POR UM DIREITO À LIBERDADE: RAUL SEIXAS E A SOCIEDADE ALTERNATIVA/ THE RIGHT TO FREEDOM: RAUL SEIXAS AND THE ALTERNATIVE SOCIETY/POR EL DERECHO A LA LIBERTAD: RAUL SEIXAS Y SOCIEDAD ALTERNATIVA

Autores

  • Leilane Serratine Grubba Programa de Pós-graduação stricto sensu em Direito da Faculdade Meridional Professora Permanente
  • Amanda Muniz Oliveira Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.22409/rcj.v4i7.261

Palavras-chave:

Direito e Música, Liberdade, Rock, Raul Seixas, Law & Music, Freedom

Resumo

Resumo: O presente artigo, de alcance conceitual, tem por objeto a relação entre Direito e Música e busca demonstrar de que forma a música pode ser utilizada como veículo de contestação e luta social, a partir do exemplo de Raul Seixas. Tendo alcançado sucesso de público no período ditatorial brasileiro, época na qual os direitos e garantias fundamentais, como a liberdade de expressão, eram tolhidos arbitrariamente, o artista procurou utilizar seu status social e sua audiência para disseminar ideais relativos à liberdade individual. Conhecedor da Lei de Thelema, Raul ressignificou esse postulado esotérico e o aplicou no campo social e político brasileiro, de modo a difundir suas premissas como forma de luta e resistência contra a ditadura. O artigo, nesse sentido, irá problematizar uma forma de se utilizar a música como objeto de estudo do direito, a partir do exemplo de Raul Seixas, bem como uma forma de como a música pode influenciar o campo social, político e jurídico. Para tanto, metodologicamente, se buscará investigar como e por que a música deve ser considerada uma promissora fonte de estudos jurídicos; na sequência, será contextualizada a situação brasileira da década de 70, época de maior sucesso de Raul Seixas, e investigada a maneira como o artista utilizou de seu lugar de destaque para denunciar e contestar o status quo.

Abstract: This conceptual article aims the relation that can be established between Law and Music, as well as it seeks to show how music can be used as a vehicle of protest and social struggle, by the example of Raul Seixas. Having achieved great success in Brazilian dictatorial period, time in which fundamental rights and guarantees such as freedom of expression were arbitrarily constrained, the artist sought to use his status in society, also his audience, to spread ideals concerning individual freedom. Believing in the importance of Thelema Law, the musician tried to apply its esoteric propose in Brazilian social and political field, in order to spread its premises as a form of struggle and resistance against dictatorship. In this sense, the article questions the way of using music as a field of study of law, by the example traced by Raul Seixas, as well as it questions how can music influence social, political and juridical fields. For this, methodologically, we will investigate how and why music should be considered a promising source of legal studies. After, we will try to understand Brazilian 70’s, time in which Raul had his most success. Also, in the end, we will try to analyze how the artist used his prominent position to expose and challenge the status quo.

 Resumen: Este artículo, de alcance conceptual, tiene como objetivo la relación entre Derecho y Música y busca demostrar cómo la música se puede utilizar como vehículo para contestación y lucha social, a partir del ejemplo de Raúl Seixas. Habiendo logrado el éxito de público en el período dictatorial brasileño, una época en que los derechos y garantías fundamentales, Al igual que la libertad de expresión, fueron arbitrariamente restringidas, el artista buscó utilizar su condición social y audiencia para difundir ideales relacionados con la libertad individual. Experto de la Ley de Thelema, Raúl reformuló este postulado esotérico y lo aplicó en el campo social y político brasileño, a fin de difundir sus premisas como forma de lucha y resistencia contra la dictadura. En este sentido, el artículo problematizará una forma de utilizar la música como objeto de estudio del derecho, a partir del ejemplo de Raúl Seixas, así como una forma de cómo la música puede influir en el ámbito social, político y jurídico. Para ello, metodológicamente, buscaremos indagar cómo y por qué la música debe ser considerada una fuente prometedora de estudios jurídicos, a raíz de estudios sobre derecho y otros lenguajes artísticos como literatura; A continuación, se contextualizará la situación brasileña de los años 70, la época más exitosa para Raúl Seixas y la forma en que el artista utilizó su lugar de destacar para denunciar y cuestionar el status quo.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leilane Serratine Grubba, Programa de Pós-graduação stricto sensu em Direito da Faculdade Meridional Professora Permanente

Doutora e Mestre em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Direito da Faculdade Meridional (IMED). Professora da Escola de Direito da Faculdade Meridional (IMED). Pesquisadora da Fundação Meridional. Coordenadora do grupo de pesquisa MAR – Migração, Asilo e Refúgio (CNPq/IMED), e do grupo de pesquisa FUNDDIH – Fundamentos e Dimensões dos Direitos Humanos (CNPq/IMED). Líder do Centro de Direito, Democracia, Desenvolvimento e Sustentabilidade, vinculado à IMED.

