Os corvos de Púchkin: a tradução da tradução

Ekaterina Vólkova Américo

Resumo


A história das traduções de Aleksandr Púchkin no Brasil, bem como a dos estudos puchkinianos, evidencia lacunas existentes nessas áreas, principalmente no que diz respeito a sua herança poética. Em seguida, dedico-me ao caso particular do poema de Púchkin Os corvos (1828), uma tradução livre das baladas escocesas The three ravens e The twa Corbies, publicadas por Walter Scott em 1802-1803. A análise semântica do poema demonstra transformações significativas em relação às baladas originais. Por sua vez, a consciência sobre a origem folclórica do poema puchkiniano predestinou muitas das escolhas feitas por tradutores brasileiros, Boris Schnaiderman e Nelson Ascher.

 

---

DOI: http://dx.doi.org/10.22409/gragoata.2017n43a952.


Palavras-chave


Aleksandr Púchkin. Poesia Russa. Tradução. Semiótica da Cultura.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/gragoata.v22i43.33505

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 


A Gragoatá é uma revista dos Programas de Pós-graduação em Letras da UFF:

Ir para Pós Estudos de Linguagem Ir para Pós Estudos de Literatura


ISSN (impresso) 1413-9073 - de 1996 a 2013
ISSN (online) 2358-4114 - de 2014 em diante


A Gragoatá está indexada nas seguintes bases:

Portal de Periódicos da UFF

Latindex Porbase Google Acadêmico Diadorim Periódicos Capes EZB DOAJ Sumários.Org ErihPlus


Licença Creative Commons
A Gragoatá utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.