A Formação do Conhecimento no Campo do Direito e das Ciências Sociais: Questões Teórico-Metodológicas

Michel Lobo

Resumo


O presente trabalho analisa, por meio da comparação por contrastes, a formação do conhecimento no campo do Direito e da Antropologia, e as possibilidades de diálogos – e seus ganhos – entre o fazer antropológico e o fazer jurídico. Para tanto, parto da minha experiência como graduado em Direito, e posteriormente como pós-graduando no campo das Ciências Sociais, especificamente na área da Sociologia e da Antropologia. Ao longo dessa trajetória acadêmica, muitas foram minhas trocas reflexivas com outros estudantes e profissionais em uma direção profissional semelhante a minha, assim como as dificuldades e problemas enfrentados, próprios dessa transição, e do diálogo entre esses campos do conhecimento. Pesquisas no âmbito da Justiça Criminal e Da Segurança Pública, de antropólogos e de operadores do direito com formação posterior em ciências sociais, também me orientaram na proposta desse trabalho.


Palavras-chave


Antropologia do Direito, Formação do Conhecimento, Campo.

Texto completo:

PDF

Referências


BERTRAND, Pulman. Por Uma História Da Noção De Campo. In: Revista Cadernos de Campo. São Paulo, n. 16 p. 201-218, 2007.

BOURDIEU, Pierre. A Força Do Direito: Elementos Para Uma Sociologia Do Campo Jurídico. In: O Poder Simbólico, pp. 209-254. 16ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto. O Trabalho do Antropólogo: Olhar, Ouvir e Escrever. In: _____. O Trabalho do Antropólogo. São Paulo: Editora UNESP, 1998.

DAMATTA, Roberto. “O Ofício do Etnólogo ou como ter ‘Anthropological Blues”. In: NUNES, Edson de Oliveira (org). A aventura sociológica: Objetividade, paixão, improviso e método na pesquisa social. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

______. Relativizando: Uma introdução à Antropologia Social. Rio de Janeiro: Rocco, 1987. Pág. 143-173.

GEERTZ, Clifford. O Saber Local: Fatos E Leis Em Uma Perspectiva Comparativa. In: O Saber Local: Novos Ensaios em Antropologia Interpretativa, pp. 249-356. Petrópolis: Vozes, 1998.

GLUCKMAN, Max. O Material Etnográfico Na Antropologia Social Inglesa. In: Desvendando Máscaras Sociais, pp. 63-76. 3ªed. Editora Francisco Alves. 1975.

LIMA, Michel Lobo Toledo. Próximo da Justiça e Distante do Direito: Um Estudo Num Juizado Especial Criminal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro. 2014. 170 p. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Programa de Pós-Graduação em Sociologia (IESP) da UERJ.

LIMA, Roberto Kant de. A Antropologia da Academia: Quando os Índios Somos Nós. 2ª Ed. Niterói: EDUFF, 1997.

______. Sensibilidades Jurídicas, Saber e Poder: Bases Culturais De Alguns Aspectos Do Direito Brasileiro Em Uma Perspectiva Comparada. In: Anuário Antropológico, v. 2, p. 25-51, 2010.

______. BAPTISTA, Barbara L. O desafio de realizar pesquisa empírica no direito. Anuário Antropológico, 2014.

LUPETTI BAPTISTA, Bárbara Os Rituais Judiciários e o Princípio da Oralidade: Construção da verdade no processo civil brasileiro. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 2008. 335p.

MIRANDA, Ana Paula Miranda. Dilemas Da Formação Policial: Treinamento, Profissionalização e Mediação. Educação Profissional (Brasília. Online), v. 3, p. 119-128, 2008.

PEIRANO, Marisa. Artimanhas do Acaso. Anuário Antropológico, nº 89. Pág. 9-21. Tempo Brasileiro: Rio de Janeiro, 1992.

SIMMEL, Georg. A Natureza Sociológica Do Conflito. In: Moraes Filho, Evaristo (org.) São Paulo, Ática, 1983.

SOARES, Gláucio Ary Dillon. O Calcanhar Metodológico Da Ciência Política No Brasil. Sociologia, Problemas e Práticas, n.º 48, 2005, pp. 27-52.

VARGAS, Joana Domingues. Análise Comparada do Fluxo do Sistema de Justiça para o Crime de Estupro. DADOS – Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, Vol. 50, n.º 4, 2007, pp. 671 a 697.

VELHO, Gilberto. Observando O Familiar. In: NUNES, Edson de Oliveira (org.). In: A aventura sociológica: Objetividade, Paixão, Improviso e Método Na Pesquisa Social, pp 23-46. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

VELSEN, J. Van. A Análise Situacional e o Método de Estudo Detalhado. In: Antropologia das Sociedades Contemporâneas: Métodos, p. 437-468. 2ª Ed. São Paulo: Editora UNESP, 2010.

WRIGHT-MILLS, C. Do Artesanato Intelectual. In: ______. A Imaginação Sociológica. Rio de Janeiro. Zahar Editores, 1975.




DOI: https://doi.org/10.22409/conflu17i2.p411

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Confluencias



A Revista Confluências é Qualis B1.

Esta revista encontra-se indexada em:

Resultado de imagem para bielefeld base

Logotipo Facebook - Logotipo.pt