 

Amanda Muniz Oliveira, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestre em Direito e Doutoranda em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina. Bacharela em Direito pelas Faculdades Santo Agostinho de Montes Claros (MG-FADISA). Pesquisadora do Núcleo de Estudos Conhecer Direito (NECODI – UFSC/CNPq). Pesquisadora no Grupo de Pesquisa Modelagem e Compreensão de Sistemas Sociais: Direito, Estado, Sociedade e Política (UFSC/CNPq). Pesquisadora do Grupo de Pesquisa e Extensão Direito das Mulheres (CCJ/UFSC). Membro do Núcleo de História e Rock – NEHROCK (CFH/UFSC). Bolsista CAPES.

Referências

ABAD, Manuel D. Lasconcienciasdel rock. Um largo trayeto del inconformismo a la
integración. In., Ábaco, 2 Epoca, n. 9/10, Tolerância frente a exclusión (1996). Published por Centro de Iniciativas culturales y estudios econonomicos y sociales
(CICESS). p. 111-118.
BAHIANA, Ana. Eu em noites de sol. In: PASSOS, Sílvio (org.). Raul Seixas por ele mesmo. São Paulo: Martin Claret, 1990.
BOSCATO, Luiz Alberto de Lima. Vivendo a Sociedade Alternativa: Raul Seixas no Panorama da Contracultura Jovem. 2006. 258 f. Tese (Doutorado em História) –
Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo. 2006. Disponível em: < http://migre.me/sINvu>. Acesso em 17 jan. 2016.
BUDA, Toninho. Os movimentos alternativos. In: PASSOS, Sylvio (org). Raul Seixas: uma antologia. São Paulo, SP: Martin Claret, 2000.
BUENO, Cássio Scarpinela. Direito, interpretação e norma jurídica: Uma aproximação musical do direito. In: NANNI, Giovanni Ettore (coord.). Temas relevantes do direito civil contemporâneo: estudos em homenagem ao Professor Renan Lotufo. São Paulo: Atlas, p. 170-193, 2008. Disponível em: <http://migre.me/skb6H> . Acesso em 06 dez. 2015.
CARVALHO, José Murilo de. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2008.
CARVALHO, Salo de. Das Subculturas Desviantes ao Tribalismo Urbano (Itinerários da Criminologia Cultural através do Movimento Punk). In: LINCK, José Antônio Gerzson; MAYORA, Marcelo; PINTO NETO, Moysés; CARVALHO, Salo de. Criminologia cultural e rock. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2011, p. 149-223. Disponível em:
<http://migre.me/skHtF>. Acesso em 07 dez. 2015.
CARVALHO, Walter. Raul: o início, o fim e o meio. 2012, 100 min.
CROWLEY, Aleister. Liber AL vel Legis: O Livro da Lei. Disponível em: <http://migre.me/sINAN>. Acesso em: 17 jan. 2016.
ESSINGER, Silvio. O Baú do Raul Revirado. Rio de Janeiro: Ediouro, 2005.
FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo: Edusp, 1995.
FERREIRA, Bianca Márcia. A Sociologia de Raul Seixas – A arte como espelho social de sua época. 96 f. 2013. Dissertação (Mestrado em Sociologia), Faculdade de
Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. 2013. Disponível em: < http://migre.me/sINFX>. Acesso em 17 jan. 2016.
FRANS, Elton. Raul Seixas: a história que não foi contada. São Paulo: Irmãos Vitale, 2000.
GODOY, Arnaldo Sampaio de Moraes. Direito e literatura: os pais fundadores John Henry Wigmore, Benjamin Nathan Cardoso e LonFuller. In: André Trindade; Germano Schwartz. (Org.). Direito e literatura: o encontro entre Themis e Apolo, p. 21-50. Curitiba: Juruá, 2008.
GRUBBA, Leilane Serratine. Conhecer os direitos humanos em Dom Quixote: a dicotomia entre idealidade e realidade. Revista Direitos Culturais, v. 10, n. 20, p. 13-
