVEIRA, L. R. Direito legal e insulto moral: dilemas de cidadania no

Brasil, Quebec e EUA. Rio de Janeiro, Relume-Dumará. 2002. 157 p.

____________. “A dimensão simbólica dos direitos e a análise dos conflitos”. Revista de

Antropologia (USP. Impresso), v.53: 451-473. 2011a.

____________. “Concepções de igualdade e cidadania”. Contemporânea Revista de

Sociologia da UFSCar, v.1: 35-48. 2011b.

COSTA, Arthur Trindade Maranhão. “As reformas nas polícias e seus obstáculos: Uma

análise comparada das interações entre a sociedade civil, a sociedade política e as polícias”.

DAMATTA, Roberto. “CIDADANIA – A questão da cidadania num universo relacional”. In

DAMATTA, R. A casa e a rua: espaço, cidadania, mulher e morte no Brasil. Rio de Janeiro,

Rocco, 2000. p. 65-95.

EXTRA. Fesra no morro dos macacos acaba em briga entre PMs da UPP e moradores.

Disponível em: http://extra.globo.com/casos-de-policia/festa-no-morro-dos-macacos-acabaem-

briga-entre-pms-da-upp-moradores-corregedoria-apura-caso-1302285.html. Acessado em:

/02/2012. 2011.

FREIRE, L. L. "Em nome da comunidade: o papel das associações de moradores no processo

MELLO, Marco Antônio da Silva; MOTA, Fabio Reis; VEIGA, Felipe Berocan. (Org.).

Arenas Públicas: por uma etnografia da vida associativa. 1 ed. Niterói, EdUFF, 2011. p.

-133.

Civitas, Porto Alegre, v. 8: 409-427. 2008.

GEERTZ, Clifford. O saber local: novos ensaios em antropologia interpretativa. Petrópolis,

Editora Vozes, 2002. 366 p.

GLUCKMAN. Max. Politics, law and ritual in tribal society. USA, AldineTransaction, 2006.

p.

HUMAN RIGHTS WATCH. Força Letal: Violência policial e segurança pública no Rio de

Janeiro e São Paulo. USA: HRW. 2009.

KANT DE LIMA, Roberto. A polícia da cidade do Rio de Janeiro: seus dilemas e paradoxos.

Rio de Janeiro, Editora Forense, 1995. 164 p.

________________. “Espaço público, sistemas de controle social e práticas policiais: o caso

brasileiro em uma perspectiva comparada”. In NOVAES, Regina (org.) Direitos Humanos:

temas e perspectivas. Rio de Janeiro, MUAD, 2001. p. 94-111.

LEEDS, Elizabeth. Cocaína e poderes paralelos na periferia urbana brasileira: ameaças à

democratização em nível local. In: ZALUAR, Alba; ALVITO, Marcos (orgs.). Um século de

favela. Rio de Janeiro, FGV, p 233-276. 1998.

LEITE, M. P. Para Além da metáfora da guerra: percepções sobre cidadania, violência e paz

no Grajaú, um bairro carioca. Rio de Janeiro. Tese de doutorado IFCS-UFRJ. 2001. 398 p.

MACHADO, Eduardo; NORONHA, Ceci. “A polícia dos pobres: violência policial em

classes populares urbanas”. Sociologias. Porto Alegre, ano 4, n 7: 188-22. 2002.

MACHADO, Lia Z. “Entre o inferno e o paraíso. Saúde, direitos e conflitualidades”. In Série

Antropológica, Brasília, UnB: 1-20. 2003.

MACHADO DA SILVA, L.A. ; LEITE, Marcia. “Violência, crime e polícia: o que os

favelados dizem quando falam desses temas?”. In: MACHADO DA SILVA, L.A. (Org.) Vida

sob cerco: violência e rotina nas favelas do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Nova Fronteira,

p. 47-76. 2008.

MALINOWSKI, B. Crime e Costume na sociedade selvagem. Brasília: Editora Universidade

de Brasília; São Paulo, Imprensa Oficial do Estado, 2003. 99 p.

MOTA, F. R., FREIRE, L.L. “O direito de ter ou não ter direitos: a dimensão moral do

reconhecimento na promoção de cidadania”. Contemporânea Revista de Sociologia da

UFSCar, v.1: 127-145. 2011.




DOI: https://doi.org/10.22409/conflu14i2.p286

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Confluencias



A Revista Confluências é Qualis B1.

Esta revista encontra-se indexada em:

 

Resultado de imagem para bielefeld base