Zona comercial por excelência: a importância comercial do porto fluvial da freguesia de nossa senhora imaculada conceição do porto das caixas para a província do Rio de Janeiro

Autores

  • Mirian Cristo Universidade Federal Fluminense

Palavras-chave:

Porto das Caixas, Província do Rio de Janeiro, Zona Comercia

Resumo

Porto das Caixas, atual distrito do município de Itaboraí, RJ, possuiu uma grande importância econômica, social e política durante o século XIX, para a província do Rio de Janeiro e para o próprio Império. As casas simples da avenida Nossa Senhora da Conceição, o pouco comércio, a usina de álcool de mandioca abandonada e o riacho que corta o local não demonstram nem a sombra da opulência arquitetônica que outrora teve a região, que além de ter sido um dos primeiros locais a serem ocupados no processo de interiorização portuguesa após a expulsão dos franceses, foi no século XIX considerado o terceiro porto fluvial em importância comercial para a província do Rio de Janeiro pertencente ao recôncavo da Baía de Guanabara.

 

PURL: http://purl.oclc.org/r.ml/v3n1/a10

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVES, Débora Bendocchi. Viagem de Ernst Hasenclever à Colônia Nova Friburgo em 1840. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História ANPUH. São Paulo: p. 1-2, Julho 2011. Disponível em <http://www.snh2011.anpuh.org/resources/anais/14/1300033107_ARQUIVO_ViagemdeErnsViagemdeErnst>.

AMANTINO, Márcia; CARDOSO, Vinícius Maia. Múltiplas Alternativas: diversidade econômica da Vila de SantoAntônio de Sá de Macacu -Século XVIII. Revista de História Econômica & Economia Regional Aplicada,v. 3, nº5, p. 78, jul. -dez. 2008. Disponível em: < http://www.ufjf.br/heera/files/2009/11/artigo_4.pdf>. Acesso em 04 de fevereiro de 2016.

BRAUDEL, Fernando. Civilização Material, Economia e Capitalismo-séculos XV-XVIII-O Tempo do Mundo. São Paulo: Martins Fontes, 3º volume, p. 384, 1996.

CASAL, Manuel Aires de. Coreografia brasílica ou Relação histórico-geográfica do Reino Brasil(1817). São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, p. 199, 1976.ColoniaNovaFriburgoem1840II.pdf>. Acesso em 09 de agosto de 2016.

DE SAINT-ADOLPHE, J.C.R. Milliet. Diccionario geographico, historico e descriptivo, do imperio do Brazil. Tomo II. Paris: JP Aillaud, 1845, p. 351. Disponível em < https://books.google.com.br/books?hl=pBR&lr=&id=AO0pAQAAMAAJ&oi=fnd&pg=PA1&dq=JCR+SAINT+ADOLPHE&ots=4i7Z6cpsDG&sig=TL_KGfzAlfi2YFU16kRhHiF1b_I#v=onepage&q&f=false>. Acesso em 15 de fevereiro de 2016.DE SAINT-HILAIRE, Augusto. Viagens pelo Distrito dos Diamantes e Litoral do Brasil.São Paulo: Companhia Editora Nacional, p. 266-267, 1941.

DIAS, Maria Odila da Silva. A interiorização da metrópole (1808-1853).In: MOTA, Carlos Guilherme, org.,1822: Dimensões São Paulo: Ed. Perspectiva, 1972._____. A interiorização da Metrópole e outros estudos.São Paulo: Alameda, p.12-15, 2005.

EWBANK, Thomas. A vida no Brasil.São Paulo: Ed. da Universidade de São Paulo, p. 27, 1976.FALCON, Francisco José Calazans. Chegada da corte 200 anos.Acervo, Rio de Janeiro: V. 21, nº 1, p. 12, jan. /jun. 2008.

FLETCHER, James Cooley; KIDDER, Daniel Parish. O Brasil e os brasileiros: esboço historico e descritivo. São Paulo: Companhia Editora Nacional, p. 338-339, 1941.

FORTE, José Matoso Maia. Vilas Fluminenses Desaparecidas. Revista da Sociedade de Geografia do Rio de Janeiro, Tomo XLIV, Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro: p. 53, 1937.

GEIGER, Pedro Pinchas; SANTOS, Ruth Lyra. Notas sobre a evolução da ocupação humana na baixada fluminense.Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro: Ano XVI, nº 3, p. 4, 1954.

KIDDER, Daniel Parish. Reminiscências de viagens e permanência no Brasil: Rio de Janeiro e província de São Paulo. Brasília: Senado Federal, Conselho Editorial, p. 166, 2001. Disponível em < http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/1050/591395.pdf>. Acesso em 11 de janeiro de 2016.

