Ser argentino: reflexões acerca das representações identitárias na trilogia de la memoria de Pedro Orgambide

Fernanda Palo Prado

Resumo


O escritor Pedro Orgambide viveu 9 anos exilado no México durante o período da última ditadura civil-militar da Argentina, seu país natal. Assim que voltou a Buenos Aires publicou uma série de romances que ficou conhecida como trilogía de la memoria. A proposta desse artigo é refletir sobre as representações identitárias em cada uma dessas obras. De cada romance, um personagem foi escolhido para mobilizar essa reflexão que abordará temas como a representação do gaucho, de imigrante[s] e do peronismo, como partes de um processo de formação de um sentido – complexo e mutante – de identidade nacional, parte da construção de um universo social.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.