31, 2015.
LIMA, Luiz. Vivendo a Sociedade Alternativa: Raul Seixas no seu Tempo. São Paulo: Terceira Margem, 2007.
LOPES, Mônica Sette. Uma metáfora: Música&Direito. São Paulo: LRT, 2006.
MAURO, André. O último anarquista. In: PASSOS, Sílvio (org.). Raul Seixas por ele mesmo. São Paulo: Martin Claret, 1990. OLIVO, Luiz Carlos Cancellier de. Panorama da pesquisa em Direito e Literatura. In: Luis Carlos Cancellier de Olivo. (Org.). Novas contribuições à pesquisa em direito e literatura. Florianópolis: Editora da UFSC - Editora da Funjab, 2012, v. 6.
ORTIZ, Renato. Estudos culturais. Tempo soc., São Paulo , v. 16, n. 1, p. 119-127, June 2004. Disponível em: < http://migre.me/rZpU0 >. Acesso em: 01 nov. 2015.
PEREIRA, Daniele; AGUINEL, Marco. O controle do Direito e a Sociedade Alternativa de Raul Seixas: uma análise da proposta (in)sustentável da cidade das estrelas. In: Anais do II Congresso Internacional de Estudos do Rock. Cascavel, 2014. Disponível em: <http://migre.me/skHvB>. Acesso em: 07 dez. 2015.
PINTO NETO, Moysés. Itinerários errantes do rock: dos Beatles ao Radiohead. In: LINCK, José Antônio Gerzson; MAYORA, Marcelo; PINTO NETO, Moysés;
CARVALHO, Salo de. Criminologia cultural e rock. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2011, p. 49-94. Disponível em: <http://migre.me/skHtF>. Acesso em 07 dez. 2015.
RADA NETO, José. As aventuras de Raul Seixas no campo musical: trajetória artística e relações com a indústria fonográfica (1967-1974). 347 f. Dissertação
(Mestrado em Sociologia Política) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012. Disponível em: <http://migre.me/sINSa>. Acesso em: 06 dez. 2015.
RAUL SEIXAS. Só pra variar. In: Abre-teSésamo: Sony Music Enterteinment,1980. Faixa 05. CD.
_____. Sociedade Alternativa. Sociedade Alternativa. In: Gita: Philips, 1974. Faixa 07. CD.
RIDENTI, Marcelo. Cultura e política: os anos 1960-1970 e sua herança. In: FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucilia de Almeida Neves. O Brasil Republicano – o
tempo da ditadura: regime militar e movimentos sociais em fins do século XX. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.
RORTY, R. Objectivity, RelativismandTruth: PhilosophicalPapers Volume I. Cambridge: Cambridge University Press, 1991.
SCHWARTZ, Germano. Direito & Rock: o BRock e as expectativas normativas da Constituição de 1988 e do Junho de 2013. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2014. Ebook não paginado.
SEIXAS, Kika (org). Raul Rock Seixas. São Paulo: Globo, 1996.
SEIXAS, Raul. Krig-Ha, Bandolo! (O Grito de Guerra). In: PASSOS, Sylvio (org.). Raul Seixas por ele mesmo. São Paulo: Martin Claret, 1990.
SEVERIANO, Jairo. Uma história da música popular brasileira: das origens à modernidade. São Paulo: Ed. 34, 2008.
SOUZA, Tárik de. (org). Baú do Raul. São Paulo: Globo, 1992.
TEIXEIRA, Rosana Câmara. KRIG-HA, BANDOLO! Cuidado, aí vem Raul Seixas!. Rio de Janeiro: Editora 7 Letras, 2008.
UEHLEIN, Joel. Na overture into the future: the music of social justice. In., Labor Forum. n. 9. United States: Sage Publications, p. 24-34, 2001.
WARD, Ian. Law and Literature: Possibilities and perspectives. Cambridge: Cambridge University Press, 2008.
WHITE, James Boyd. The Legal Imagination: abridged edition. Chicago: The University of Chicago Press, 1985.

Downloads

Publicado

2017-06-13