LENHARO, Alcir. As tropas da moderação:o abastecimento da Corte na formação política do Brasil, 1808-1842. Edições Símbolo, p. 33, 1979.LINHARES, Maria Yedda Leite. A Pesquisa Histórica no Rio de Janeiro. A História Agrária como Programa de trabalho 1977-1994. Um Balanço. São Paulo: Revista Brasileira de História, v. 15, p. 81-82, 1995. Disponível em <http://www.anpuh.org/arquivo/download?ID_ARQUIVO=3786>. Acesso em 26 de agosto de 2016.

MACHADO, Lia Osório. Gente do Caceribu, sua Geografia, sua história.Trabalho de pesquisa realizado pela Prof.ª Dr.ª Lia Osorio Machado, da Universidade Federal do Rio de Janeiro que integrou a primeira fase do projeto “Gente do Caceribu”. Disponível em:< http://www.retis.igeo.ufrj.br/wp-content/uploads/1998-gente-do-Caceribu-LOM.pdf>. Acesso em 10 de fevereiro de 2016.

MAGALHÃES, João de. Reminiscências do Porto das Caixas. Arquivo do Centro de Memória da Casa de Cultura Heloísa Alberto Torres. Itaboraí, Rio de Janeiro: P. 14, março de 1944. Consulta no dia 23 de março de 2016.

MATHISON, Gilbert Farquhar. Narrative of a Visit to Brazil, Chile, Peru, and the Sandwich Islands:During the Years 1821 and 1822. Londres: Charles Knight, 1825.

NOGUEIRA, Viviany Barreto.A Peregrinação em Porto das Caixas. O Espaço Sagrado modelando a dinâmica na Paisagem. Dissertação apresentada ao curso de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: UFRJ, p. 21, 2009.

OLIVEIRA, Rafael da Silva. Os Eixos de Transporte e as Transformações na Organização Espacial do Recôncavo da Guanabara entre os Séculos XVIII e XIX: Os Exemplos de Iguaçu e Estrela. Revista do Mestrado de História, v. 9, Ed. da USS, p. 139, 2015. Disponívelem < http://editorauss.uss.br/index.php/RMH/article/download/713/642>. Acesso em 23 de agosto de 2016.

PINTO, Luiz Maria da Silva. Diccionario da Lingua Brasileira.Ouro Preto, Minas Gerais: Typographia de Sila, p. 504, 1832.

PRADO JÚNIOR, Caio. Formação do Brasil Contemporâneo:colônia. São Paulo: Ed. Brasiliense, p. 310-311, 1994.

ROSA JUNIOR, Ailton Fernandes da. Em águas turvas: homens livres pobres no Vale do Macacu oitocentista. Dissertação apresentada ao curso de mestrado da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Instituto de Ciências Humanas e Sociais. Rio de Janeiro: UFRRJ, p. 33, 2014.

ROSEDAHL, Zeny. Espaço Sagrado: O exemplo de Porto das Caixas, BaixadaFluminense. Revista Brasileira de Geografia. Instituto Brasileiro de Geografia e estatística, Rio de Janeiro: V. 57, p. 60, janeiro/março 1995.

SANTOS, Ana Maria dos. Vida Econômica de Itaboraí no século XIX. Dissertação apresentada ao curso de mestrado da Universidade Federal Fluminense. Niterói, Rio de Janeiro: UFF, p. 19, 1975.

SATHLER, Evandro Bastos. Tropeiros e outros viajantes. Niterói, Rio de Janeiro: PPGSD-UFF, p. 50, 2003.

SILVEIRA, Patrícia Gomes da. A Metrópole é aqui:Redes de Abastecimento e o Porto do Rio de Janeiro no Século XIX. Revista Espaço AbertoPrograma de Pós-Graduação em Geografia Universidade Federal do Rio de Janeiro, v. 2, nº2, p. 133, julho/dezembro 2012.

SIMONSEM, Roberto C. Evolução Industrial do Brasil e outros estudos. São Paulo: Companhia Editora Nacional, p. 182-183, 1973.

Downloads

Publicado

2017-10-17

Como Citar

Cristo, M. (2017). Zona comercial por excelência: a importância comercial do porto fluvial da freguesia de nossa senhora imaculada conceição do porto das caixas para a província do Rio de Janeiro. Mundo Livre: Revista Multidisciplinar, 3(1), 149-164. Recuperado de https://periodicos.uff.br/mundolivre/article/view/39942

Edição

Seção

Artigos