A AGENDA 2030 PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DA ONU E SEUS ATORES: O IMPACTO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS.

Francisco Toniolo de Carvalho

Resumo


O presente artigo visa apresentar o papel dos atores locais nas relações internacionais dentro do contexto de concretização dos 17 objetivos elencados na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU). Estes são 17 objetivos estão elencados ao longo de um documento formal ratificado pelos 193 Estados membros da ONU. Para isso, o artigo apresenta um breve histórico da construção do conceito de desenvolvimento sustentável bem como uma análise da evolução do conceito de atores internacionais nas principais teorias das relações internacionais com o objetivo de evidenciar qual a função dos atores locais no plano das relações internacionais através do seu papel de implementadores dos objetivos da Agenda 2030. A metodologia utilizada enfatizou a revisão bibliográfica e a análise documental, em especial da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. A conclusão mostra que a Agenda 2030 eleva o papel das cidades como atores das relações internacionais.


Palavras-chave


relações internacionais; atores; Agenda 2030

Texto completo:

PDF

Referências


BARBÉ, Esther. Relaciones internacionales. 2ed. Madrid: Editorial Tecnos, 2001.

CANELAS, André. A evolução do conceito de desenvolvimento sustentável e as suas interações com as políticas econômica, energética e ambiental. 2004. Disponível em: . Acesso em: 11/06/2018.

CORRÊA, Darcísio; BACKES, Elton Gilberto. Desenvolvimento sustentável: em busca de novos fundamentos. In: SPAREMBERGER, Raquel Fabiana Lopes; PAVIANI, Jayme. Direito Ambiental: um olhar para a cidadania e sustentabilidade planetária. Caxias do Sul: Educs, 2006. p. 83–114.

FRIAS, Juliana Moraes. A relação entre equidade intergeracional e desenvolvimento sustentável. In: BEJAMIN, Antônio Herman et alia (orgs.). Congresso Brasileiro de Direito Ambiental - PNMA: 30 anos da Política Nacional de Meio Ambiente. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2011. v. 1. p. 367-376.

HERZ, Mônica. Contribuições teóricas para o estudo das organizações internacionais. In: HERZ, Mônica e HOFFMAN, Andrea. Organizações Internacionais: Histórias e Práticas. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015. cap. 2. Ebook. Disponível em: . Acesso em: 11/06/2018.

KAHLER, Miles. Inventing International Relations: International Relations Theory After 1945. In: DOYLE, M. W. & IKENBERRY, G. J. (eds). New Thinking in International Relations Theory. Boulder : Westview, 1997.

KEOHANE, Robert O. e NYE, Joseph. Realism and Complex Interdependence. In: LECHNER, Frank J. e BOLI, John. The Globalization Reader. Oxford (UK): Blackwell, 2000, p. 77-83.

MATOS, Richer de Andrade; ROVELLA, Syane Brandão Caribé. Do crescimento econômico ao desenvolvimento sustentável: conceitos em evolução. Revista eletrônica dos Cursos de Administração e Ciências Contábeis – Faculdade Opet [online]. n. 3, Jan/Jul 2010. Disponível em: . Acesso em: 15/06/2018.

MRE – MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES. Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. 2016. Disponível em: . Acesso em: 25/06/2018.

ONU – ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Comissão mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento. Nosso futuro comum. 2ª ed. Ed. Fundação Getúlio Vargas, 1991.

ONU BR – NAÇÕES UNIDAS NO BRASIL – ONU BR. A Agenda 2030. 2015. Disponível em: . Acesso em: 21/06/2018.

NOGUEIRA, João Pontes; MESSARI, Nizar. Teoria das Relações Internacionais: correntes e debates. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.

NOVAES, Washington. Agenda 21: um modelo de civilização. In: TRIGUEIRO, André. Meio Ambiente no século 21. Rio de Janeiro: Sextante, 2003. p. 323-331.




DOI: https://doi.org/10.22409/conflu.v21i3.34665

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Confluências | Revista Interdisciplinar de Sociologia e Direito



A Revista Confluências é Qualis B1.

Esta revista encontra-se indexada em:

 

Resultado de imagem para bielefeld base