O que licenciandos de Ciências Biológicas pensam sobre as inter-relações professor-aluno

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22409/resa2022.v15i1.a43195

Palavras-chave:

inter-relação; , ensino;, biologia;, formação docente

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo apresentar a percepção de licenciandos de um Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas sobre as inter-relações professor-aluno e como esta pode subsidiar os processos de ensino e aprendizagem. Os autores que inspiraram o embasamento teórico foram Paulo Freire, Maurice Tardif, Claude Lessard, Mizukami, entre outros. A pesquisa caracteriza-se por ser qualitativa, como instrumento de coleta de dados foi realizada uma entrevista semiestruturada. A análise dos dados foi feita através da técnica de Análise de Conteúdo de Bardin. Os resultados apontaram que as percepções dos sujeitos da pesquisa sobre as inter-relações professor-aluno, enquadram-se nas categorias humanista, sociocultural e/ou cognitivista, conforme Mizukami. Os licenciandos têm visão de que a inter-relação professor-aluno pode contribuir para o processo de ensino e aprendizagem a partir do momento que ela cria empatia e acordo entre estes sujeitos ou torna o ensino mais humanizado, quebrando barreiras representadas pelo autoritarismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Oliveira Duarte, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ

Mestre (2020) em Ensino de Ciências, Ambiente e Sociedade pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências, Ambiente e Sociedade - pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro/Faculdade de Formação de Professores, (UERJ-FFP). Linha de pesquisa, Formação Docente e Ensino de Biologia. Graduado (2017) em Ciências Biológicas modalidade Licenciatura, pela Universidade Federal Fluminense (UFF), onde continua seus estudos como graduando em Ciências Biológicas modalidade Bacharelado. Tem experiência em projetos de educação pelo Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID - vinculado à Universidade Federal Fluminense. Colaborou voluntariamente no ProPET BioFronteiras da Universidade Federal Fluminense, na busca e desenvolvimento de materiais de divulgação científica, abordando Temas de Fronteira nas áreas de Ciências Biológicas. Tem experiência na área de Farmacologia, com ênfase em Farmacologia atuando através da técnica, tecido isolado de rato - bexiga e aorta - na pesquisa de novos moduladores farmacológicos para canais iônicos que apresentam potencial terapêutico por regularem uma série de atividades biológicas e tem experiência em cultura de células animais, (2011 - 2013).

Flavia Venancio Silva, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ

Sou bacharela em Ciências Biológicas com concentração em Ecologia e licenciada em Ciências Biológicas pela UFRRJ, realizei estágio em Biologia Molecular como bolsista do CNPq na University of York, sou mestra em Biotecnologia Vegetal pela UFRJ, doutora em Fitotecnia pela UFRRJ e atuei como pesquisadora de pós-doutorado no Departamento de Pós-graduação em Fitotecnia da UFRRJ. Participei de projetos de pesquisa no Laboratório de Ecologia Molecular Microbiana da Embrapa Agrobiologia. Lecionei Bioquímica na UFRRJ e também tive experiência com o Ensino Fundamental, Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos. Sou professora associada com dedicação exclusiva no Departamento de Ciências da Faculdade de Formação de Professores da UERJ. Nesta unidade, leciono no Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, no Curso de Especialização em Educação Básica com ênfase em Ensino de Biologia e no Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências, Ambiente e Sociedade. Eu também leciono no Mestrado Profissional em Ensino de Biologia em Rede Nacional (PROFBIO-UERJ Maracanã). Desenvolvo projetos e orientações de monografia e dissertações de mestrado nas seguintes linhas de pesquisa: Ensino de Biologia e Formação Docente. Tenho experiência com a coordenação de projetos de monitoria de Biologia Celular e Biofísica, iniciação à docência (PIBID) e extensão universitária voltada ao ensino de Biologia Celular para o Ensino Básico. Tenho experiência como revisora de periódicos científicos, consultora Ad Hoc na avaliação de projetos e membro de bancas avaliadoras. Tenho trabalhos científicos publicados em periódicos e em anais de eventos.

Referências

ANTÓNIO, Luísa da Anunciação David; MANUEL, Janice Alexandra da Costa. Importância da Relação Professor - Aluno na Educação Superior. EDUCERE VII Congresso Nacional de Educação. PUC-Paraná, 2015.

BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e Filosofia da Linguagem. 6ª ed. São Paulo: Hucitec, 1997.

BARBOSA, Fayson Rodrigo Merege; CANALLI, Micaella Paola. Qual a importância da relação professor-aluno no processo ensino-aprendizagem? EFDeportes.com, ano. 16, n. 160, 2013.

BARDIN, Lawrence. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2012.

BRAIT, Lilian Ferreira Rodrigues; MACEDO, Keila Márcia Ferreira de; SILVA, Francis Borges da; SILVA, Márcia Rodrigues; SOUZA, Ana Lúcia Rezende de. A Relação Professor/Aluno no Processo de Ensino e Aprendizagem. Intinerarius Reflectiones, Revista Eletrônica do Curso de Pedagogia do Campus Jataí, v. 8, n. 1, 2010.

