E OS EDUCADORES, COMO ESTÃO?

ANA MARIA BENEVIDES-PEREIRA, DANIELLE YAMASHITA, ROGÉRIO TAKAHASHI

Resumo


Os processos de estresse e burnout vêm chamando a atenção dos pesquisadores pelos transtornos tanto pessoais como sociais que acarretam. Esta investigação teve como objetivo avaliar a incidência de estresse e burnout em 101 professores. Foram utilizados um questionário, o ISE e o MBI. Mais da metade dos professores evidenciava transtornos físicos (51,5%) e psicológicos (53,5%) característicos do stress,
apresentando também exaustão emocional (42,6%), desumanização (31,7%) e reduzida realização pessoal (36,6%) em relação ao burnout. Estes resultados são preocupantes,
principalmente no que diz respeito à desumanização, dimensão que aponta para um comportamento marcado pelo distanciamento e atitudes negativas. Verificou-se a
necessidade do estabelecimento de medidas preventivas e/ou interventivas, no sentido de garantir melhores condições de saúde e qualidade de vida aos professores, o que vem
a propiciar um relacionamento entre professor-aluno mais adequado, vindo a se refletir nas condições educacionais.
Palavras-chave: Estresse, Burnout, Professores

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/resa2010.v3i3.a21132

Apontamentos

  • Não há apontamentos.