O Cafe é o Novo Ovo? Publicização Jornalística das Notícias que Relacionam Café e Saúde

Lucas de Vasconcelos Teixeira, Tânia Márcia Cezar Hoff

Resumo


Este artigo tematiza a relação alimentação e saúde sob a perspectiva comunicacional, especialmente a circulação de uma agenda positiva de notícias, que modifica o regime de visibilidade do café em um contexto midiático de gourmetização de alimentos. Temos como objetivo refletir sobre a produção de sentidos atribuídos ao café nos discursos midiáticos, à luz da noção de biossociabilidades do consumo. Os estudos de comunicação e consumo articulados a Análise de discurso francesa são mobilizados para examinar o corpus composto por reportagens sobre café coletadas pela newsletter da Cecafé. Os resultados indicam que a lógica capitalista contemporânea altera os vínculos de sentido, instaurando que a gestão de si voltada para produtividade e performance é também aplicada às práticas alimentares e materializada em notícias publicizadas que refletem e refratam o que se espera do sujeito neoliberal.

Palavras-chave


Comunicação midiática; café e saúde; estratégias de publicização; biossociabilidades do consumo; sujeito neoliberal.

Texto completo:

PDF

Referências


ALONSO, L. E. “Sobre la tesis de la individualización de los estilos de vida y la sociedad post moderna: un nuevo consumidor?” In.: La era del consumo. Madrid: Siglo XXI de España Editores, 2006. p. 83-108.

BACCEGA, M. A. “O Campo da comunicação”. In: BARROS FILHO, C.; CASTRO, G. Comunicação e práticas de consumo. São Paulo: Saraiva, 2007, p.79-86.

BAKHTIN, M. “Estudo das ideologias e filosofia da linguagem”. In: BAKHTIN, M. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1997, p. 31-38.

CARRASCOZA, J. Estratégias criativas da publicidade: consumo e narrativa publicitária. São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2015.

CARRASCOZA, J. “A cena de consumo: um detalhe da estética publicitária”. In: ROCHA, R.; CASAQUI, V. Estratégias midiáticas e narrativas do consumo. Porto Alegre: Sulina, 2012, p. 98-119.

CASAQUI, V. Por uma teoria da publicização: transformações no processo publicitário. Revista Significação. São Paulo: v. 38, n. 36, 2011, p. 131-151.

CUCHE, D. “A invenção do conceito científico da cultura” / “Hierarquias sociais e hierarquias culturais”. In: CUCHE, D. A noção da cultura nas ciências sociais. Bauru (SP): EDUSC, 2002. p. 33-64 / 143-176.

DOUGLAS, M.. O mundo dos bens, vinte anos depois. Horizontes Antropológicos. Porto Alegre: ano 13, n. 28, jul./dez. 2007. p. 17-32.

DOUGLAS, M.; ISHERWOOD, B. O mundo dos bens: para uma antropologia do consumo. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2006.

ENNE, A. L. S.. À perplexidade, a complexidade: a relação entre consumo e identidade nas sociedades contemporâneas. Revista Comunicação, Mídia e Consumo. São Paulo. vol. 3. n.7, jul./2006. p.11-29.

GADELHA, S. “Biopolítica, governamentalidade e educação”. In: GADELHA, S. Biopolítica, governamentalidade e educação. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009, p. 119-169.

HARVEY, D. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Edições Loyola, 2013.

HEPP, A. “As configurações comunicativas de mundos midiatizados: pesquisa de midiatização na era da “mediação de tudo””. In: Matrizes: Revista do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da USP. São Paulo: PPGCOM-USP, v. 8, n. 1, 2014, p. 45-64.

HOFF, T. Corpos discursivos: dos regimes de visibilidade à biossociabilidades do consumo. Recife: Editora UFPE, 2016.

HOFF, T. “Biossociabilidades do consumo: regimes de visibilidade da diferença no discurso publicitário”. In: ROCHA, R.; PERES-NETO, L. Memória, comunicação e consumo: vestígios e prospecções. Porto Alegre: Sulina, 2015, p. 165-179.

HOFF, T. “.Produção de sentido e publicização do discurso da diferença na esfera do consumo”. In: ROCHA, R.; CASAQUI, V. Estratégias midiáticas e narrativas do consumo. Porto Alegre: Sulina, 2012, p. 145-161.

LAZZARATO, M. As revoluções do capitalismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.

MAINGUENEAU, D. “Do discurso ao interdiscurso”. In: MAINGUENEAU, D. Novas tendências em análise do discurso. Campinas: Pontes; Unicamp, 1989, p. 111-128.

MCCRACKEN, G. “Manufatura e movimento de significado no mundo dos bens”. In: Cultura e Consumo. Rio de Janeiro: Mauad, 2003, p. 99-120.

ORLANDI, E. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes, 1999.

ORTEGA, F. Práticas de ascese corporal e constituição de bioidentidades. Cadernos Saúde Coletiva, n. 24, 2006, p. 27-57.

RABINOW, P. “Artificialidade e iluminismo: da sociobiologia à biossociabilidade”. In: RABINOW, Paul. Antropologia da Razão. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1999, p. 135-157.

RABINOW, P.; ROSE, N. O conceito de biopoder hoje. Revista de Ciências Sociais, v. 11. n. 1, 2003, p. 59-77.

SASSATELLI, R. “Sustentabilidade e novos olhares sobre a soberania do consumidor”. In: ROCHA, R.; OROFINO, M. I. Comunicação, consumo e ação reflexiva: caminhos para a educação do futuro. Porto Alegre: Sulina, 2014, p. 167-188.

TONDATO, M. “Comunicação e consumo: pensando as identidades e distinções – classes sociais e gêneros”. In: ROCHA, R.; CASAQUI, V. Estratégias midiáticas e narrativas do consumo. Porto Alegre: Sulina, 2012, p. 207-226.




DOI: https://doi.org/10.22409/ppgmc.v13i1.28122

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano - PPGMC 
Universidade Federal Fluminense - UFF
Endereço: Rua Alexandre Moura, 8 - São Domingos, Niterói - RJ, 24210-200. Campus Gragoatá - UFF. Bloco A.

e-mail: midiaecotidiano.ega@id.uff.br
Site: http://www.ppgmidiaecotidiano.uff.br

Telefone/Fax: (21) 2629-9684/ (21) 2629-9681