CARVALHO, Anna Maria Pessoa de. O ensino de Ciências e a proposição de sequências de ensino investigativas. In: Carvalho, Anna Maria Pessoa de. (Org.). Ensino de Ciências por investigação: condições para implementação em sala de aula. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

CUNHA, Luci Ana Santos da. MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: E.P.U. Revista de Educação. p. 1-5, 2017.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: Saberes Necessários à Prática Educativa. 37ª. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GIASSI, Maristela Gonçalves; MORAES, Edmundo Carlos de. A Contextualização no Ensino de Biologia: abordagens preliminares. Em: VI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2007, Florianópolis. VI ENPEC, Anais...Florianópolis, Santa Catarina: ABRAPEC, 2007.

LOPES, Maria Cristina Lima Paniago; XAVIER, Selma Lúcia da Costa. A afetividade nas inter-relações professores e alunos no ambiente digital. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância, p. 1-17, 2007.

LOPES, Rita de Cássia Soares. A Relação Professor-Aluno e o Processo Ensino-Aprendizagem. Ponta Grossa: Secretaria de Estado da Educação do Paraná; Universidade Estadual de Ponta Grossa, 2011. (caderno temático). Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1534-8.pdf. Acessado em julho de 2019.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da Aprendizagem Escolar: estudos e proposições. 17ª ed. São Paulo: Cortez, 2005.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo, Editora E.P.U.1986.

MÜLLER, Luiza de Souza. A inter-relação professor - aluno no processo educativo. Revista Integração Ensino, Pesquisa, Extensão. Ano VIII, n. 31, 2002.

NETTO, Maria Inês Barreto. Pensando com ciência na pré-escola: A práxis pela criação de significados. Revista Teias, p.11-12, 2005.

NICOLLI, Aline Andréia; OLIVEIRA, Odisséa Boaventura de; CASSIANI, Suzani. A Linguagem na Educação em Ciências: um mapeamento das publicações dos ENPECs de 2005 a 2009. Em: VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2011, Campinas. VIII ENPEC, Anais...Campinas: São Paulo, Unicamp, 2011.

RIBEIRO, Marinalva Lopes. A afetividade na relação educativa. Revista Estudos de Psicologia, Campinas, São Pulo. v. 27, n. 3, p. 403-412, 2010.

RIOS, Izabel Cristina; SCHRAIBER, Lília Blima. A Relação Professor-Aluno em Medicina - um Estudo sobre o Encontro Pedagógico. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 36, n. 3, p. 308-316, 2012.

SALOMÃO, Simone Rocha. Aproximações entre Ensino de Ciências e Literatura: caminhos para contrapalavras. In: Grupo LIC Linguagem Interação e Conhecimento. (Org.). A Responsividade Bakhtiniana: Na Educação, na Estética e na Política. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2011.

SANTOS, Edno Mariano dos; FREITAS, Kátya Regina; OLIVEIRA, Marilu Martens. Abordagens e perspectivas no processo de ensino e aprendizagem significativa. Em: III Jornada Didática, Desafios para a Docência e II Seminário de Pesquisa do CEMAD, 2014, Londrina. Anais...Londrina: Paraná, Universidade Estadual de Londrina, 2014.

SANTOS, Tâmara. N. P.; BATISTA, Carlos. H.; OLIVEIRA, Ana. P.C.; CRUZ, Maria C. P. Aprendizagem Ativo-Colaborativo-Interativa: Inter-Relações e Experimentação Investigativa no Ensino de Eletroquímica. Revista Química Nova Escola, v. 40, n. 4, p. 258-266, 2018.

SILVA, Andressa Henning; FOSSÁ, Maria Ivete Trevissan. Análise de Conteúdo: Exemplo de Aplicação da Técnica para Análise de Dados Qualitativos. Qualit@s Revista Eletrônica, v. 17, n. 1. 2015.

SOUZA, Marcos Lopes; FREITAS, Denise de. O Cotidiano de Educandos Trabalhado na Prática Educativa de Professores de Biologia. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, p.16-26, 2004.

TARDIF. Murice; LESSARD, Claude. O Trabalho Docente: Elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Petrópolis, RJ. Vozes, 2005. 317 p.

TORRES, Larissa Ravena Palhano. A Afetividade na Relação Professor-Aluno e suas Implicações na Aprendizagem no Curso de Psicopedagogia. 2016. 41 p. Trabalho de Conclusão de Curso. Curso de Bacharelado de Psicopedagogia. Centro de Educação, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa – Paraíba, 2016.

ZAMPERETTI, Maristani Polidori. Estar-Junto na Sala de Aula: Inter-Relações e Reflexões para o Ensino da Arte. Revista Interinstitucional Artes de Educar, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 80-92, 2015.

Downloads

Publicado

2022-08-06

Como Citar

Duarte, B. O., & Silva, F. V. (2022). O que licenciandos de Ciências Biológicas pensam sobre as inter-relações professor-aluno . Ensino, Saude E Ambiente, 15(1), 84-103. https://doi.org/10.22409/resa2022.v15i1.a43195

Edição

Seção

Artigos