A MANTRIZAÇÃO DA CONSTITUIÇÃO NOS DISCURSOS POLÍTICOS NO PROCESSO DE IMPEACHMENT DE DILMA ROUSSEFF ... / THE MANTRIFICATION OF THE CONSTITUTION IN THE POLITICAL DISCOURSES DURING DILMA ROUSSEF´S IMPEACHMENT PROCCESS... /LA MANTRIFICACIÓN DE LA CONSTITUCIÓN EN LOS DISCURSOS POLÍTICOS DURANTE EL PROCESO DE ACCIÓN DE DILMA ROUSSEF...

Autores

  • Danilo José Viana da Silva Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal de Pernambuco.
  • Alexandre Ronaldo da Maia de Farias Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal de Pernambuco.

DOI:

https://doi.org/10.22409/rcj.v4i9.327

Palavras-chave:

Constituição, Discurso, Mantra, Pierre Bourdieu / Keywords, Constitution, Speech, Pierre Bourdieu / Palabras Clave, Constitución, Pierre Bourdieu.

Resumo

A MANTRIZAÇÃO DA CONSTITUIÇÃO NOS DISCURSOS POLÍTICOS NO PROCESSO DE IMPEACHMENT DE DILMA ROUSSEFF: UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE A EFICÁCIA PERFORMATIVA DA PALAVRA AUTORIZADA

Resumo: Este artigo tem como objeto analisar o processo de divinização do texto constitucional nos discursos em defesa do Impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Com a ajuda da sociologia de Pierre Bourdieu, foi possível se analisar as estratégias simbólicas empregadas no sentido de transformar uma relação de força política em uma relação sagrada, onde o discurso dos direitos acaba tomando um viés religioso. Com isso, foram analisados trechos dos discursos dos juristas envolvidos com o objetivo de testar a hipótese de divinização da constituição e de sua frequente evocação como prática de legitimação discursiva. A hipótese pôde ser testada na medida em que a análise dos discursos proferidos permitiu se averiguar em que sentido os juristas empregaram táticas que, aliadas a elementos políticos, religiosos e jurídicos, possibilitaram uma construção maniqueísta do processo, transformando a Constituição em Mantra, em palavra sagrada, e o discurso prol Impeachment em representante do Bem. 

 

 

 

THE MANTRIFICATION OF THE CONSTITUTION IN THE POLITICAL DISCOURSES DURING DILMA ROUSSEF´S IMPEACHMENT PROCCESS: AN INVESTIGATION ON THE PERFORMATIVE EFFICACY OF THE AUTHORIZED WORD

Abstract: The present paper aims to analyse the process of deification of the constitutional text in the speeches in claiming for the Impeachment of former President Dilma Rousseff with the aid of Pierre Bourdieu´s sociology, it was possible to analyze the symbolic strategies used transform a relationship of political force into a sacred relationship, where the discourse of law ends up taking a religious bias. We selected sections fo speeches fo the jurists involved, to test the hypothesis was tested to the extent to which to analysis of the speeches made it possible to acertain in what sense the jurists employed tactics that, together with political, religious and juridical elements, made possible a Manichean construction of the process, transforming the Constitution into a sacred mantra, an the Impeachment itself, a representation of good.

 

 
LA MANTRIFICACIÓN DE LA CONSTITUCIÓN EN LOS DISCURSOS POLÍTICOS DURANTE EL PROCESO DE ACCIÓN DE DILMA ROUSSEF: UNA INVESTIGACIÓN SOBRE LA EFICACIA PERFORMATIVA DE LA PALABRA AUTORIZADA

Resumen: El presente trabajo tiene como objetivo analizar el proceso de deificación del texto constitucional en los discursos de reivindicación de la acusación de la ex presidenta Dilma Rousseff con la ayuda de la sociología de Pierre Bourdieu, fue posible analizar las estrategias simbólicas utilizadas para transformar un relación de fuerza política en una relación sagrada, donde el discurso del derecho acaba tomando un sesgo religioso. Se seleccionaron apartados para los discursos de los juristas involucrados, para contrastar la hipótesis fue contrastada en la medida en que el análisis de los discursos permitió conocer en qué sentido los juristas emplearon tácticas que, junto con elementos políticos, religiosos y jurídicos, hicieron posible una construcción maniquea del proceso, transformando la Constitución en un mantra sagrado, y la acusación misma, una representación del bien.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Danilo José Viana da Silva, Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal de Pernambuco.

Doutorando e Mestre (2014) em Filosofia e Teoria Geral do Direito pelo Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal de Pernambuco (PPGD/UFPE). Graduado (2012) em Direito pela Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP). Atualmente desenvolve pesquisas sobre a eficácia performativa da palavra autorizada nos campos acadêmico e jurídico, bem como sobre os processos de produção de expectativas pelo universo acadêmico-jurídico tendo por base a sociologia Reflexiva de Pierre Bourdieu.

Alexandre Ronaldo da Maia de Farias, Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal de Pernambuco.

Possui graduação em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco (1995), mestrado em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco (1999), mestrado em Teorías Críticas Del Derecho y Democracia En Ibero - Universidad Internacional de Andalucía (2000) e doutorado em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco (2002). Atualmente é professor adjunto 4 da Universidade Federal de Pernambuco. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Filosofia do Direito, atuando principalmente nos seguintes temas: filosofia do direito, teoria geral do direito, hermenêutica jurídica, teoria da argumentação jurídica e argumentação jurídica. Foi coordenador de extensão do curso de direito da UFPE e o 1º Vice-Presidente da Associação Brasileira de Filosofia do Direito e Sociologia do Direito - ABRAFI. Licenciou-se das atividades acadêmicas por cessão ao Governo do Estado de Pernambuco, atuando junto à Secretaria do Governo (SEGOV). Voltou a lecionar na Faculdade de Direito do Recife (Universidade Federal de Pernambuco) em 2014. É o atual coordenador do curso de graduação em direito (desde 2016).

Referências

AUSTIN, J. L. How to do things with words. New York, Oxford Universit, 1962.
BEVENISTE, Émile. Le vocabulaire des institutions indo-européennes. Paris: Minuit, 1969.
BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Trad. Fernando Tomaz – 2 ed. RJ, Bertrand Brasil, 1998.
______. Sobre o Estado: cursos no Collège de France. Trad.: Rosa Freire d´Aguiar. – 1ª ed. – São Paulo: Companhia das Letras, 2014.
______. A economia das trocas linguísticas: o que falar que dizer. – 2ª, ed. – São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.
CASSIRER, Ernest. A filosofia das formas simbólicas: Vol. I – a linguagem. Trad.: Marion Fleischer. – São Paulo: Martins Fontes, 2001.
CHAMPAGNE, Patrick. Formar a opinião: o novo jogo político. Trad.: Guilherme João de Freitas Teixeira. – Petrópolis, RJ: Vozes, 1996.
DURKHEIM, Émile. Da divisão do trabalho social.Trad.: Eduardo Brandão. – 4ª, ed. – São Paulo: Martins Fontes, 2010.
HIRSCHMAN, Albert O. Política econômica na América latina. Trad.: Carlos Werneck de Aguiar e Jorge Arnaldo Fortes. – Rio de Janeiro: Editora Fundo de Cultura S/A, 1965.
SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de linguística geral. Trad.: Antônio Chelini, José Paulo Paes e Izidoro Blikstein. – São Paulo: Editora Cultrix, 2010.
WEBER, Max. Economia e sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. Vol. I. Trad. Regis Barbosa e Karen Elsabe Barbosa. 4ª Ed. 3ª reimpressão – Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2012.

Downloads

Publicado

2017-12-09